14° Vento

A Divisão de Espaços Verdes (DIEV) da Câmara Municipal de Setúbal é uma equipa constituída por mais de 70 profissionais, entre técnicos, administrativos, encarregados, jardineiros, arboricultores, viveiristas, canalizadores, pedreiro, pintos, vigilantes, mecânico e cozinheiras.

A reabilitação e a construção de novos espaços verdes permitiu, desde 2008, aumentar em mais de 30 por cento a área de espaços verdes disponível no concelho para usufruto dos cidadãos.

A rede de parques verdes na cidade tem sido complementada com o reforço da oferta de jardins de bairro – espaços verdes de proximidade –, os quais representam uma garantia de acessibilidade mais rápida a este tipo de equipamento urbano.

A autarquia assegura, desta forma, um variado conjunto de serviços à população:

  • Produção anual de mais de 40 mil plantas ornamentais no Viveiro das Amoreiras, para utilização interna
  • Construção e reabilitação de espaços verdes degradados
  • Plantação, abate e poda de árvores. Arranque de cepos e controlo de pragas urbanas que atacam as plantas, com realce para o escaravelho vermelho da palmeira e para a lagarta do pinheiro com taxas de sucesso superiores a 85 por cento
  • Manutenção de mais de 90 hectares de espaços verdes públicos municipais e de mais de 500 floreiras. Conserva de infraestruturas existentes, nomeadamente dos sistemas de rega
  • Gestão de uma área com mais de 15 mil metros quadrados, destinada a horticultura urbana nas Amoreiras

A Câmara Municipal trabalha para garantir uma “cidade verde” atraente. Para alcançar esses objetivos, desenvolve esforços permanentes nas seguintes áreas de atuação:

  • Aumento e melhoria da rede de parques e jardins de proximidade que possibilitem o recreio/ócio ativo e corrijam os efeitos do desconforto urbano
  • Uso eficiente da água na rega dos espaços verdes
  • Redução da aplicação de pesticidas em meio urbano, designadamente no controlo das infestantes e das pragas e doenças das plantas
  • Desenho de novos espaços verdes com áreas superiores a 200 metros quadrados
  • Prioridade aos sistemas de rega automáticos no investimento e conservação das infraestruturas
  • No processo de adaptação às alterações climáticas são selecionadas, sempre que possível, espécies vegetais autóctones para a composição dos espaços verdes
  • Respeito pelo relevo natural dos terrenos, com a promoção da vegetação natural em taludes e pendentes
  • Manutenção ambientalmente sustentável, com utilização de materiais que reduzem a necessidade de mão de obra em tarefas de rotina e introdução de práticas de reaproveitamento de resíduos (como a estilha) e do uso eficiente da água de rega
  • Aposta permanente na educação cívica e ambiental, com a celebração de efemérides, como o Dia da Árvore, e de outros eventos, caso do projeto Setúbal Mais Bonita, tanto junto da comunidade educativa, como da população em geral
  • Atualização técnica e operacional dos funcionários municipais, sendo implementados programas de formação em contexto de trabalho