18° Muito nublado
Cidade do Conhecimento | reunião do Conselho Consultivo

O Conselho Consultivo do Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento de Setúbal reuniu-se no dia 20, pela primeira vez, para lançar as bases gerais da implementação deste projeto inovador, para o qual se ambiciona a captação de investimento de âmbito mundial.


Este primeiro encontro serviu para partilha e debate de ideias e propostas, bem como a discussão das linhas gerais que vão definir a futura Cidade do Conhecimento, projeto do The Pitroda Group LLC, que prevê a edificação de infraestruturas modernas, numa área de 180 hectares na zona do Vale da Rosa, capazes de aglutinar e potenciar a cooperação entre várias entidades com atividade na área da inovação.

As 14 entidades que constituem o Conselho Consultivo reuniram dia 20, num encontro que contou com a participação, por teleconferência, do empresário Sam Pitroda, fundador do The Pitroda Group LLC.

“A Cidade do Conhecimento vai criar um cluster de conhecimento capaz de atrair investimento de todo o mundo”, salientou Sam Pitroda, sublinhando que o projeto é um passo importante e significativo para a modernização dos atuais paradigmas de desenvolvimento económico da região e, consequentemente, do país.

O projeto conta com a parceria estreita da Câmara Municipal de Setúbal, com a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira, também presente na reunião de dia 20 à tarde, a destacar que a futura Cidade do Conhecimento, para a qual ainda será necessário “partir muita pedra” para que se torne realidade, será algo “único no país” e capaz de reunir “experiências que podem ser replicadas noutros territórios”.

A Cidade do Conhecimento, idealizada pelo The Pitroda Group LLC, prevista para uma área de 180 hectares no Vale da Rosa, próximo de um importante polo industrial e de serviços do concelho, bem como do campus do Instituto Politécnico de Setúbal, vai ser um local onde pessoas e empresas vão viver, trabalhar, cooperar e inovar em conjunto.

A criação de uma plataforma capaz de concentrar geograficamente os stakeholders de um determinado setor, potenciando a troca de conhecimentos de modo eficaz, é outro dos objetivos da Cidade do Conhecimento de Setúbal.

Para este projeto, o empresário e filantropo indiano Sam Pitroda quer construir escritórios, área residencial, hotel, centro de conferências, hospital, escolas e universidades, zonas comerciais, parques de estacionamento, assim como polos de lazer, arte e cultura.

Além do The Pitroda Group LLC e da Câmara Municipal de Setúbal, o Conselho Consultivo é constituído pelas cinco juntas de freguesia do concelho, Assembleia Municipal, Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, AICEP Portugal Global, AISET – Associação da Indústria da Península de Setúbal e Área Metropolitana de Lisboa.

BlueBiz Global Park, Centro de Emprego e Formação Profissional de Setúbal, Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo, Fundação Escola Profissional de Setúbal e Instituto Politécnico de Setúbal também integram o Conselho Consultivo.

Este primeiro encontro, que incluiu a presença de Gustavo Miedzir, representante de Sam Pitroda em Portugal, realizou-se cinco meses depois da assinatura do protocolo de cooperação entre o município de Setúbal e o grupo de Sam Pitroda para a elaboração do Plano Estratégico da Cidade do Conhecimento.

Além da articulação funcional e urbanística com a cidade, o plano, que está a ser elaborado pela consultora CEDRU – Centro de Estudos e Desenvolvimento Regional e Urbano, identificará as áreas de conhecimento adequadas aos objetivos e à realidade de Setúbal e da região.

À Câmara Municipal de Setúbal compete, entre outros objetivos, elaborar um Plano de Pormenor que permita a implantação das infraestruturas previstas, fase que ocorrerá apenas depois do The Pitroda Group LLC assegurar a sustentabilidade económica e financeira do projeto, nomeadamente, através da angariação de investidores.

Satyan Pitroda, de 77 anos, conhecido como Sam Pitroda, é engenheiro, inventor e empresário do setor das telecomunicações, tendo desempenhado as funções de consultor do primeiro-ministro indiano Rajiv Gandhi durante quase uma década.

Nos últimos quarenta anos, manteve atividade no setor das telecomunicações na Europa, Estados Unidos da América e Índia, tendo colaborado com a Internacional Telecom Union no desenvolvimento de infraestruturas de telecomunicações em países em vias de desenvolvimento.