17 de Dezembro de 2017
max. 12º
min. 2º
notícias
iniciativas em destaque
ambiente 13 de Novembro de 2013
Estratégia com mais ambiente

A ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida apresentou no dia 13, perante um auditório cheio da Casa da Baía, um conjunto de projetos em desenvolvimento na área ambiental para os próximos anos.

O presidente do conselho de administração da agência e vereador do Ambiente da Câmara Municipal de Setúbal, Manuel Pisco, sublinhou que o encontro teve como finalidade não só “dar a conhecer as atividades em desenvolvimento pela ENA, mas também juntar profissionais que estejam direta ou indiretamente ligados ao setor”.

Manuel Pisco salientou que o Ambiente “é uma área que começou por ser apenas uma moda, mas é hoje uma moda que pegou, fazendo parte, inclusivamente, das atuais normas comunitárias”.

O dirigente frisou que se avizinha a abertura de uma nova janela de apoios por parte da Comissão Europeia no setor ambiental, nomeadamente através do QREN – Quadro de Referência Estratégico Nacional, com fundos comunitários a distribuir no período de 2014 a 2020, “para os quais é de extrema importância ter as candidaturas preparadas”.

Antes do início dos trabalhos, Manuel Pisco assinou ainda um protocolo de cooperação entre a ENA e a ADENE – Agência para a Energia, com o objetivo de desenvolver estratégias de sustentabilidade, envolvendo áreas como o património e a reabilitação urbana, a divulgação de informação ambiental e o uso energético adequado em edifícios públicos.

Durante a sessão foi apresentado o projeto YAECI, sigla anglófona para “Yearley Appliance Energy Costs Indication”, destinado à otimização da informação nas etiquetas energéticas sobre eletrodomésticos à venda em estabelecimentos comerciais.

Orlando Paraíba, da ENA, destacou que o projeto comunitário, do qual a agência da Arrábida é parceira, está em curso desde 2012 e destina-se a melhorar ao consumidor o conteúdo informativo das etiquetas indicadoras do consumo energético dos eletrodomésticos.

O YAECI, “que está agora a sair para a rua”, terminando em 2015, resume-se à tradução para euros do valor do consumo de um aparelho, atualmente expresso em kilowatts.

Em implementação nos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra, municípios onde a ENA atua, o YAECI conta com as parcerias da Auchan e da Rádio Popular, empresas que disponibilizam um total de 69 lojas para o projeto.

“Se traduzirmos os kilowatts para euros, é muito mais fácil para o consumidor entender a dimensão da poupança na aquisição de um eletrodoméstico ao fim de um ou dois anos. Afinal, falamos a um dos órgãos mais importantes do corpo humano: o bolso”, sintetizou Rui Pedro, representante da Rádio Popular.

A expectativa para o YAECI é “que o conceito prevaleça no mercado depois de o projeto terminar”, concluiu Orlando Paraíba.

O primeiro período de trabalhos do encontro terminou com a apresentação do Recoil, uma iniciativa desenvolvida com apoios comunitários e da qual a ENA é a coordenadora nacional, criada com o objetivo de transformar os óleos alimentares usados na produção de biodiesel.

“Com este projeto matamos dois coelhos com uma cajadada. Aproveitamos resíduos ambientais e transformamos em combustível. Além disso, o Recoil também está a ter o mérito de contribuir para o desenvolvimento da economia local, criando postos de trabalho”, frisou Orlando Paraíba.

O representante da ENA salientou que o Recoil, iniciado em 2012, foi alvo de um trabalho muito grande de investigação e estudo dos dados estatísticos recolhidos.

Através do projeto, tem-se incentivado a população e estabelecimentos comerciais a separar os óleos alimentares usados para os depositar em contentores próprios de forma a que, posteriormente, sejam reconvertidos em biodiesel.

Os dados iniciais apontam para um elevado esforço e sensibilidade das pessoas aderentes em relação ao projeto, tendo, todavia, sido detetadas algumas questões relacionadas com vazamentos dos depósitos domésticos.

Para quem ainda não pratica a separação dos óleos alimentares usados, “o esgoto continua a ser o alvo preferencial das pessoas”, indicou Orlando Paraíba, facto que, além de representar um desperdício de recursos energéticos, tem fortes consequências ambientais, nomeadamente na poluição das águas e no entupimento da rede de esgotos.

“Já a decorrer em Palmela, muito em breve será possível e comum ver em Setúbal e Sesimbra campanhas de sensibilização para o projeto”, acrescentou o representante da ENA.

A sessão pública de divulgação das atividades da Agência de Energia e Ambiente da Arrábida, realizada ao longo da tarde, contou ainda com a apresentação do SEEP – Sistema de Etiquetagem Energética de Produtos, por um representante da ADENE, parceira da ENA.

Até ao final dos trabalhos foi apresentada a matriz energética dos concelhos de Setúbal, Palmela e Sesimbra e divulgados o Observatório Energético e os projetos a candidatar no âmbito do PPEC – Plano de Promoção da Eficiência no Consumo de Energia Elétrica 2013-2014, promovido pela ERSE – Entidade Reguladora dos Serviços Energéticos.

Na sessão, que esgotou o auditório da Casa da Baía e na qual participaram profissionais do setor do ambiente e representantes da comunidade escolar, foi lançado o evento “Energia para a sustentabilidade local, apoios e desafios para o período 2014-2020”, seminário agendado para os dias 28 e 29, em Palmela.

APOIOS

AMRS
Setúbal é um Mundo
Câmara Municipal de Setúbal. ©
Todos os direitos reservados

website concebido por dodesign