18 de Outubro de 2017
17º
max. 18º
min. 14º
notícias
iniciativas em destaque
círio 11 de Julho de 2016
Gentes do mar mostram-se no Sado

Cerca de duas dezenas de embarcações, segundo a comissão organizadora, participaram nos dois cortejos marítimos que marcaram, nos dias 9 e 10, as Festas do Novo Círio Marítimo em Honra de Nossa Senhora da Arrábida.

O cortejo de barcos engalanados pelo rio Sado, recuperado em 2015 após um interregno de cerca de quarenta anos, regressou este ano na sua plenitude, em dois dias, com embarque e desembarque, constituindo o ponto alto das festas da comunidade piscatória da Anunciada, com mais de quatrocentos anos de história.

Os barcos partiram da Doca dos Pescadores no dia 9 de manhã, após a realização de uma procissão que saiu da Igreja de Nossa Senhora da Anunciada, e passaram pela Senhora do Cais e pelo Outão, para terminar na Praia do Creiro.

Duas embarcações dos Bombeiros Voluntários de Setúbal ajudaram a fazer o desembarque das pessoas e da imagem de Nossa Senhora da Arrábida, na Praia do Creiro, tendo depois a festa seguido para o Convento da Arrábida, para colocação da imagem.

No dia 10 foi dia de regresso à praia onde, de acordo com o presidente da Comissão de Festas, Valter Canas, “uma centena e meia de pescadores, familiares e amigos participaram num almoço comunitário”.

Após o almoço, o cortejo de barcos engalanados liderados pela “Maravilha do Sado”, embarcação tradicional recuperada pela Câmara Municipal, que transportou a imagem de Nossa Senhora da Arrábida, regressou a Setúbal.

“No Outão e na Praia da Saúde, à chegada a Setúbal, havia muita gente a ver o cortejo. Foi um momento bonito”, recorda Valter Canas.

O presidente da comissão de festas faz um balanço positivo da revitalização do novo círio marítimo que, este ano, realizou-se “com a configuração desejada para o futuro, embora ainda haja arestas por limar”.

As correções a fazer prendem-se, essencialmente, com as restrições ao desembarque na Praia do Creiro que, de acordo com Valter Canas, foram uma das condicionantes à participação de mais barcos no primeiro dia do cortejo.

Apesar de as Festas de Nossa Senhora da Arrábida nunca terem terminado, na década de 70 foi interrompido o círio marítimo realizado por pescadores entre a cidade e a serra.

A tradição popular associa as festividades à aparição da Virgem Maria na serra, durante um temporal, emitindo uma luz intensa na encosta que ajudou uma tripulação desnorteada e em aflição a chegar a bom porto.

APOIOS

AMRS
Setúbal é um Mundo
Câmara Municipal de Setúbal. ©
Todos os direitos reservados

website concebido por dodesign