15 de Dezembro de 2017
14º
max. 16º
min. 8º
notícias
iniciativas em destaque
liberdade 26 de Abril de 2013
Abril festejado contra a austeridade

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, falou, nas comemorações dos 39 anos do 25 de Abril, na urgência em substituir o modelo assente na austeridade por políticas a favor dos portugueses.

Comemorar Abril em 2013, assinalou a autarca em sessão solene comemorativa da Assembleia Municipal de Setúbal, realizada no dia 25, “é afirmar que um povo não se vende”, que “Portugal não é dos especuladores, não é da troika”, mas, sim, “dos portugueses e das portuguesas”.

Maria das Dores Meira apontou a necessidade de “afirmar a nossa soberania”, de “recuperar o poder de decidir sobre as nossas vidas e que caminhos queremos trilhar”, recusando a ideia de que não existe política alternativa para enfrentar a conjuntura económico-financeira.

“Exijamos outro caminho que não este da austeridade cega e a todo o custo, da austeridade à conta de quem não pode, de quem não tem, de quem está prestes a cair no desemprego, na miséria, na doença. Em nome de Abril, exijamos o fim desta política que destrói o País”, sublinhou.

Para a autarca, este “é o momento de esconjurar os ‘vampiros’ que sugam a nossa economia”, os quais, ao contrário dos da canção de José Afonso, que chegam “batendo as asas pela noite calada”, anunciam-se “com estrondo” e querem continuar, como sempre, a ser “os mordomos do universo todo, senhores à força, mandadores sem lei”.

“Têm de saber que não os deixaremos comer tudo, que os impediremos de não deixar nada”, assegurou.

Por oposição a esta realidade nacional, Maria das Dores Meira afirmou que “Abril constrói-se e reinventa-se, todos os dias, nas autarquias locais”, onde “a letra da revolução continua a ser o motor do bem-estar de populações inteiras”.

No caso de Setúbal, a Autarquia, com o apoio de fundos comunitários, “investiu, nos últimos três anos, mais de 50 milhões de euros em ações que os setubalenses e azeitonenses exigiam, algumas há décadas”, o que se traduziu em “melhor qualidade urbana, melhor e mais atividade cultural, mais e melhores equipamentos educativos, mais desenvolvimento e trabalho”.

Apesar das dificuldades na gestão autárquica resultantes, entre outras medidas, da redução das transferências financeiras da administração central e da “retenção irregular de verbas do IMI”, a par da ampliação das responsabilidades municipais sem contrapartidas financeiras, a Autarquia não deixa de “fazer mais Setúbal” e de “construir um melhor futuro”.

Outro evento protocolar decorreu junto do Monumento à Resistência, na Avenida Luísa Todi, numa homenagem à luta antifascista. Nesta evocação, com deposição de flores, numa iniciativa organizada em conjunto com a União de Resistentes Antifascistas, Pedro Soares, da delegação de Setúbal desta instituição, alertou que “a ordem democrática do 25 de Abril é constantemente ofendida” e que, por isso, “é importante refletir, porque a luta contra o monstro [fascismo] ainda não acabou”.

Antes, na Praça de Bocage, decorreu uma animação infantil de ópera ligeira “Nos Castelos de D. Afonso Henriques”, da autoria de José Carlos Godinho, por alunos da EB 2,3 de Azeitão, uma forma original de contar a história do início do Portugal, seguindo-se uma atuação da Banda Filarmónica da Sociedade Musical Capricho Setubalense.

Festa nas freguesias

Os 39 anos da Revolução do Cravos foram celebrados em Setúbal em ambiente de festa, com a população a sair às ruas em vários pontos do concelho, em convívio, perpetuando os ideais e os valores de Abril.

Empunhando cravos vermelhos, símbolos da revolução da liberdade, os setubalenses participando ativamente nas iniciativas de um programa organizado pela Câmara Municipal, pelas juntas de freguesia e por diversas instituições, com cerimónias e muita atividade cultural, desportiva e de lazer.

Uma comitiva do Executivo municipal fez o habitual périplo pelas freguesias, onde, além de convívio intergeracional motivado pelas comemorações dos 39 anos da Revolução dos Cravos, foram inaugurados espaços e equipamentos públicos, obras para usufruto da população, executadas no espírito de uma política de proximidade e que materializam os valores democráticos conquistados por Abril.

Em S. Lourenço, entrou em funcionamento o novo Posto de Turismo Azeitão, localizado no Rossio de Vila Nogueira, num edifício totalmente reabilitado após um conjunto de intervenções executadas pela junta de freguesia, com o apoio da Câmara Municipal.

O espaço turístico, com o lema “Descubra Azeitão!”, dispõe de materiais informativos para os visitantes, artigos artesanais, como peças de cerâmica e azulejaria, e ainda um conjunto de produções culturais de artistas locais, como literatura e música.

O novo posto de turismo, obra executada em cerca de um mês e meio, com um custo global de 20 mil euros, está localizado “numa área mais central e privilegiada de Vila Nogueira de Azeitão”, salientou a presidente da Junta de Freguesia de S. Lourenço, Celestina Neves.

