24° Nublado
Ciclo de Conferências - A Floresta - muito mais que madeira

Um ciclo de conferências no âmbito da exposição “A Floresta – muito mais do que madeira”, patente ao público no Largo José Afonso, realiza-se na Casa da Baía, entre os dias 19 de março e 15 de abril.


 

O ciclo de encontros, de entrada livre, sempre com início às 18h00, numa organização do Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra em parceria com a Fundação “la Caixa”, com apoio da Câmara Municipal de Setúbal, visa refletir sobre temas relacionados com a exposição que pode ser visitada até ao dia 25 de abril.

“A árvore e a cidade”, pela investigadora Ana Raquel Lopes, do Centro de Investigação Didática e Tecnologia na Formação de Professores da Universidade de Aveiro, é a conferência de abertura, no dia 19.

Segue-se, a 4 de abril, “A relevância do Bosque Ibérico na História Peninsular”, por Jorge Paiva, investigador do Centro de Ecologia Funcional da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.

O ciclo prossegue no dia 10, com Elizabete Marchante, investigadora do Centro de Ecologia Funcional da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra, a apresentar o tema “À conversa sobre plantas invasoras: o que são, onde estão e como as controlar”.

A encerrar o ciclo, no dia 15, Paulo Magalhães, comissário da exposição “A Floresta – muito mais do que madeira” e responsável pela Casa Comum da Humanidade em Portugal, dinamiza a conferência “Dos tangíveis aos intangíveis florestais: um novo quadro conceptual de suporte à sustentabilidade”.

Além deste ciclo de encontros, o Exploratório – Centro Ciência Viva de Coimbra organiza, igualmente, atividades destinadas a grupos escolares do 1.º ciclo, no dia 28 de março, entre as 11h00 e as 16h00.

“A Floresta – muito mais do que madeira”, a primeira exposição itinerante em Portugal da Fundação “la Caixa”, numa organização conjunta com o BPI, em parceria com a autarquia, alerta para a importância ambiental, económica e social das florestas, através de diversos recursos, instalados num espaço com 30 por 10 metros.

A mostra pode ser visitada até 25 de abril, no Largo José Afonso, de segunda a sexta-feira das 12h00 às 14h00 e das 15h00 às 20h00 e aos sábados, domingos e feriados das 11h00 às 14h00 e das 15h00 às 20h00.

A exposição também está aberta a visitas guiadas para o público em geral, de segunda a sexta-feira às 18h00 e aos sábados, domingos e feriados às 12h00 e às 18h00, e a visitas de grupos escolares, de segunda a sexta-feira das 09h30 às 13h30 e das 15h00 às 17h00.

As marcações devem ser feitas através do contacto telefónico 211 216 262.