18° Parcialmente nublado

A Junta de Freguesia de S. Sebastião (JFSS) iniciou a construção de um pavilhão para acolher o setor operativo desta autarquia, num terreno cedido pela Câmara Municipal, na zona de Monte Belo/Quatro Caminhos.


As novas instalações, que deverão estar concluídas até ao final de março de 2019, vão permitir aumentar a produtividade e o tempo de resposta deste setor, com o objetivo de melhor servir a população.

O futuro pavilhão, sito na interseção entre a Rua Luís Sá e a Avenida Nuno Álvares, terá uma área total de 600 metros quadrados e incluirá todos os serviços do setor operativo da JFSS, nomeadamente, higiene urbana, espaços verdes, serralharia e mecânica automóvel.

A construção destas instalações surge como resposta a um conjunto de necessidades geradas no âmbito da delegação de competências entre a Câmara Municipal e a JFSS. Ou seja, “o crescimento de funções, fruto da confiança que o município deposita nesta autarquia, criou algumas carências ao nível de infraestruturas, e não só, que não foi possível suprir de imediato e que estão agora a ser asseguradas”, explica o presidente da Junta de Freguesia.

Nuno Costa recorda que “o ajustamento à nova realidade foi um compromisso assumido pelo executivo para 2018, tanto junto dos funcionários da JFSS, criando melhores condições de trabalho, como dos fregueses, beneficiando a eficácia dos serviços e o tempo de resposta às solicitações.  Desta forma, estamos a corresponder a essas expectativas”.

Com conclusão prevista para o primeiro trimestre de 2019, a obra, que traduz um investimento de 150 mil euros por parte da Junta de Freguesia, está incluída num projeto faseado que abrange a edificação de um auditório, com capacidade para 300 pessoas, previsivelmente pronto em junho de 2020, e ainda de uma nova sede, cuja data de concretização não está prevista.

Além da cedência do terreno, a Câmara Municipal fez uma doação no valor de 50 mil euros para a criação do novo auditório, espaço que vai estar ao serviço da comunidade. “A freguesia precisa de uma sala com estas características. Neste momento o espaço de que dispomos para o efeito é insuficiente, quer para as atividades que promovemos (ateliers, workshops, festas, etc.), quer para as ações que apoiamos, dinamizadas, sobretudo, pelo movimento associativo”, revela o autarca de S. Sebastião.