12° Parcialmente nublado
Filme Reino Maravilhoso Carlos Silveira

Uma curta-metragem do realizador freelancer setubalense Carlos Silveira integra a programação da 17.ª edição da Mostra da Cultura Portuguesa, evento que decorre até ao final do ano em diversas cidades espanholas.


A curta-metragem ficcionada “O Maravilhoso Reino da Terra”, título adaptado da expressão “Um Reino Maravilhoso” de Miguel Torga, revela o caminho que Carlos Silveira tem vindo a explorar como freelancer, desde 2014, na área de filmes curtos ligados ao património cultural português.

“É um filme de ficção sobre as terras do norte de Portugal, que não têm fronteiras geográficas seguras. Estendem-se para lá dos tempos, para lá do imaginário. Uma boa parte da autenticidade vive lá”, salienta o realizador sobre a película de 2017, distinguida nesse ano com o Prémio Estreia Mundial no Festival Internacional de Cinema de Avanca.

Autor de curtas-metragens que retratam as vivências e a desertificação no interior de vilas e aldeias portuguesas, como “A Aldeia Solitária”, “Rio de Cera”, “Belmonte”, “Vilar de Perdizes” e “A Lenda das Amendoeiras em Flor”, o setubalense Carlos Silveira mostra “O Maravilhoso Reino da Terra” no dia 12 de novembro, no Instituto Cervantes, em Madrid.

Filmada a perto e branco e com narração de Nuno Aragão, a curta-metragem de cerca de quinze minutos é rodada no âmbito de uma mesa-redonda sobre Miguel Torga, com a presença dos conceituados escritores espanhóis Julio Llamazares e César Antonio Molina.

A 17.ª Mostra da Cultura Portuguesa em Espanha, que decorre até dezembro em Madrid, Sevilha, Bilbau, Barcelona, Cuenca, Segóvia e Vigo, aposta em artistas consagrados e noutros menos conhecidos do público espanhol na área da música, cinema, literatura, artes plásticas, teatro, pensamento, artes visuais, arte têxtil, fotografia e gastronomia.