Festa da Ilustração 2021 | Sai do Meu Filme

O fim de semana cultural de Setúbal trouxe a vários espaços e equipamentos da cidade novas exposições da Festa da Ilustração, certame da Câmara Municipal a decorrer até dezembro, que proporcionou ainda ao público um concerto e um workshop.


Ao final da tarde de dia 8 de outubro, na Casa do Largo – Pousada da Juventude, abriu a mostra “Futurando”, com trabalhos de escolas superiores de artes selecionados por alunos e professores, os quais podem ser apreciados até 28 de novembro.

No dia 8, ao início da tarde, a Livraria Culsete revelou “Vírus”, de André Ruivo, um conjunto de reflexões ilustrada sobre a pandemia feitas durante os confinamentos, patente até 31 de outubro.

Além da exposição, André Ruivo apresenta, a 17 de novembro, igualmente na Culsete, o livro com o título homónimo, que compila as criações do ilustrador realizadas durante os períodos de confinamento.

Outra das exposições da Festa da Ilustração inauguradas no dia 8 foi “Sai do Meu Filme”, com trabalhos de Tiago Manuel, a qual está patente ao público na Casa Bocage até 30 de outubro.

A edição 2021 da Festa da Ilustração conta ainda, além de mais de uma dezena de exposições, com várias atividades culturais, incluindo concertos, como um de Mynda Guevara, que se realizou no dia 8, no exterior da Casa do Largo.

Igualmente a 8, a Casa do Largo dinamizou a oficina “Ilustração” com Sofia Lobato, enquanto na Casa da Cultura decorreu uma atividade de ilustração para a infância, pela Casa Invisível.

A Festa da Ilustração reserva mais exposições, as quais abrem já no próximo dia 16, como “Páginas de um Livro”, de Marta Madureira, na Biblioteca de Azeitão, às 11h00 de 15 de outubro, que se mantém até 30 de dezembro.

No dia 16, a partir das 15h00, o espaço A Gráfica – Centro de Criação Artística recebe as mostras “Ilustração Portuguesa”, a qual conta, entre outros, com trabalhos de André Carrilho e Nicolau, “Ver ao Perto” e “Ilustração de Espetáculo – FOmE no MAPS”, visitáveis até 14 de novembro.

Novidade no programa da Festa da Ilustração é a inclusão da mostra “Preto no Branco”, no Museu do Trabalho Michel Giacometti, de homenagem a Vasco, ilustrador falecido em julho deste ano. A exposição, que abre às 16h30 de 16 de outubro, fica patente até 28 de novembro.

Também a 16 de outubro, às 18h00, na Galeria Municipal do 11, é inaugurada uma mostra de trabalhos do ilustrador veterano João Carlos Celestino Gomes, apresentada até 27 de novembro.

O conjunto de exposições do certame fica completo com a abertura, a 23 de outubro, às 18h00, de “Heitor Nova My Human and I – Cartoons para sorrir de um gato que tinha um humano”, do ilustrador setubalense Zé Nova, mostra que inclui o lançamento de um livro e fica patente até 28 de novembro no Zé Nova Atelier.

Outro dos destaques do próximo fim de semana é a Feira da Festa, a realizar ao longo de dois dias em A Gráfica – Centro de Criação Artística, com a participação de profissionais da área do design, a qual procura revelar e mostrar um género de bastidores da ilustração.

A Feira da Festa funciona a 16 de outubro das 15h00 às 21h00, dia em que há o evento “Tour de Force”, de Wagner e Tiago, às 21h00, enquanto a 17 está aberta das 15h00 às 20h00.

O espaço A Gráfica recebe ainda, no âmbito da programação da Festa da Ilustração, três sessões de um ciclo de cinema de animação, numa extensão do festival Indie Lisboa, a 17 e 31 de outubro e 7 de novembro, todas com início às 16h00.

No primeiro fim de semana da Festa da Ilustração, iniciada a 1 de outubro, foram inauguradas várias exposições, com destaque para “A Vida das Coisas (e ainda algumas coisas da vida)”, na galeria da Casa da Cultura, patente até 28 de novembro, da designer e ilustradora Marta Madureira, em foco na sétima edição do certame.

Igualmente na Casa da Cultura está o artista canadiano Pierre Pratt, o convidado estrangeiro desta edição, com a mostra “É Tudo Isto (e nada disto o que tinha a dizer)”, também disponível até 28 de novembro.

Na Casa das Imagens, até 6 de novembro, há “Desenhos em Cena”, um conjunto de ilustrações criadas por Lauro António, que, segundo o próprio, “testemunham alguns ensaios de procurar um caminho de um espírito irrequieto”.

Já o ilustrador José Brandão, convidado especial desta edição, está a ocupar a Galeria da Casa d’Avenida com a mostra “O Desenho Ideia”, com trabalhos relacionados com capas de discos da sua autoria, com particular destaque para “Coro dos Tribunais”, de José Afonso.

Associado a esta exposição, patente até 31 de outubro, está a reedição dos onze álbuns de José Afonso lançados originalmente entre 1968 e 1981 e indisponíveis no mercado há vários anos, cuja cerimónia vai acontecer em Setúbal, em novembro.

Também na Casa d’Avenida, no segundo andar, é exibida a mostra “Ir e Vir e Voltar com os Livros”, disponível até 31 de outubro, enquadrada no Programa Municipal de Educação pela Arte e Ciências Experimentais, com alguns dos exemplares ilustrados que percorrem as escolas do concelho e que inspiram ateliers.

 

Documentos Relacionados