Parcialmente nublado
Doação de livros a Quelimane

Mais de 140 mil livros, entre literatura universal e manuais escolares, destinados a apetrechar bibliotecas e escolas de Quelimane, cidade moçambicana geminada com Setúbal, foram angariados no âmbito de uma campanha de solidariedade liderada pela Câmara Municipal.


 A iniciativa solidária, dinamizada entre março e julho, resultou na angariação de cerca de 80 mil obras de literatura universal, entre compêndios técnico-científicos, dicionários enciclopédias e romances, e de mais de 60 mil manuais escolares do 1.º ao 12.º ano de escolaridade.

“É uma coisa nunca vista que vai trazer felicidade a muita gente”, sublinhou a presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Maria das Dores Meira, sobre os livros angariados para Quelimane, transportados no final deste mês para aquela cidade moçambicana em três contentores de 40 pés a partir do porto de Lisboa.

A acompanhar os livros vai também “material escolar, roupa, brinquedos e medicamentos, à semelhança do que aconteceu numa outra campanha solidária, igualmente liderada pela autarquia, que permitiu encher dois contentores de 20 pés com este tipo de bens”, sublinhou a autarca.

Setúbal e Quelimane estão geminadas desde 2000, parceria que tem resultado em várias iniciativas de cooperação bilateral, sendo que a angariação destes 140 mil livros é o mais recente exemplo, a que se juntam outras ações já dinamizadas e em curso para a melhoria da qualidade de vida daquela província de Moçambique.

“Trata-se do maior envio de livros, de uma só vez, jamais efetuado após a independência de Moçambique em 1975”, frisou o assessor da presidência da Câmara Municipal de Setúbal Álvaro Oliveira. “Quelimane é a única província de Moçambique que dispõe de bibliotecas comunitárias.”

A Biblioteca Nacional de Portugal, a Imprensa Nacional – Casa da Moeda e a Fundação Calouste Gulbenkian foram os principais mecenas desta campanha de angariação. Cerca de 90 por cento dos livros são novos e apresentam um valor estimado de um milhão e cem mil euros.

A Fundação para a Ciência e Tecnologia, a Fundação Oriente, a Biblioteca Pública de Évora, o Instituto dos Pupilos do Exército, a Leirilivro, o Colégio dos Maristas, o Externato de São José e o Laboratório Nacional de Engenharia Civil, a par de instituições locais e cidadãos anónimos, também contribuíram para a angariação.

Os livros, que deverão chegar no final do ano, destinam-se a equipar a Biblioteca Provincial da Zambézia, a Biblioteca Municipal de Quelimane e várias bibliotecas comunitárias, bem como uma nova escola que está a ser construída no Bairro de Ivagalane resultado de uma campanha impulsionada pela autarquia sadina.

Esta escola básica, com capacidade para cerca de três centenas de crianças, em regime de rotação, é o culminar de um desafio camarário que acabou por ser aceite pela empresa portuguesa Special Dragon, patrocinadora do projeto em contexto de apoio mecenático.

“A escola está em fase final de construção e vai ser inaugurada em janeiro”, afirmou Maria das Dores Meira, adiantando que o estabelecimento de ensino vai ser apetrechado com “mobiliário doado” e também com “alguns dos livros e manuais escolares agora angariados”.

O Externato de São José, em Lisboa, um dos mecenas da campanha, preparou especialmente para o novo estabelecimento de ensino do Bairro de Ivagalane, “um pacote de ensino, com material escolar e livros do 1.º ao 7.º ano de escolaridade”, destacou Álvaro Oliveira.

No âmbito da geminação, o concelho sadino já acolheu bolseiras de Quelimane no Instituto Politécnico de Setúbal e promoveu, através de campanha mecenática, a construção de 15 poços de água potável, entre 2017 e 2018, um contributo para a melhoria da qualidade de vida em várias zonas da província moçambicana.

A construção destes poços de água permitiu ainda, como como acréscimo, ajudar a reduzir a taxa de absentismo escolar, com mais crianças a poderem ir à escola, em vez de terem que assumir a tarefa de realizar trajetos de vários quilómetros para obtenção de água potável para as famílias.

Já no ano passado, a campanha denominada “Setúbal Ajuda Quelimane” traduziu-se no envio de uma ajuda com mais de 23 toneladas de bens de diferentes naturezas, por exemplo, roupas para homem, mulher e criança, brinquedos, assim como material escolar e de saúde, entre o qual medicamentos, fraldas e sapatos ortopédicos.