20 de Outubro de 2017
18º
max. 23º
min. 18º
notícias
iniciativas em destaque
festival 01 de Junho de 2015
Música com bom clima em Setúbal

Dezasseis eventos, entre concertos, debates, poesia e exposições, em vários equipamentos e espaços públicos do concelho, inspirados no tema “Clima”, preencheram, entre os dias 28 e 31, o Festival de Música de Setúbal 2015.

O certame promoveu a cultura e o património musical do concelho, conjugando artistas consagrados com projetos da comunidade local, numa organização da A7M – Associação Festival de Música de Setúbal, com apoio da Câmara Municipal, da The Helen Hamlyn Trust e da Fundação Calouste Gulbenkian.

A quinta edição do evento começou com “As Quatro Estações”, espetáculo realizado no dia 28 à noite, no Fórum Municipal Luísa Todi, com a Orquestra de Câmara Portuguesa a dividir o palco com jovens músicos da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi e do Conservatório Regional de Setúbal.

O concerto, com direção do violinista sueco Hugo Ticciati, incluiu interpretações de “As Quatro Estações” de Antonio Vivaldi, e de “As Quatro Estações de Buenos Aires”, de Astor Piazzola, com arranjos deAltube e Desyatnikov.

Na manhã de dia 29, perto de mil crianças e jovens de escolas e grupos comunitários de Setúbal encheram o Auditório José Afonso com uma demonstração de percussão, dirigida por Fernando Molina, e depois espalharam ritmos num desfile pela Avenida Luísa Todi.

De tarde, na Casa d’Avenida, escritores e poetas da editora Douda Correria partilharam a sua obra com alunos de escolas do concelho, evento integrado na exposição “Poética do Tempo”.

O programa do Festival de Música de Setúbal prosseguiu, ao final da tarde de dia 29 com o espetáculo “AIME! Do Ritual à Profanação”, no Fórum Municipal Luísa Todi, que juntou em palco grupos de diferentes origens e culturas para ilustrar a relação do Homem com a Natureza ao longo dos tempos.

O evento, com direção musical de Fernando Altube e projeto de Elsa Mobilha e Filomena Vargas, contou com as participações das classes Orff e do Coro Juvenil da Academia de Música e Belas-Artes Luísa Todi, da APPACDM de Setúbal, da Associação Cabo-Verdiana de Setúbal e do Universe Gong.

O certame apresentou o espetáculo multidisciplinar “Tempestade (num copo de água?)”, em duas sessões, dia 29 à noite, no Salão Nobre dos Paços do Concelho, que juntou a cantora e atriz Ana Brandão e o pianista João Paulo Esteves da Silva ao Coral Infantil de Setúbal.

A programação de dia 30 começou em Vila Fresca de Azeitão, com a Quinta da Bacalhôa a receber, de manhã, “Música no Palácio”, em que participaram a Banda de Música da Sociedade Filarmónica Capricho Setubalense, os BelaBatuke, o tocador de carnyx John Kenny e o quarteto de metais Pandora’s Box.

Diversos grupos de jovens do Conservatório Regional de Setúbal partilharam, igualmente a 30 de manhã, sonoridades pelas ruas do centro histórico da cidade no concerto itinerante “Há Música no Ar”. 

A exposição “Poética do Tempo” da Casa d’Avenida voltou a servir de pretexto para um evento do Festival de Música de Setúbal, no dia 30 à tarde, desta feita para uma conversa com Luís Pessanha, presidente da Associação Portuguesa de Meteorologia e Geofísica, e António Sampaio Correia, neurocientista e psiquiatra, a par de apontamentos poéticos.

Ali perto, o Coreto da Avenida Luísa Todi recebeu um concerto da Banda da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense, que interpretou temas do seu reportório.

Num dos pontos altos, o novo Ensemble Juvenil de Setúbal, criado no âmbito do Festival de Música de Setúbal, com jovens músicos do concelho que interpretam várias sonoridades musicais, fez a estreia na programação do certame, dia 30 ao fim da tarde, no Fórum Luísa Todi, com o espetáculo “A Tempo”, dirigido por Rui Borges Maia.

“A Terra Tremeu” à noite, ou pelo menos na Igreja de Santa Maria da Graça, com um concerto de música sacra, com peças inspiradas em desastres naturais ou criadas no espírito da ira divina, a cargo do Officium Ensemble, acompanhado do quarteto de metais Pandora’s Box e do coro do Conservatório Regional de Setúbal.

Depois da tempestade, a bonança, a manhã de dia 31 começou com a “Suite da Maré”, no Moinho de Maré da Mourisca, em que os sons da natureza se misturaram com os dos instrumentos tradicionais do Grupo de Música Contemporânea do Conservatório Regional de Setúbal, do Externato Rumo ao Sucesso e de John Kenny, sob direção de António Laertes e Pedro Condinho.

À tarde houve “Mudanças de Clima”, com novas canções criadas e interpretadas por centenas de crianças de Setúbal, acompanhadas pelos músicos de fado Tiago Oliveira, guitarra clássica e direção musical, Miguel Batista, guitarra portuguesa, Rui Silva, contrabaixo e baixo elétrico, e Diogo Melo de Carvalho, percussão.

O espetáculo, realizado no Fórum Municipal Luísa Todi, com coordenação de Carlos Barreto Xavier, juntou classes da APPACDM e coros de escolas do 1.º ciclo do concelho e do Coral Infantil de Setúbal, com direção do maestro Nuno Batalha.

Antes, ainda houve clima para um pré-concerto, na entrada da sala de espetáculos, com o Ensemble de Saxofones do Conservatório Regional de Setúbal.

A quinta edição do Festival de Música de Setúbal acabou com “Maré Alta”, com o trio Pedro Jóia, na guitarra, João Frade, no acordeão, e Norton Daiello, no baixo elétrico, a juntaram-se a jovens percussionistas do Ensemble Juvenil de Setúbal e a Rui Borges Maia, na flauta, em espetáculo realizado, dia 31 à noite, no Fórum Luísa Todi.

APOIOS

AMRS
Setúbal é um Mundo
Câmara Municipal de Setúbal. ©
Todos os direitos reservados

website concebido por dodesign