cidade

 

 

Bola eterno

 

Pelas ruas de Setúbal pairam imagens de grandes figuras que, de uma forma ou de outra, contribuíram para o engrandecimento da identidade do concelho e que conquistaram, no seu tempo, o carinho dos setubalenses contemporâneos.

Podem já não estar lá, fisicamente, nas avenidas ou ruas, nos mercados ou cafés, mas a imagem dessas personalidades perdura na memória coletiva da cidade, que, tendo bebido do génio de cada uma delas, não hesita em lhes retribuir a dedicação que devotaram a Setúbal.

Carlos Rodrigues, ator carinhosamente conhecido por todos como Manel Bola, é, hoje, uma dessas memórias, materializada agora em estátua, num projeto encomendado pela Câmara Municipal ao escultor Jorge Pé-Curto.

Cordial. Assertivo. Gentil. Frontal. Sorridente. Traços da personalidade que acabaram incorporados na postura da peça escultórica, escolhida pelo artista plástico em conjunto com a família do ator, e que eterniza, ainda, a saudação que era tão característica a Manel Bola, com a boina numa mão a fechar um movimento de vénia.

Em dia de inauguração da estátua, na placa central da Avenida Luísa Todi, 3 de setembro, data de nascimento do homenageado, houve quem recuperasse a história de como Carlos deu em “Manel” e Rodrigues se transformou em “Bola”. Alcunha de meninice, que acicatava, com provocação sarcástica, o espírito inquieto do “baixinho” artista sadino, quando, na época, havia outro setubalense, manifestamente alto, que respondia pelo nome de Manuel Bola.

Memórias de uma cidade que acarinhou e se deixou acarinhar tanto pelo Carlos, como pelo Manel com aspas.

A recordação de Carlos Rodrigues, ator de teatro, televisão e cinema, poeta e apaixonado setubalense, já não paira só pelas ruas da cidade. Vive agora em matéria moldada à sua imagem, num cumprimento perpétuo às ruas e pessoas que amou.

E, na falta de quem cumprimentar, saúda o Fórum Municipal Luísa Todi, olhando-o de frente do alto da estátua com 2,15 metros, a partir da avenida, recuperando, assim, os momentos sem conta que fez outros rir e chorar do palco da maior sala de espetáculos de Setúbal.

 

Carlos Rodrigues é uma memória viva na cidade. O ator fez de Setúbal o seu palco de vida e o concelho retribui-lhe a dedicação com uma estátua. Manel Bola, como era acarinhado, saúda os setubalenses, o público e o palco. E todos o saudamos de volta, com saudade  

 

 

Cidade