Parcialmente nublado
Concurso Poesia Popular - entrega de prémio - Bicentenário Calafate

António José Barradas Barroso venceu o Prémio Nacional de Poesia Popular António Maria Eusébio cuja cerimónia se realizou no dia 23, na Galeria Municipal do 11.


O concurso literário, organizado pela Uniseti – Universidade Sénior de Setúbal, com o apoio da Câmara Municipal, visa estimular a criatividade, valorizar a produção literária e fomentar hábitos de escrita e de leitura, bem como contribuir para a divulgação do poeta nascido em Setúbal em 1819.

Nesta primeira edição do concurso, que integra as comemorações do bicentenário do nascimento de António Maria Eusébio, com um programa de atividades que decorre até dezembro, evocativo do carismático poeta popular, conhecido por Calafate, participaram 34 concorrentes, com 62 produções, avaliadas por um júri composto por Manuela Palma Rodrigues, Maria Alice Silva e Arlindo Mota.

António José Barradas Barroso, que concorreu com o pseudónimo de “Tiago”, venceu, mas, por motivos de saúde, não compareceu no evento, recebendo um prémio monetário no valor de 750 euros.

Na cerimónia, o vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Manuel Pisco Lopes, destacou a “homenagem feita à poesia, ao Calafate e às artes do mar” e a “ligação à cultura popular e à poesia.

Já o presidente da Uniseti, Arlindo Mota, referiu que o Prémio Nacional de Poesia Popular António Maria Eusébio é uma “ideia antiga”, agora concretizada. “Desde o início da Uniseti que nos ocorreu homenagear Calafate. Assaltavam-nos algumas dúvidas, que têm a ver com a evolução da poesia moderna, que se libertou das formas pré-estabelecidas de compor, mas este programa comemorativo foi a ocasião ideal para avançar.”

As Comemorações do Bicentenário do Nascimento de António Maria Eusébio (1819-1911) foram iniciadas no ano passado, com o lançamento no sítio da internet do Arquivo Distrital de Setúbal do registo de batismo do homenageado, acompanhado de transcrição paleográfica e de uma cerimónia dos 50 anos do monumento do Calafate, no Jardim do Bonfim.

O programa evocativo está a incluir, ao longo de 2019, exposições, atuações musicais, conferências, apresentação de livros, atividades de poesia e performances cénicas.

António Maria Eusébio, calafate de profissão, e também conhecido como “o cantador de Setúbal”, foi um carismático autor popular, que, embora simples e iletrado, relatou em poemas e cantigas a evolução do burgo setubalense na transição do século XIX para o século XX.

Nascido em Setúbal a 15 de dezembro de 1919, morre a 22 de novembro de 1011. Os 108 anos da morte do poeta foram também agora assinalados no programa das comemorações, na sexta-feira, com uma romagem ao Cemitério de Nossa Senhora da Piedade, onde foi depositada uma coroa de flores na campa do poeta.

A Câmara Municipal de Setúbal, o Museu de Arqueologia e Etnografia do Distrito de Setúbal, o Arquivo Distrital de Setúbal, a Liga dos Amigos de Setúbal e Azeitão, a Associação Casa da Poesia, o Centro de Estudos Bocageanos, o Rotary Club de Setúbal e a Universidade Sénior de Setúbal organizam as comemorações.