17° Muito nublado
Fórum da Juventude - sessão na União das Freguesias de Setúbal

Estratégias para incentivar o exercício da cidadania junto dos jovens estiveram em análise, no dia 23, em duas sessões descentralizadas do Fórum da Juventude, na União das Freguesias de Setúbal e na Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra.


 

O afastamento dos jovens da participação cívica foi uma das principais preocupações suscitadas pela dezena de jovens que debateram ideias com o vereador da Juventude, Pedro Pina, e com o presidente da União das Freguesias de Setúbal, Rui Canas, na primeira das duas sessões de sábado realizadas no âmbito de um ciclo de encontros do programa municipal m@rço.28, que comemora localmente o Mês da Juventude

“Os jovens estão cada vez mais descrentes em relação à política e pensam que a sua opinião não conta para nada. Isto leva-os a afastarem-se da participação cívica”, lamentou Fábio Linhares, 21 anos, no encontro, realizado de manhã, no território da União das Freguesias de Setúbal, no Espaço 50 Cuts.

Para este jovem operário fabril, é necessário delinear estratégias de incentivo à participação dos jovens na vida pública e proporcionar-lhes ferramentas para que “tenham um espírito construtivo”.

Uma proposta apresentada por Fábio passa pela criação de clubes de debate nas escolas, à semelhança do que existe na Escola Secundária de Bocage, para “estimular o debate de ideias e levar os jovens a dizerem o que os preocupa”.

João Conde, estudante, comunga das preocupações de Fábio e alerta para a necessidade de existir, igualmente, uma maior aproximação da política aos jovens. “Como é que nós conseguimos saber aquilo que os nossos governantes acham que nós queremos?”

Cátia Oliveira, chefe da Divisão da Juventude da Câmara Municipal de Setúbal, frisou que o projeto Fórum da Juventude “resulta, precisamente, da vontade de ouvir os jovens e despertar o exercício da cidadania”.

Um dos maiores desafios que se colocam atualmente aos técnicos é “tentar trabalhar com as associações de estudantes”, sendo que, lamenta, “algumas escolas nem sequer têm estas associações”.

Já o vereador com o pelouro da Juventude, Pedro Pina, garantiu que “os problemas da participação não são exclusivos dos jovens, são de toda a população, trata-se de um problema estrutural da sociedade”.

O autarca sublinhou que “a cidade se constrói com a opinião de cada um e são os diferentes olhares que ajudam a construir uma melhor cidade”.

A realização do Fórum da Juventude de Setúbal é, segundo Pedro Pina, “uma forma de fazer política que incentiva os jovens a darem o seu contributo para enriquecer o trabalho desenvolvido pela autarquia”.

Tendo em conta que o objetivo é dar continuidade aos encontros com alguma regularidade, para analisar problemas e debater propostas com os jovens, foi decidido por todos os presentes realizar sessões trimestrais, com a possibilidade de fóruns extraordinários caso haja assuntos a debater que os justifiquem.

“Vamos estabelecer aqui um compromisso para que os jovens mobilizem mais pessoas a participarem nestes fóruns”, reforçou o presidente da União das Freguesias de Setúbal, Rui Canas.

Soluções e novos caminhos para uma melhor integração de jovens da freguesia de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra em atividades e projetos dinamizados no concelho setubalense foram igualmente debatidas na tarde de dia 23, em mais uma sessão descentralizada do Fórum da Juventude.

No encontro, realizado na sede da Junta de Freguesia, o vereador Pedro Pina destacou a pertinência da iniciativa, por se assumir como “um momento para avaliar as necessidades deste território no que respeita aos mais jovens e também para divulgar a oferta municipal nesta esfera de intervenção”.

O autarca sublinhou que Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra “é um território muito particular, feito de aglomerados urbanos com características distintas, motivo pelo qual também se torna fundamental que a junta de freguesia tenha esta informação para, em proximidade, a poder fazer chegar aos jovens”.

A desconexão entre os jovens da freguesia foi apontada por Eunice Pratas, de 26 anos, da Associação de Jovens Força de Todos e deputada da Assembleia de Freguesia. “Há muitas tribos urbanas dentro da juventude, com estímulos diferentes”, frisou, para depois realçar a importância das atividades municipais para os mais novos.

O projeto Coletivos com Voz, de periodicidade mensal, que convida associações e grupos de jovens a divulgar os projetos em conjunto de atividades dinamizadas e programadas pelos próprios na Casa do Largo – Pousada da Juventude, foi uma das ações destacadas.

A estes juntam-se, entre outras, iniciativas como a Música à Mostra, sucessora do antigo Concurso de Bandas de Garagem de Setúbal, agora num novo formato, o Escolas com Talento, que desafia os participantes a mostrarem aptidões, e um Ciclo de Debates por estabelecimentos de ensino do concelho.

“Este tipo de sessões acrescenta valor aos nossos projetos e eixos de trabalho”, sublinhou a chefe da Divisão da Juventude, Cátia Oliveira, para revelar que “muitas das ações implementadas tiveram génese em sessões plenárias” do Fórum da Juventude.

O presidente da Junta de Freguesia de Gâmbia-Pontes-Alto da Guerra, José Belchior, elogiou o novo formato do Fórum da Juventude, com encontros nas cinco freguesias do concelho, modelo inspirado no projeto municipal Ouvir a População, Construir o Futuro, destinado à resolução de questões apresentadas pelos cidadãos em contacto direto com os autarcas.

“É positivo e, com esta informação, vamos procurar novos e melhores caminhos para fortalecer, interagir e reforçar a relação com os nossos jovens.”

As sessões descentralizadas deste ciclo do Fórum da Juventude terminam no próximo sábado, dia 30, em encontros com jovens de São Sebastião, às 10h00, na sede desta junta de freguesia, enquanto à tarde, pelas 15h00, são ouvidas as opiniões dos mais novos em Azeitão, em reunião a realizar na biblioteca local.