23° Parcialmente nublado

Um ciclo de sessões de cinema ao ar livre, gratuitas, em vários locais da cidade, começa no dia 11, às 21h30, no Largo do Sapalinho, com a exibição do filme “Tempo Comum”, de Susana Nobre.


A ação é centrada em Marta, que acaba de ser mãe de Clara e vive as mudanças que a chegada de um filho provoca entre amigos e familiares. Na intimidade das quatro paredes de casa desta família, o espetador segue a nova fase da vida de todos.

As personagens de “Tempo Comum” formam um casal na vida real. Marta Lança, jornalista e tradutora, e Pedro Castanheira, fotógrafo. A ação decorre no próprio apartamento do casal e a bebé é a filha de ambos.

Produzida pelo coletivo Terratreme, esta é a primeira longa-metragem de ficção de Susana Nobre, após os documentários “O Que Pode um Rosto”, em 2003, e “Vida Activa”, em 2013.

“Tempo Comum” estreou-se internacionalmente no Festival de Cinema de Roterdão, na Holanda, em 2018, o passou por vários festivais, entre eles o Indie Lisboa, o Festival do Rio de Janeiro e o London BFI.

A sessão de cinema ao ar livre no Largo do Sapalinho, por trás da Casa da Cultura, tem lotação máxima de cinco dezenas de lugares sentados, mediante reserva feita pelo telefone para o número 265 236 168.

As marcações são válidas até meia-hora antes do início do filme. O bilhete deve ser levantado na receção da Casa da Cultura dentro desse período.

O Cinema na Rua, organizado pela Câmara Municipal de Setúbal em parceria com a Associação Cinematográfica 50 Cuts, inclui na programação várias sessões até ao início de setembro, sempre às 21h30.

A 18 de julho, no Espaço Nosso Bairro, Nossa Cidade do Bairro da Bela Vista, são exibidas as curtas-metragens vencedoras do Set’Curtas.

No dia 25, na sede da LATI – Liga dos Amigos da Terceira Idade, no Bairro da Camarinha, é exibido o documentário “Portugal Tem Lata”, que conta a história da indústria conserveira portuguesa, da autoria de Rui Pregal da Cunha e João Trabulo, com produção da NewTalks.

Em agosto as sessões de Cinema na Rua decorrem no dia 1, no Largo do Sapalinho, com “Miradouro”, de João Bordeira e Sérgio Braz d’Almeida, produzido pela BMotion Pictures,

No dia 15, a LATI volta a ser palco da tela cinematográfica, com a passagem do filme “A Mãe É Que Sabe”, de Nuno Rocha.

A última sessão do ciclo é no dia 5 de setembro no espaço Nosso Bairro, Nossa Cidade, com “Miradouro” a ser apresentado novamente.