13° Parcialmente nublado
Dia de Bocage e da Cidade - 15 de Setembro - Poçoilos de Portas Abertas - 2019 (8)

O Parque Municipal de Poçoilos, infraestrutura de apoio que torna possível conjunto alargado de serviços autárquicos de Setúbal, recebeu, na manhã de 15 de setembro, mais de uma centena de visitantes, numa iniciativa integrada nas comemorações do Dia de Bocage e da Cidade.


 

“Hoje não é só Dia de Bocage, é um dia histórico para o concelho. Pela primeira vez, abrimos a todos o setor operacional da autarquia para que possam testemunhar as melhorias significativas nas condições de trabalho”, sublinhou a presidente da autarquia, Maria das Dores Meira no início da visita guiada, integrada nas Comemorações Bocagianas 2019.

Também o vereador das Obras Municipais, Carlos Rabaçal, sublinhou as “mudanças profundas ocorridas num equipamento importante para a qualificação do concelho” e que, antes, “era um depósito, uma zona muito suja e desorganizada”.

A iniciativa “Poçoilos de Portas Abertas” mostrou aos visitantes os resultados de um conjunto de intervenções que tornaram a infraestrutura operacional num espaço “digno e de excelência, no qual os trabalhadores se sentem bem”.

Após as boas-vindas pelo Executivo, a visita foi conduzida pelos chefes de divisão de diferentes serviços municipais e pelo coordenador do Parque Municipal de Poçoilos, Joaquim Matias, que destacou a importância do trabalho ali desenvolvido.

“A Câmara Municipal é um corpo, do qual a cabeça são os Paços do Concelho, o tronco são os vários edifícios de serviços espalhados pela cidade e os membros estão em Poçoilos. Somos nós que fazemos andar todos os serviços da câmara. Não há uma única iniciativa que se realize no concelho que não passe por aqui.”

De Poçoilos, onde laboram trezentos funcionários municipais, saem diariamente, para intervenções em todo o concelho, aproximadamente duas centenas de trabalhadores que “trabalham muito, com qualidade e com custos muito mais baixos do que se contratasse serviços externos”, referiu o responsável, numa alusão ao facto de a autarquia apostar, sempre que possível, na execução de obras por administração direta.

Os visitantes tiveram a oportunidade de ficar a conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pelos vários serviços destacados em Poçoilos, como os Transportes e Equipamentos Mecânicos, que, na oficina, “fazem a manutenção a 250 viaturas da frota municipal” e, na estação de serviço, “são feitas cinco mil lavagens por dia”, apontou o chefe de Divisão, João Branco.

A visita passou, depois, pelos serviços operacionais de Divisão de Higiene Urbana onde foi possível ficar a conhecer as diferentes viaturas afetas à recolha de resíduos e à varredura do concelho, bem como os equipamentos e trabalhadores responsáveis pela desmatação de terrenos e vias.

“Só no ano passado gastámos 800 mil euros para limpar terrenos municipais, terrenos privados, em casos de incumprimento, e até terrenos do Estado. Este ano, alguns privados já tiveram mais cuidado, mas a verba que vamos gastar não será muito mais baixa”, sublinhou Maria das Dores Meira.

Após a passagem pelos serviços da Higiene Urbana, onde houve uma demonstração de como funcionam as viaturas de recolha de resíduos, o chefe de Divisão de Obras por Administração Direta, José Carvalho, mostrou as oficinas que servem de apoio à realização de “quatro a cinco mil intervenções, por ano, em todo o concelho, incluindo nos edifícios municipais e no parque habitacional”.

Este serviço é responsável pela melhoria das condições do Parque Municipal de Poçoilos, de que são exemplo os balneários que foram completamente requalificados, numa intervenção que inclui a criação, naquelas instalações, de uma casa de banho para cidadãos com mobilidade reduzida.

Durante a passagem pelas oficinas das Obras por Administração Direta, os visitantes assistiram à execução de um muro e instalação de uma vedação no limite do Parque Municipal de Poçoilos, numa demonstração, não apenas do trabalho desenvolvido por este setor, mas também da aposta na reutilização de materiais.

“A vedação que hoje está aqui a ser colocada era a que se encontrava no Parque do Bonfim. Isto multiplica-se por todos os serviços. Aproveitamos tudo”, destacou Maria das Dores Meira.

Foi ainda possível assistir a trabalhos de carpintaria e de pintura, bem como, no setor da Divisão de Vias de Comunicação, à colocação de calçada portuguesa, arte que “se encontra em vias de extinção devido à falta de profissionais interessados em dar continuidade à atividade”, lamenta o chefe de divisão, Luís Martinho.

Maria das Dores Meira recorda que a Divisão de Vias de Comunicação “não era muito diferente das outras, antes das intervenções que proporcionaram melhores condições de trabalho”, uma vez que “nem sequer tinha armazéns de apoio, apenas umas barracas em madeira”.

A visita à infraestrutura operacional de Poçoilos terminou no refeitório, área também intervencionada e que agora oferece melhores condições aos trabalhadores.

A iniciativa “Poçoilos de Portas Abertas” incluiu atividades especialmente pensadas para as crianças, como um passaporte que levou os “carimbos”, em formato de autocolante, das passagens pelos vários serviços e uma parede que ostenta, agora, desenhos feitos pelos visitantes mais novos inspirados na visita.