28 de Fevereiro de 2017
13º
max. 15º
min. 9º
História
iniciativas em destaque
início > Concelho > História > Paços do Concelho
Paços do Concelho

As salas de Sessões e do Município, o Salão Nobre, a loja Coisas de Setúbal e o Arquivo são alguns pontos de interesse deste edifício que acolhe vários outros serviços municipais.

Se atualmente serviços como a Administração Geral e Finanças se concentram nos Paços do Concelho, nos antigos Paços Municipais, construídos no século XVI, na Praça do Sapal, hoje Praça de Bocage, funcionavam organismos anexos de administração, como o Paço do Trigo, a Cadeia e os Açougues.

Este primeiro edifício, concretizado pelo rei D. João III, sofreu, ao longo dos séculos, várias remodelações na sequência dos danos causados por chuvas torrenciais e terramotos, em particular o de 1755, que obrigou à transferência do Arquivo Municipal para o Convento de Brancanes.

Mais tarde, por volta de 1875, na presidência de Rodrigues Manito, os Paços do Concelho foram ampliados, passando a albergar, além da Câmara Municipal, serviços como o Tribunal e a Repartição de Fazenda.

Já no século XX, no alvor da República, um incêndio na noite de 4 para 5 de outubro de 1910 arruinou todo o edifício, deixando apenas de pé a fachada. A administração municipal passou a funcionar, durante vários anos, no Liceu Bocage, até à conclusão das obras de reconstrução, em 1938, da responsabilidade do arquiteto Raul Lino.

Pelos Paços do Concelho da Câmara Municipal de Setúbal passaram figuras como madre Teresa de Calcutá, o rei de Espanha Juan Carlos e vários presidentes da República Portugesa.

História conservada

Muita da história dos Paços do Concelho ficou irremediavelmente perdida, com a documentação consumida pelas chamas de 1910.

Da história documentada do Município, apenas se percorrem quatro quilómetros lineares.

Os cem anos construídos pós-revolução republicana são tratados, com dedos enluvados, no local mais recôndito dos Paços do Concelho, o sótão. O Arquivo Municipal reúne toda a atividade do Município.

A dimensão é tal que, por falta de espaço no edifício da Praça de Bocage, o espólio constituído entre 1910 e 1949 foi transferido para o Arquivo Distrital, nas Manteigadas.

Corredores repletos de testemunhos, desde recursos humanos a processos urbanísticos, estendem-se ao longo do último piso dos Paços do Concelho. Prateleiras acolhem papel amarelecido pelo tempo e conservado por técnica própria dos profissionais da área.

Além dos tombos escritos, pormenores da história local, económica e social podem ainda ser explorados em arquivos fotográficos e digital.

Outro contador de histórias, as das grandes personalidades do Município, está no Salão Nobre, no primeiro piso. Trata-se do Tríptico dos Setubalenses Ilustres, obra de arte pintada por outro não menos ilustre setubalense, Luciano dos Santos, onde perpetuou figuras da história setubalense.

O conjunto de três painéis, encomendado pela Autarquia, encontra-se nos Paços do Concelho desde 9 de janeiro de 1957. Nele estão retratados os notáveis de sete séculos de história setubalense, remontando à Idade Média, com os cavaleiros espatários, até vultos artísticos de outras eras, como João Vaz, Luísa Todi, Bocage, Morgado de Setúbal, Silvestre Serrão ou Vasco Mouzinho de Quevedo.

Sala do Município

A história de Setúbal está também patente em espaço próprio, decorado nos tons do Município. Inaugurada em 2010, por ocasião das comemorações dos 150 anos da elevação de Setúbal a cidade, a Sala do Município dá a conhecer cerca de 50 presidentes da Autarquia, de 1733 à atualidade, que contribuíram para a construção biográfica da identidade setubalense.

A simbologia do brasão e das medalhas honoríficas, bem como as relações de cooperação com vários países, figuram neste espaço de conhecimento local.

Porque a história é feita igualmente pelos saberes e sabores de uma cultura, na Loja Coisas de Setúbal, localizada ao lado da entrada principal dos Paços do Concelho, podem-se encontrar muitos dos produtos – como o mel, o moscatel e a casca de laranja, entre tantos outros – que fazem desta região uma terra em que dá gosto viver.

Interesse Municipal

Todo este historial conduziu a que os Paços do Concelho estejam classificados como Imóvel de Interesse Municipal desde 2012.

A 15 de setembro de 2016, pelas comemorações do Dia de Bocage e da Cidade, o edifício voltou a beneficiar de novos trabalhos de remodelação.

A intervenção incidiu, maioritariamente, ao nível decorativo e de conforto, com o edifício a receber nova pintura interior e exterior, novo mobiliário e várias peças de arte, grande parte delas provenientes da coleção do Museu de Setúbal, conferindo aos Paços do Concelho características museológicas que reforçaram o protagonismo que assume como ponto de visita turístico no concelho de Setúbal.

APOIOS

AMRS
Setúbal é um Mundo
Câmara Municipal de Setúbal. ©
Todos os direitos reservados

website concebido por dodesign