18° Possible Light Rain
L'Inferno - Film Fest 2019

A exibição do filme “L’Inferno”, musicalmente acompanhado ao vivo pelo Coro Setúbal Voz,  no dia 10 à noite, no Fórum Municipal Luísa Todi, marcou o arranque do Film Fest – Festival de Cinema Musicado ao Vivo, a decorrer até dia 20, em Setúbal.


A obra de 1911, de Francesco Bertolini, Giuseppe de Liguoro e Adolfo Padovan, baseada em “A Divina Comédia”, de Dante, foi acompanhada musicalmente por um concerto dirigido pelo maestro Jorge Salgueiro, com narração de Rui Sidónio, vocalista da banda nacional de música industrial Bizarra Locomotiva.

O primeiro Film Fest – Festival de Cinema Musicado ao Vivo de Setúbal exibe até dia 20 mais de duas dezenas de filmes mudos ou sem som, com bandas sonoras interpretadas ao vivo por músicos como Noiserv e Tó Trips.

Organizado pela Câmara Municipal de Setúbal e dinamizado em parceria com a Associação Cultural Festroia e a 50 Cuts – Associação Cinematográfica, tem como locais centrais da programação o Fórum Municipal Luísa Todi e o Cinema Charlot – Auditório Municipal, com a exibição de 21 filmes, entre longas e curtas-metragens.

As películas são exibidas em 12 sessões, oito para o público em geral, duas para as escolas, uma para famílias e ainda uma apresentação dos resultados de um workshop desenvolvido junto da comunidade educativa do concelho.

O certame recupera o formato original do cine-concerto, através da criação de encontros interdisciplinares únicos com a exibição de filmes mais conhecidos do público, bem como de cinema de autor, com a particularidade de serem todos acompanhados musicalmente por artistas que atuam ao vivo perante o público, reinventando as bandas sonoras de forma singular.

No dia 11, às 21h30, no Fórum Luísa Todi, é exibido o filme “Shoes”, de Lois Weber, datado de 1916, com Mary MacLaren, Mattie Witting e Harry Griffith, e acompanhamento musical ao vivo de Gonçalo Simões.

O Film Fest é também o palco da estreia nacional. No dia 12, às 21h30, no Fórum Luísa Todi, em formato de cine-concerto, é apresentado o documentário “Beautiful Things”, sobre o ciclo de produção de bens de consumo.

A obra, vencedora da categoria “Melhor Filme Italiano” na 74.ª edição do Festival de Cinema de Veneza, conta com a presença do realizador, Giorgio Ferrero. A exibição no festival sadino é acompanhada musicalmente num dueto entre Giorgio Ferrero e Rodolfo Mongitore.

Uma homenagem ao realizador escocês Norman McLaren, nome histórico do cinema de animação, decorre também no dia 12, mas mais cedo, pelas 16h00, no Charlot, com a exibição de “Mosaico”, “A Chairy Tale”, “Blinkity Blank”, “Neighbours” e “Loops”, com bandas sonoras a cargo de Daily Misconceptions, projeto de música eletrónica de João Santos.

No mesmo dia, igualmente no Charlot, o Film Fest dedica uma sessão à cineasta pioneira Germaine Dulac, a partir das 17h00, com La Negra, projeto de Sara Ribeiro, e Alexandre Bernardo, na guitarra, a musicar ao vivo as curtas-metragens “Étude Cinématographique sur une arabesque” e “L’Invitation au voyage”.

As produções portuguesas têm também presença garantida no certame, com a exibição de dois filmes dos anos 20 no Cinema Charlot. De Reinaldo Ferreira, “Rita ou Rito?…”, com Alves da Costa, Fernanda de Sousa e Antónia de Sousa no elenco, é apresentado a 13, pelas 18h00, no Charlot. A banda sonora é entregue a O Manipulador, projeto musical do baixista e compositor Manuel Molarinho. No mesmo dia, mas às 21h30, também no Charlot, passa “Os Lobos”, de Rino Lupo, com concerto a cargo de Tó Trips.

As escolas também estão contempladas com sessões específicas, uma delas a 16, às 11h00 e às 14h00, no Charlot, de “O Balão Vermelho”, de Albert Lamorisse, com acompanhamento musical de Charlie Mancini. Há ainda, dia 18, às 14h30, no Fórum Luísa Todi, a apresentação do atelier de sonorização “Mini-Mancinis”, com os filmes “Felix in Hollywood” e “O Imigrante”, ambos com acompanhamento musical ao vivo por Charlie Mancini e formandos do atelier.

Incluído no lote de 21 filmes em exibição está ainda “O Homem da Câmara de Filmar”, dia 18, às 21h30, no Charlot.

No dia 19, MODS Collective está cargo do acompanhamento musical dos filmes “I’m Furious Red” e “Giuseppi”, de Cecil Satariano, a apresentar às 21h30, no Fórum Luísa Todi.

A pensar nas famílias, o certame reserva para dia 20, às 16h00, no Fórum Luísa Todi, a sessão Pais & Filhos, com a exibição de “Sherlock Jr.”, de Buster Keaton, musicado ao vivo por Noiserv, considerado um dos mais criativos e estimulantes projetos musicais criados no país na última década.

Também no último dia, é exibido “O Gabinete do Doutor Caligari”, de Robert Wiene, no Charlot, às 21h30, com música Jorge Moniz e Mário Delgado.

Os bilhetes para as sessões do Film Fest, à venda na Casa da Cultura, Cinema Charlot e Fórum Municipal Luísa Todi, têm o custo de 8 euros para o público em geral e de 6,5 euros para estudantes, jovens até 25 anos e maiores de 65 anos. Há ainda um passe para todos os cine-concertos do festival, por 35 euros.

O Film Fest – Cinema Musicado ao Vivo proporciona ainda a oportunidade para descobrir um conjunto de atividades paralelas na Casa da Cultura e no Espaço 50 Cuts, como conversas dedicadas ao cinema e oficinas de cinema para famílias.

Até dia 30 de outubro, no Espaço Ilustração da Casa da Cultura está patente a exposição de ilustrações “Eram os Cartazes mais Rápidos do Mundo”. A mostra apresenta originais de Tó Trips, artista conhecido no mundo da música por integrar o projeto Dead Combo, e pode ser vista aos domingos, terças e quarta, das 10 às 22 horas, e às quintas, sextas e sábados, entre as 10 horas e a uma da manhã.

O programa do Film Fest – Festival de Cinema Musicado ao Vivo pode ser consultado em www.mun-setubal.pt. Outras informações podem ser obtidas através do endereço de correio eletrónico, pulsar.fest@mun-setubal.pt.

O primeiro Film Fest – Festival de Cinema Musicado ao Vivo conta ainda com as parcerias da Cinemateca Portuguesa – Museu do Cinema, Cineteca di Bologna, Fundação Friedrich Wilhelm Murnau, Il Sorpasso – Associação Cultural, do Instituto Italiano de Cultura de Lisboa, de Valletta 2018 – Capital Europeia da Cultura, da Light Cone Films, Lobster Films, Milestone Films e National Film Board of Canada.