13° Chuviscos
Exposição 45.90 - Comemorações do 25 Abril

Entre Abril e Zeca Afonso, a mostra fotográfica e documental “45.90”, inaugurada no dia 13, na Galeria Municipal do 11, partilha até 25 de maio conquistas da Revolução dos Cravos e aspetos revelantes da vida do cantautor.


Direitos humanos básicos e sociais, saúde, igualdade de género, educação e as mudanças físicas e mentais nas pessoas, em Setúbal, logo após a Revolução dos Cravos integram a mostra organizada pela Câmara Municipal de Setúbal no âmbito das comemorações dos 45 anos do 25 de Abril e 90 do nascimento de Zeca Afonso.

“Celebrar Abril faz ainda mais sentido nestes tempos”, salientou o vereador da Cultura na Câmara Municipal de Setúbal, Pedro Pina, na inauguração, até porque, “a Liberdade foi uma conquista difícil”, razão pela qual nunca é de mais lembrar o fim do fascismo, “em particular às novas gerações”.

O autarca destacou que “45.90”, um “desafio cultural de dificuldade acrescida” que apresenta conteúdos históricos sobre os efeitos da Revolução dos Cravos em Setúbal e os 90 anos do nascimento de José Afonso, culminou numa exposição “criativa e inovadora”, para a qual contribuíram “vários serviços camarários”.

O processo de apoio à construção de casas para pessoas desfavorecidas, designado SAAL – Serviço de Apoio Ambulatório Local, que em Setúbal surgiu em cinco pontos estratégicos da cidade, concretamente Casal das Figueiras, Forte Velho, Pinheirinhos, Bairro da Liberdade e Terroa de Baixo, é um dos destaques.

“O direito à habitação é precisamente um dos momentos mais marcantes após o 25 de Abril de 1974”, afirmou Pedro Pina, ao passar em revista as várias cooperativas sociais que surgiram na cidade nos anos que se seguiram. Por isso, vincou, “Abril é hoje e será sempre”.

Só em Setúbal, entre 1976 e 1986, surgiram seis cooperativas de habitação, concretamente a “Força de Todos”, a “Bem-Vinda a Liberdade”, a União Praiense, o Bairro dos Trabalhadores, as Manteigadas e a CHE Setúbal, que, juntas, resultaram na criação de perto de três mil fogos.

Além da habitação, o núcleo foto-documental de “45.90” dedicado ao 25 de Abril, enriquecido com mapas, tabelas e gráficos, aborda direitos relevantes conquistados em áreas como a saúde e a educação, os direitos laborais, a igualdade de género e as condições de vida.

Nas paredes da Galeria Municipal do 11 estão ainda inscritos os nomes das comissões de trabalhadores que proliferaram em todo o parque industrial da cidade, desde as grandes até às pequenas unidades de produção, como é exemplo o Café Central, a Serração do Monte Belo, a TELED – Multinacional e a Herdade da Gâmbia.

“45.90” dedica igualmente um núcleo a Zeca Afonso, o qual proporciona uma viagem pela vida do cantautor, que, este ano, faria 90 anos. “Além de Abril, celebramos Zeca Afonso, que sempre teve uma relação forte com Setúbal”, destacou o vereador Pedro Pina.

A passagem de José Afonso, nascido a 2 de agosto de 1929 em Aveiro, por Coimbra, Algarve e África, Setúbal e Azeitão é apresentada em vários textos biográficos, enquanto excertos de músicas mais icónicas exaltam memórias de outros tempos que se mantêm atuais.

A exposição “45.90”, a qual é acompanhada da oferta de cinco pequenos crachás comemorativos das efemérides, disponíveis no local, pode ser visitada gratuitamente na Galeria Municipal do 11 até 25 de maio, de terça a sexta-feira das 11h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00 e ao sábado apenas de tarde.