Parcialmente nublado

Uma exposição que junta fotografias e artefactos ligados à profissão de alfaiate foi inaugurada, no dia 8, no Museu do Trabalho Michel Giacometti, em homenagem a António Ferrão.


A mostra “António da Costa Ferrão – alfaiate e artista”, patente até 31 de janeiro, revela memórias e histórias da vida de uma personagem multifacetada, costuradas entre artes.

A inauguração, que contou com a presença do homenageado acompanhado da família, juntou perto de duas centenas de pessoas que assistiram a um programa que teve início com uma intervenção de boas-vindas da vereadora Eugénia Silveira, que ofereceu, igualmente, duas fotografias aos filhos de António da Costa Ferrão, Maria Leonor e o cantor Toy.

As imagens antigas mostram, por um lado, a profissão de alfaiate, com António Ferrão ladeado da mulher e dos funcionários da alfaiataria que possuía num 1.º andar da Travessa do Postigo da Pedra, e, por outro lado, um dos conjuntos musicais a que o homenageado pertenceu.

A iniciativa contou, ainda, com um apontamento musical pelo cantor Toy, a que se seguiram declamação de poesia com José Raposo e uma intervenção do antigo alfaiate Vítor Gaspar, que desfiou memórias de tempos antigos.

A inauguração da mostra “António da Costa Ferrão – alfaiate e artista” terminou com uma atuação do Grupo de Cantares Populares e Tradições da Junta de Freguesia de São Sebastião.

António da Costa Ferrão, natural de Ançada, Mangualde, atualmente com 94 anos, iniciou-se no ofício de alfaiate aos 11, uma vez concluída a antiga 4.ª classe, profissão à qual se dedicou durante 75 anos, primeiro em Lisboa, cidade onde cumpriu o serviço militar, depois em Setúbal, onde chegou em 1951.

Fez-se sócio da Sociedade Musical Capricho Setubalense e da Sociedade Musical e Recreativa União Setubalense, onde aprendeu solfejo e tocou trompete nas respetivas bandas filarmónicas.

Dedicado de corpo e alma às suas artes, de dia era o alfaiate António Ferrão, à noite era o Ferrão músico, que tocava guitarra elétrica, violino, contrabaixo, banjo e viola-baixo acústica em conjuntos de bailes, orquestras e grupos de cantares.

A exposição patente no Museu do Trabalho Michel Giacometti resulta da doação do espólio relacionado com instrumentos de trabalho ligados à Alfaiataria Ferrão, feita pelos filhos.

“António da Costa Ferrão – alfaiate e artista”, organizada pela Câmara Municipal de Setúbal, pode ser visitada, até 31 de janeiro, de terça a sexta-feira das 09h30 às 18h00 e ao sábado e domingo das 14h00 às 18h00.