12° Céu limpo
Sinfonia à Juventude - Orquestra Académica Metropolitana

A Orquestra Académica Metropolitana, com direção de Pedro Neves, deu um concerto, intitulado Sinfonia à Juventude, no dia 19, no Fórum Municipal Luísa Todi, no âmbito da V Temporada Sinfónica de Setúbal.


A formação interpretou obras de Joly Braga Santos e de Penderecki, que, apesar de pertencentes a universos distintos, ilustram rumos alternativos às vanguardas musicais que floresceram ao longo do século XX e marcaram momentos de transição entre ciclos criativos dos dois compositores.

A Sinfonia N.º 4 de Joly Braga Santos, de 1950, caracterizada pela forte influência das canções alentejanas, à qual não se alheia a circunstância de ter sido composta na região de Reguengos de Monsaraz, foi um dos temas apresentados.

Esta obra culminou num trajeto em que o músico procurou a “implementação de um sinfonismo moderno na música portuguesa” e a construção de um estilo musical em que “pudesse falar com o homem comum com simplicidade e clareza”, segundo o próprio assim a caracterizava.

A sinfonia terminou com um Hino à Juventude, “símbolo da união dos jovens de todo o mundo, através da música”.

Já o primeiro concerto para violino de Krzysztof Penderecki, composto na década de 1970, quando o compositor polaco procurou um diálogo cirúrgico com a estética romântica oitocentista, foi interpretado no Fórum Luísa Todi por José Pereira como solista ao violino.