18° Parcialmente nublado
V EXIB Música - gala de abertura

Setúbal assume-se como a capital da música ibero-americana ao acolher, até dia 15, mais de duas dezenas de concertos integrados na quinta edição EXIB Música, mostra cultural que arrancou na noite de dia 12, em gala realizada no Fórum Municipal Luísa Todi.


“Aqui e agora começa o EXIB Música, que é, porventura, uma das maiores festas da música ibero-americana”, destacou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, na abertura do evento destinado a promover e divulgar a diversidade cultural de países ibero-americanos.

O evento, organizado em parceria com o município setubalense e com o Alto-Patrocínio do Presidente da República, conta com espetáculos gratuitos em vários espaços e equipamentos da cidade, assim como um encontro que reflete sobre a temática da gestão musical e a relação com a cidade e uma mostra de produtos.

A autarca sublinhou que nesta iniciativa internacional, ao longo de três dias, “seiscentos participantes de 21 países mostram a música e os ritmos que nos são próprios e que se entrecruzam no grande emaranhado de influências que é a música deste grande espaço peninsular e de além-mar”.

Além das mostras musicais, o V EXIB Música ganha maior destaque com a atribuição da primeira edição do Prémio da Música Ibero-Americana, distinção que homenageia dois nomes maiores da música portuguesa e argentina cujos percursos foram pautados de luta pela liberdade, concretamente José Afonso e Mercedes Sosa.

Para Maria das Dores Meira, “é uma honra e uma alegria sermos a cidade em que se vai atribuir, pela primeira vez, o Prémio EXIB para a música ibero-americana”, galardão que evoca duas personalidades que partilharam cultura num caminho de combate à opressão e de luta pela liberdade.

“José Afonso e Mercedes Sosa, em cada um dos lados do oceano, fizeram das palavras instrumento de ação por uma vida melhor e da música a arma de paz com que combateram a violência de regimes que calavam vozes e atrasavam o progresso das sociedades e das ideias”, afirmou a presidente da autarquia.

Na gala de abertura do V EXIB Música, a diretora da OEI – Organização de Estados Ibero-Americanos para a Educação, a Ciência e a Cultura, Ana Paula Laborinho, destacou o evento como um mercado de artes que apoia a circulação e a divulgação da riqueza e da variedade da música ibero-americana independente.

“Este é um evento que valoriza a pertença de Portugal ao espaço ibero-americano, no qual há, cada vez mais, amplas relações culturais com a américa latina, em que nos revemos, e de que a música é exemplo maior, além de outras expressões como a literatura e o cinema”, afirmou a diretora da OEI.

Ana Paula Laborinho realçou ainda a proximidade linguística do espaço ibero-americano. “Não precisamos de tradução para perceber o sentido das frases.” Adiantou, igualmente que as duas comunidades linguísticas, em conjunto, “formam quase 750 milhões de falantes espalhados pelos cinco continentes”.

A diretora da OEI acrescentou que o EXIB Música é muito mais do que um festival. “É um ponto de encontro de artistas, de produtores e de programadores culturais, bem como de todos os que contribuem para aquilo que na américa latina é designado de economia laranja, a economia da cultura”, até porque “as artes são um modo de viver”.

A gala de abertura do V EXIB Música contou com dois apontamentos culturais, primeiro com a Companhia do Canto Popular, composta por músicos de vários projetos musicais, nomeadamente Rui Vaz, Manuel Tentúgal, Rui Costa, André Sousa Machado, Hugo Brito, Artur Fernandes, José Manuel David, Sara Vida e José Barros.

No palco do Fórum Musical Luísa Todi, o grupo cuja inspiração e criatividade musical alia ritmos e polifonias da música tradicional e popular portuguesa, apresentou quatro temas com novos arranjos, entre os quais “Ponha Aqui o Seu Pezinho” e “A Rosinha dos Limões”.

