19° Céu limpo
Coronavírus Covid-19 | alojamento de sapadores | Casa do Largo

Perto de três dezenas de profissionais de saúde e elementos de forças de proteção e socorro a trabalhar em Setúbal na linha da frente no combate à pandemia Covid-19 optaram por ficar temporariamente alojados em várias instalações da cidade.


As saudades apertam. Há duas semanas que uma dezena de profissionais de saúde, um elemento da Guarda Nacional Republicana e dez bombeiros sapadores decidiram ficar afastados de casa, longe das famílias. Fazem-no por vontade própria, sem caprichos. Uma escolha difícil, mas racional.

A proteção individual e, sobretudo, a segurança daqueles que mais amam deram sentido à decisão de ficarem alojados na Casa do Largo – Pousada da Juventude, cedida pela Câmara Municipal de Setúbal, e no Hotel de Aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal, do Turismo de Portugal.

A pandemia da Covid-19 está a mudar o mundo tal como o conhecemos. A luta é de todos. A uns é pedido que fiquem em casa. Outros, sem essa opção, estão na linha da frente no combate a esta doença. Um fardo que, para estes, é bem mais difícil de suportar, pelo trabalho intenso e, também, pela saudade.

Os dez elementos da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal são rendidos, no dia 4, por outros colegas. Terminam uma jornada de trabalho concretizada ao longo de duas semanas ininterruptas, em que estiveram de prontidão, para qualquer ocorrência, ao longo de 24 horas diárias.

“Optámos por ter a companhia a funcionar com 50 por cento dos elementos, uma gestão que garante, durante a pandemia do coronavírus, uma melhor operacionalidade, eficácia e disponibilidade dos bombeiros”, explica o comandante da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, Paulo Lamego.

A decisão de ficar temporariamente longe de casa é aplaudida pelo comandante. “Um espírito altruísta, pois pensaram na segurança e na proteção própria e das suas famílias, e que tem reflexos no próprio desempenho, pois, em alguns casos, são evitadas deslocações longas diárias.”

Este esforço suplementar no combate à Covid-19 é partilhado por um elemento da Guarda Nacional Republicana e por dez profissionais de saúde que desempenham funções no Centro Hospitalar de Setúbal, que estão alojados no Hotel de Aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal.

Com a decisão de ficarem instalados naquelas instalações, estes profissionais evitam deslocações diárias, sobrecarregando ainda mais uma jornada de trabalho intensa, e reduzem, igualmente, o risco de contaminação do novo coronavírus, uma vez que estão na primeira linha de combate a esta pandemia.

A Casa do Largo – Pousada da Juventude e o Hotel de Aplicação da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal são apenas dois dos locais disponíveis para estes profissionais. “Há mais capacidade de alojamento para quem quiser”, indica o coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, José Luís Bucho.

Complementarmente ao alojamento, a Câmara Municipal de Setúbal está a garantir o funcionamento de escolas e o fornecimento de refeições aos alunos do concelho beneficiários do escalão A nos estabelecimentos de ensino de acolhimento aos filhos dos trabalhadores dos serviços essenciais.

As refeições são confecionadas na cozinha da EB Luísa Todi e depois transportadas em cuvetes para serem servidas às crianças beneficiárias de apoio social com escalão A do abono de família.

Os filhos de profissionais de saúde, das forças de segurança e de proteção civil que tenham de permanecer nos estabelecimentos de ensino referenciados para acolhimento também têm refeição garantida.

A requisição das refeições tem de ser efetuada até à hora de almoço da véspera do dia pretendido.

Os estabelecimentos de ensino referenciados no concelho para acolhimento são a EB Barbosa du Bocage, a EB de Azeitão, em Vila Nogueira, a Escola Básica e Secundária Lima de Freitas, a EB 2,3 Luísa Todi, a Escola Básica e Secundária Ordem de Sant’Iago e a EB da Azeda.