16° Parcialmente nublado
Autocarro TST - Marca única de transportes na AML - Carris Metropolitana

O passe único Navegante, que uniformiza a utilização, a preços reduzidos, do sistema de transportes públicos na Área Metropolitana de Lisboa, incluindo Setúbal, regista um aumento continuado na procura.


A vigorar desde início de abril, o Navegante representa a maior alteração tarifária feita em Portugal nas últimas décadas, desde a criação do Passe Social, em 1977, expressando uma redução significativa do preço dos títulos de transportes para a generalidade dos passes, intermodais, próprio e combinados, vendidos mensalmente nos municípios da AML – Área Metropolitana de Lisboa.

Segundo comunicado da AML, o balanço dos primeiros três meses após a implementação do novo sistema tarifário, “revela um aumento significativo e continuado do número de passageiros”.

Ainda que os dados de adesão ao novo sistema tarifário fornecidos pela AML, respeitante às diversas modalidades do novo título, como a de utilização concelhia e a de utilização em toda a área metropolitana, sejam “valores provisórios e não trabalhados em todas as suas análises”, eles “confirmam um muito positivo resultado”.

Em abril, foram vendidos cerca de 554 mil passes Navegante, com destaque para o passe Metropolitano, que permite utilizar todos os serviços de transporte público regular de passageiros em todos os 18 municípios da Área Metropolitana de Lisboa.

Somando à venda destes passes os ingressos no regime do passe Navegante +65, os números representam 70 por cento do total dos passes Navegante vendidos.

“Significa que a larga maioria dos utentes dos transportes públicos fazem deslocações de âmbito intermunicipal e que os novos passes vieram responder e reforçar a dinâmica metropolitana e a interdependência entre os vários municípios”, reforça a AML.

No mês de maio, os dados fornecidos mostram que foram vendidos mais de 630 mil passes, o que representa um aumento de 14 por cento relativamente ao mês de abril.

Igualmente destaque para o passe Navegante Metropolitano, que representa 65 por cento das vendas. Somando o Navegante +65, os valores crescem para uma representação de 78 por cento em maio.

A procura do passe Navegante continuou a subir em junho, com os títulos Metropolitano e +65 a representarem 81 por cento, tendo sido vendidos aproximadamente 640 mil passes.

Relativamente à venda de cartões Lisboa Viva, sistema físico necessário para o carregamento dos passes Navegante, em março, a aquisição deste título registou um aumento de 45 por cento em relação ao ano anterior.

Já em abril, maio e junho, os valores aumentaram para 180 por cento, 147 por cento e 97 por cento, respetivamente.

Para a Área Metropolitana de Lisboa, o aumento das adesões traduz-se “em cada vez mais utilizadores frequentes do serviço público de transportes de passageiros”.

O passe Navegante Municipal, que no concelho de Setúbal tem a designação Navegante Setúbal, custa 30 euros e permite viagens nos transportes públicos coletivos dentro do território sadino, enquanto o Navegante Metropolitano, que possibilita deslocações na rede de transportes públicos de toda a Área Metropolitana, tem o preço de 40 euros.

A implementação desta reforma nos tarifários dos transportes públicos na AML implica um investimento da parte de cada município, sendo que Setúbal comparticipa com mais de dois milhões de euros anuais.