13° Muito nublado
Comemorações dos 46 anos do 25 de Abril | hastear da bandeira

O Serviço Nacional de Saúde, valiosa conquista de Abril e, hoje, na linha da frente no combate à Covid-19, foi exaltado pela presidente da Câmara Municipal de Setúbal nas comemorações dos 46 anos da Revolução dos Cravos.


“Vivemos um tempo difícil, que nos une num combate severo para defender a vida de todos”, sublinhou Maria das Dores Meira, ao afirmar que esta é uma nova razão para recordar que a liberdade e a dignidade têm um preço. “A defesa do bem comum, uma sociedade mais justa, mais solidária, inovadora, criativa e corajosa.”

A pandemia do coronavírus Covid-19, apontou a autarca, “obriga-nos a meditar que nada nesta vida é garantido se não soubermos defender as conquistas que Abril nos trouxe e, de entre elas, está o Serviço Nacional de Saúde, que protege e cuida de todos os portugueses”.

As valiosas conquistas da Revolução dos Cravos perduram. “Nesta data, há 46 anos, se fez a mudança que nos devolveu a liberdade e a dignidade.” Contudo, advertiu, este é um caminho que não está terminado. ”Há tanto por concretizar numa sociedade em que todos, sem exclusão, usufruam de uma vida digna.”

A saudação das comemorações do 25 de Abril de 1974 foi, pela primeira vez, partilhada por Maria das Dores Meira por um meio audiovisual, algo que a presidente da autarquia espera que não se repita mas, devido ao distanciamento social a que população está sujeita, foi necessário para celebrar a Liberdade.

“Ao cumprirmos as regras do Estado de Emergência protegemos o bem maior que é a vida de todos nós, louvando a coragem e a dedicação de todos os profissionais do Serviço Nacional de Saúde, forças de segurança, proteção civil, bombeiros, serviços municipais e freguesias, instituições e voluntários que estão na linha da frente no combate contra um inimigo invisível mas implacável.”

A presidente da Câmara Municipal de Setúbal frisou ainda que na adversidade vale muito mais a união. “A doença contagiosa que varre todo o planeta vem-nos ensinando como juntos valemos mais do que a manta de retalhos de um mundo dividido, arrogante, destrutivo e sem cooperação.”

Os 46 anos da Revolução dos Cravos, salientou o presidente da Assembleia Municipal de Setúbal, André Martins, em intervenção na sessão solene difundida ao final da noite de dia 24 em vídeo nos canais digitais, são assinalados num momento em que o país enfrenta a maior crise sanitária da democracia.

“Apesar dos condicionalismos que vivemos e com a convicção de que o 25 de Abril se deve comemorar no espaço público, a Assembleia Municipal de Setúbal, respeitando as regras do confinamento e do isolamento social, não quis deixar de assinalar o Dia da Liberdade”, indicou.

“Ontem como hoje, a nossa luta como povo continua. Em 25 de Abril de 1974 saímos à rua para derrubar a ditadura e o fascismo e afirmar a liberdade na construção de um Estado democrático. Hoje ficamos em casa para combater o coronavírus. Assumimos responsavelmente a luta pela defesa da vida.”

André Martins elogiou o cumprimento generalizado “das exigências de confinamento e isolamento social” motivadas pela Covid-19 e deixou uma saudação especial pelo “esforço e dedicação de todas e de todos os que, com risco da própria vida, continuam a trabalhar para o bem comum”.

Num paralelismo entre o passado e o presente, o presidente da Assembleia Municipal de Setúbal enalteceu o prestígio português. “Ontem, a Revolução dos Cravos mereceu-nos o reconhecimento e a admiração da comunidade internacional. Hoje somos elogiados pela forma serena, mas determinada, como combatemos a pandemia.”

Assim, salientou, estas são razões para que nos sintamos orgulhosos de ser portugueses “e, por maioria de razão, setubalenses e azeitonenses, nestas terras onde Abril floriu”, para depois desafiar a população para, às 15h00, a partir de casa, em nome da Liberdade, ir à janela para cantar “Grândola, Vila Morena”.

O filme da sessão solene contou ainda com intervenções de representantes de todas as forças partidárias com assento na Assembleia Municipal. Esta sessão especial começou com a Marcha do MFA e terminou com o Grândola, Vila Morena cantado com vozes feminina e masculina e o Hino Nacional.

As comemorações dos 46 anos do 25 de Abril incluíram, no período da manhã, a cerimónia protocolar de hastear da bandeira nos Paços do Concelho e a deposição de flores no monumento à resistência antifascista na Avenida Luísa Todi, com a União de Resistentes Antifascistas Portugueses.

À tarde, a população, a partir de casa, foi às janelas para cantar, em uníssono e em nome da Liberdade, o tema “Grândola, Vila Morena”.

A festa de Abril, este ano afastada das ruas de Setúbal, foi assinalada de forma inédita com um programa que exaltou a celebração da Liberdade em casa, com um conjunto de atividades realizadas à tarde no âmbito da iniciativa Dentro de Casa, integrada no programa Setúbal em Casa com Arte.

Este programa cultural intenso, eclético e dinamizado a pensar na população, foi disponibilizado gratuitamente nas páginas oficial e de facebook da Casa da Cultura.