O programa musical da noite incluiu ainda uma atuação do grupo vocal argentino Cuarteto Karé, com acompanhamento instrumental de apenas uma guitarra, que interpretaram os temas “Grândola, Vila Morena”, de José Afonso, e “Gracias a La Vida”, da compatriota Mercedes Sosa.

O V EXIB Música apresenta propostas musicais originais provenientes de diferentes partes da América, de Espanha e de Portugal, em 21 concertos gratuitos a decorrer entre os dias 13 e 15 na Praça de Bocage, na Casa da Baía e no Coreto da Avenida Luísa Todi.

A Praça de Bocage acolhe a Mostra Oficial dos 18 projetos musicais, provenientes de nove países ibero-americanos, selecionados num concurso internacional que contou com mais de quatrocentas candidaturas, enquanto a Mostra Portugal propõe atuações de artistas nacionais no Coreto da Avenida Luísa Todi e na Casa da Baía.

Os portugueses Marafona abrem a festa com um concerto no dia 13, às 13h30, no Coreto da Avenida Luísa Todi. Mais tarde, às 17h00, a Casa da Baía acolhe Músicas Afortunadas, de Espanha.

Entre as 18h00 e a 01h00, há espetáculos de hora a hora, na Praça de Bocage, a começar com a formação portuguesa Segue-me à Capela. Seguem-se Caña Dulce Caña Brava, México, às 19h00, Anna Ferrer, Espanha, às 20h00, Trio Ventana, Uruguai, às 21h00, Juanjo Corbalán, Paraguai, às 22h00, Seiva, Portugal, às 23h00, e Betsayada Machado e Parranda El Clavo, Venezuela, às 24h00.

No dia 14, o programa inclui dois concertos com artistas portugueses na Casa da Baía, nomeadamente Maria João Fura, às 17h00, e Magano, às 18h00.

A partir das 18h30, há novamente concertos de hora a hora na Praça de Bocage, com Carolina Araoz, Perú, Pulsos del Vento, Argentina, Nahuel Jofré, Argentina, Xosé Lois Romero & Aliboria, Espanha, Cuarteto Karé, Argentina, Ana Prada, Uruguai, e Susana Travassos, Portugal.

No último dia do V EXIB Música, a 15, atuam três formações portuguesas, os Zanguizarra, às 13h30, no Coreto da Avenida Luísa Todi, e a Banda da Catraia, às 17h30, e Diabo a Sete, às 18h30, ambos na Praça de Bocage.

De salientar ainda que, durante o evento, está patente uma mostra de produtos dos diversos países, na Avenida Luísa Todi, próximo do coreto, e que o artista plástico uruguaio Juan Carlos Barreto pinta o mural “9500 Km al Sur” num painel instalado no exterior da Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal.

O V EXIB Música é, igualmente, uma oportunidade para refletir sobre a gestão musical e a cidade, num encontro a ter lugar hoje e amanhã, no Fórum Luísa Todi e na Escola de Hotelaria e Turismo de Setúbal.

O evento inclui ainda uma gala de encerramento, no dia 15, às 21h00, no Fórum Municipal Luísa Todi, para atribuição Prémio da Música Ibero-Americana a José Afonso e Mercedes Sosa.

São ainda atribuídas a Menção Especial Diversidade a Manuel Obregón, pianista e compositor costa-riquenho e a Menção Especial Compromisso, que reconhece o mérito do pianista, compositor e produtor musical brasileiro Benjamin Taubkin.

A REDPEM – Red de Periodistas Musicales de Iberoamérica atribui ainda o Prémio Impulso, que distingue o artista em destaque na edição 2019 do EXIB Música, e o Prémio Artista, em homenagem ao artista independente ibero-americano que mais se destacou em 2018 e 2019.

A gala de encerramento do V EXIB Música tem entrada gratuita, mediante levantamento de convite, no máximo de dois por pessoa, a partir de dia 13, no Fórum Municipal Luísa Todi.