Este equipamento, dotado de focos de iluminação noturna e de um espaço exterior preparado para acolher pequenos eventos associados à cultura e ao turismo, incluirá ainda uma valência, com o aluguer de bicicletas antigas para o desenvolvimento de atividades temáticas, como o passeio das três fontes – Pasmados, Oleiros e Aldeia Rica.

Em Setúbal, uma obra da Junta de Freguesia da Anunciada, também com o apoio da Câmara Municipal, transformou uma área devoluta e descaracterizada numa zona de estadia com vista privilegiada para a cidade, o Sado e a Arrábida, alindada por espaços ajardinados.

“Transformámos um autêntico matagal num maravilhoso jardim, um espaço de lazer para a população, devolvido à cidade com novas condições para usufruto”, vincou o presidente da junta de freguesia, José Manuel Silva, realçando os apoios municipais para a concretização de várias intervenções.

O autarca reforçou que, “se não fosse o investimento municipal, concretizado através da transferência de verbas para as juntas de freguesia no âmbito dos protocolos de descentralização de competências, era impossível realizar” este tipo de beneficiações.

Mobiliário urbano, como bancos e papeleiras, e um apontamento estético no pavimento, um desenho de um sol, fazem parte do novo Miradouro de Nossa Senhora do Cais, intervenção orçada em mais de 60 mil euros, executada em pouco mais de cinco meses.

“Esta é a nossa maneira de fazer política, numa gestão de proximidade com as populações, prestando contas aos nossos cidadãos e aplicando corretamente os dinheiros públicos”, frisou Maria das Dores Meira na cerimónia de inauguração do novo miradouro.

No périplo de visitas pelo concelho no âmbito das comemorações do 25 de Abril, a comitiva passou ainda pela freguesia de S. Simão, marcando presença nas iniciativas dinamizadas no Largo da Cooperativa Habitacional dos Trabalhadores de Vendas de Azeitão, onde decorria um convívio com várias iniciativas.

Esteve ainda no “S. Julião no Parque”, em Vanicelos, onde a junta de freguesia promoveu um programa com diversas atividades de lazer para a população.

Já em S. Sebastião, passagem por Vale do Cobro, para uma homenagem a Álvaro Cunhal, eternizado no Bosque do Centenário com uma placa escultórica com uma imagem em silhueta e um texto de tributo.

“Este é o dia indicado para fazer uma homenagem a um homem tão especial. Neste local, muito utilizado pela população e que Álvaro Cunhal havia de ter gostado, é o sítio ideal para celebrar o centenário do nascimento de um homem com uma dimensão internacional reconhecida”, vincou Maria das Dores Meira.

O presidente da junta de freguesia, Nuno Costa, destacou o momento simbólico como “uma justa homenagem a uma personalidade incontornável da democracia, cujo legado, ensinamentos de vida e luta antifascista importa perpetuar”.

Já Carlos Fernandes, em representação da Comissão das Comemorações do Centenário de Álvaro Cunhal, recordou a importância do líder histórico do Partido Comunista Português e o “papel indissociável” que teve na construção de uma sociedade mais democrática. “Estas comemorações estão integradas e presentes na luta que, hoje, todos travamos”, vincou.

Ainda na freguesia de S. Sebastião, passagem pela festa de 25 de Abril promovida no Forte da Bela Vista, iniciativa dinamizada no âmbito do programa “Nosso Bairro, Nossa Cidade”. “Esta é a primeira vez que o 25 de Abril é celebrado neste bairro. É um momento de grande alegria ver o Forte da Bela Vista a celebrar a Revolução dos Cravos”, salientou a presidente da Câmara Municipal, reforçando que este tipo de atividades é a prova de que “os moradores estão a trabalhar para conquistar um futuro melhor”.

Tasquinhas gastronómicas, com iguarias multiculturais confecionadas pelos próprios moradores e venda de artigos artesanais e de livros fizeram parte da festa, organizada pela Comissão Instaladora da Associação de Moradores do Forte da Bela Vista com o apoio da Autarquia, com miúdos e graúdos nos pátios em momentos de convívio e momentos musicais proporcionados por artistas locais.

Depois de uma passagem pelo “Baile da Liberdade”, na Associação Centro Bem-Estar Social dos Reformados e Idosos de Setúbal, na Fonte Nova, Anunciada, a comitiva seguiu para o Fórum Municipal Luísa Todi, para assistir ao espetáculo "AJA Sempre", organizado pela Associação José Afonso

O concerto, que encerrou o programa central das comemorações do 25 de Abril em Setúbal, contou com a participação de Francisco Fanhais, Chullage, Coral Infantil de Setúbal e Sons da Gente, numa iniciativa apresentada pela atriz Maria do Céu Guerra.

Na noite de dia 24, um espetáculo no Largo da Misericórdia anunciou a chegada do Dia da Liberdade, com atuações da Banda do Andarilho e do grupo Navegante, além de distribuição de cravos à população e projeção de um vídeo alusivo à efeméride.

Depois de uma arruada pela orquestra de percussão Bardoada até junto do coreto na Avenida Luísa Todi, onde, à hora certa, houve um espetáculo de fogo de artifício, realizou-se ainda a “Festa da Liberdade”, na Sociedade Musical Capricho Setubalense, com música popular portuguesa.

APOIOS

AMRS
Setúbal é um Mundo
Câmara Municipal de Setúbal. ©
Todos os direitos reservados

website concebido por dodesign