18° Parcialmente nublado
Bairros dos Pescadores e Grito do Povo - inauguração de obras

O espaço público dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo foi devolvido à população com condições renovadas, resultado de uma operação de reabilitação de larga escala, liderada pelo município, com o envolvimento dos moradores.


O povo saiu à rua, na tarde de dia 7, para festejar um momento de história na vida dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo. Ali, naquelas zonas habitacionais construídas entre os anos 60 e 70, residem mais de milhar e meio de pessoas, a grande maioria de famílias com ligação às atividades da pesca e da indústria conserveira.

A festa fez-se a caminhar, por ruas que ganharam novos e condignos acessos pedonais, entre escarpas limpas e desmatadas, agora transformadas em jardins que vão ainda florescer, passando por novas áreas destinadas ao lazer e também ao recreio, com parques infantis e máquinas geriátricas.

Uma caminhada feita de sorrisos estampados nos rostos de velhos e novos, orgulhosos pelos bairros renovados, que também têm arte, requalificados numa profunda operação urbanística liderada pela Câmara Municipal de Setúbal e resultado de um investimento, com apoio comunitário, de perto de dois milhões de euros.

“Daqui de cima vê-se o resto de Setúbal. Deste pedaço da cidade vê-se mais longe. Aqui sonha-se. E faz-se”, assinalou a presidente da Câmara Municipal, Maria das Dores Meira, na “Caminhada Setúbal Conserva”, que assinalou a inauguração das obras dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo.

A intervenção urbanística foi concretizada em conjunto com os moradores, em “estratégias colaborativas que envolveram os habitantes diretamente no processo de decisão”, até porque, vincou a autarca, “a transformação no e do espaço público só se faz com quem o usa e o vive”.

Neste espírito de município participado, transversal a todo o trabalho realizado pela Câmara Municipal de Setúbal, foram feitas dezenas de reuniões, visitas técnicas e oficinas colaborativas, que juntaram o Executivo, técnicos municipais e moradores num olhar coletivo dos bairros e na definição de ações prioritárias.

“Em 2014 decidimos priorizar o investimento técnico e financeiro neste território rico em história e em marcas físicas que interligam o rio à serra, com percursos e escadas cujo limite quase chega ao céu, azinhagas e becos, muralhas e castelos, casas abarracadas e moradias”, recordou Maria das Dores Meira.

A decisão levou a autarquia a apresentar uma candidatura ao Plano de Ação Integrado para Comunidades Desfavorecidas do Plano Estratégico de Desenvolvimento Urbano, o qual obteve um financiamento de cerca de dois milhões de euros, comparticipado a 50 por cento através do Programa Operacional Regional Lisboa 2020.

A operação realizada nestes bairros permitiu a criação de zonas de lazer, de estadia e de circulação, assim como áreas de enquadramento, incluindo espaços verdes, que contribuem para uma maior versatilidade de usos do espaço público e em condições favoráveis de maior conforto urbano.

Entre os trabalhos, alguns executados com o apoio da União das Freguesias de Setúbal, como a renovação das escadas agora designadas de “Caminho dos Pescadores”, fizeram parte a criação de acessos pedonais, o reforço da iluminação pública e a criação de bolsas de estacionamento,

Neste percurso de requalificação, que contemplou a renovação de sistemas de saneamento e de abastecimento de água, a par de redes de drenagem de águas pluviais, fizeram parte as ruas de São Pedro, de Nossa Senhora do Carmo, Senhor Jesus dos Aflitos e São Luís Gonzaga e a Praceta Stella Maris.

Destaque para o espaço público junto da EB do Viso, agora com um renovado campo de jogos, que serve também a escola, duas estações com equipamentos infantis e uma obra de arte que materializa um dos traços identitários e que une os bairros dos Pescadores e Grito do Povo.

“Uma iniciativa que torna funcional um espaço desportivo, muito ambicionado pela comunidade e também pela escola”, agora com “lazer dirigido à infância, onde se pode estar e conviver, e mais valorizado com um elemento artístico”, adiantou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal.

“Setúbal Conserva” dá nome à escultura materializada numa lata de sardinhas executada em fibra de vidro pelo Parque Éden. “Uma extraordinária peça artística que marca e deixa marca, naquela que é uma referência à indústria e às profissões associadas à vida” setubalense, frisou.

A “Caminhada Setúbal Conserva”, que, no percurso, contou com um conjunto de apontamentos culturais com estátuas vivas e atuações de Bombo’Sapiens, da APPACDM de Setúbal, da ESTuna e da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense, culminou na Rua Grito do Povo, que exibe um mural que exprime o grito, embora silencioso, de todos.

Aquele local, com uma vista de excelência para a malha urbana citadina, abraçada por uma das mais belas baías do mundo, foi um dos beneficiados, ao receber um novo parque infantil e zonas de lazer, incluindo mobiliário urbano com jogos tradicionais integrados, e máquinas geriátricas.

Maria das Dores Meira afirmou que as obras inauguradas constituem “uma etapa do percurso começado, feito lado a lado [autarquia e moradores], mas que é contínuo e ainda está inacabado”.

Porque ainda é preciso fazer mais. “Aqui continuaremos a intervir, tornando os espaços mais úteis e, sobretudo, de convivência pública.”

A caminhada começou em festa e terminou em convívio, com comes e bebes ao som da música de Jorge Nice, o melhor desfecho de um sonho acordado com que se fez a realidade, até porque, vincou Maria das Dores Meira, “aqui sonha-se com uma vida melhor, com mais cidade, com mais trabalho para todos”.