20° Céu limpo
AML - lançamento de concurso

A AML – Área Metropolitana de Lisboa lançou, no dia 18, um concurso público internacional, no valor de 1200 milhões de euros, para melhoria e reforço da oferta de serviço público de transporte rodoviário de passageiros na região.


O concurso, lançado em cerimónia realizada no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, com a presença, entre outros, da presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, vai cobrir os 18 municípios da área metropolitana de Lisboa com 578 linhas rodoviárias que servem cerca de 2,7 milhões de utentes.

O concurso rodoviário no valor de 1200 milhões de euros, o maior em curso no país, de acordo com a AML, vai permitir um reforço superior a 40 por cento da oferta de serviço público de transporte rodoviário de passageiros, que passa a operar com uma imagem e marca única, a Carris Metropolitana.

“Damos, assim, continuidade a uma revolução na mobilidade da região metropolitana de Lisboa sem paralelo nas últimas décadas”, sublinha o primeiro-secretário metropolitano, Carlos Humberto de Carvalho.

Está previsto um aumento do número de linhas rodoviárias, bem como novas ligações e mais oferta nas ligações existentes, o que se traduz em “mais pontualidade, menos intervalo entre autocarros e mais horários noturnos, ao fim-de-semana e em horas de ponta”, vincou o presidente da Área Metropolitana de Lisboa, Fernando Medina.

Além de materializar uma oferta mais completa do que a atual, o concurso prevê ganhos na eficiência e na sustentabilidade ambiental, na melhoria da qualidade do serviço prestado aos utentes e no rejuvenescimento da frota, assim como mais responsabilidade social, uma melhor imagem e informação mais completa.

A rede, desenhada de raiz durante cerca de um ano pela Área Metropolitana de Lisboa, está subdividida em quatro zonas.

A Noroeste, estão abrangidos os municípios da Amadora, de Oeiras, de Sintra e intermunicipais de ligação a Lisboa e Cascais. A Nordeste, estão as carreiras nos concelhos de Mafra, de Loures, de Odivelas, de Vila Franca de Xira e intermunicipais de ligação a Lisboa.

A Sudoeste, incluem-se os municípios de Almada, do Seixal, de Sesimbra e intermunicipais de ligação ao Barreiro e a Lisboa. Já a zona Sudeste contempla os concelhos de Alcochete, da Moita, do Montijo, de Palmela, de Setúbal e intermunicipais de ligação ao Barreiro e a Lisboa.

O ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Matos Fernandes, mostra-se otimista com o trabalho desenvolvido e reconhece a capacidade da Área Metropolitana de Lisboa “para participar na gestão dos novos modos de transporte que possam vir a ser descentralizados”.

As ações preconizadas neste concurso devem estar, previsivelmente, materializadas no decorrer do segundo semestre de 2021.