27° Céu limpo
Praia da Albarquel | valorização | novos equipamentos

Um investimento superior a 400 mil valoriza as praias da Figueirinha e de Albarquel, com novos equipamentos que acrescentam valor turístico e tornam aquelas zonas balneares do Parque Natural da Arrábida mais acessíveis aos utilizadores.


A operação, com um custo total de 408 mil e 535 euros, realizada no âmbito de uma candidatura da Câmara Municipal de Setúbal ao Turismo Portugal, beneficia as duas praias, e o miradouro de Albarquel, conhecido por Pau da Consolação, ação para concluir em junho.

As intervenções na Figueirinha visam melhorar as condições de usufruto daquela zona balnear oceânica que ostenta, há largos anos, as bandeiras Azul, Qualidade de Ouro e Praia Acessível, e alargar as acessibilidades e equipamentos direcionados para pessoas com mobilidade reduzida.

A valorização acessível é concretizada com novos percursos pedonais em madeira no areal, numa extensão total superior a 700 metros lineares, assim como um tapete acessível, dotado de uma cadeira anfíbia, num percurso de 25 metros lineares até à frente de água.

Esta praia passa a dispor de uma zona com cerca de 45 metros quadrados, uma pérgula acessível, que resulta numa área de sombra e descanso, particularmente direcionada para pessoas com mobilidade reduzida, apetrechada de bancos de apoio e papeleiras.

Um edifício de apoio, com instalações sanitárias, zona de arrumos e uma área de primeiros socorros, faz parte do conjunto de equipamentos, assim como chuveiros, bebedouros com diferentes alturas, bancos de apoio e um painel informativo, com carateres ampliados, pictogramas e conteúdos em braille.

No caso da Praia de Albarquel, a operação, destinada a facilitar o acesso e a utilização a todos os cidadãos, inclui, à semelhança da Figueirinha, um conjunto de elementos de apoio à estadia e permanência no areal, assim como novas acessibilidades.

Do leque de intervenções fizeram parte um conjunto de passadiços de praia, incluindo um tapete e pérgula acessível, um novo edifício de apoio balnear, bebedouros, chuveiros, zonas de lava-pés, bancos de apoio, papeleiras e um novo painel informativo.

Esta zona balnear setubalense, a mais próxima do centro urbano da cidade e que tem registado, nos últimos anos, uma procura crescente, passa também a dispor de bebedouros com diferentes alturas, chuveiros, zonas de lava-pés, bancos de apoio e papeleiras.

As obras de requalificação nestas praias resultam de candidaturas apresentadas pela Câmara Municipal de Setúbal a financiamento, assegurado através do Programa Valorizar – Linha de Apoio ao Turismo Acessível, dinamizado pelo Turismo de Portugal.

No caso da Praia da Figueirinha, a operação recebeu um financiamento de 74 mil e 718 euros do total do investimento elegível de 83 mil e 20 euros, o que corresponde a uma taxa de comparticipação de 39,15 por cento do total da operação orçada em 212 mil e 75 euros.

Já as ações na Praia de Albarquel ganharam um incentivo de 130 mil e 744,35 euros sobre o investimento elegível, no valor de 145 mil e 271,50 euros. Nesta obra, a taxa de comparticipação foi de 73,94 por cento sobre o valor total da operação, com o custo de 196 mil e 460 euros.

Estes projetos qualificadores de Setúbal enquanto destino turístico de excelência promovem, em simultâneo, o turismo acessível e inclusivo, dando cumprimento ao disposto na Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência.

Durante o mês de junho, a Câmara Municipal de Setúbal avança com os trabalhos de beneficiação do miradouro de Albarquel, conhecido por Pau da Consolação, ponto de estadia e contemplação da Arrábida e de uma das mais belas baías do mundo.

Nesta área privilegiada é concretizado um novo desenho de traço contemporâneo. A árvore de grande porte ali existente mantém o destaque central daquele miradouro com cerca de 435 metros quadrados e recebe, nesta intervenção, novos bancos, que ficam instalados em redor.

Os trabalhos, que incluem o reforço da iluminação pública e a criação de um elemento luminoso cénico para destacar ainda mais a presença daquela árvore, definem ainda duas zonas de utilização distintas, uma das quais de acesso exclusivo a transeuntes, com 210 metros quadrados, em madeira, incluindo o capeamento do rail de proteção.

Na área mais próxima da estrada, é criada uma zona com cerca de 170 metros quadrados, com pavimento em lajetas de betão, para paragem temporária de veículos motorizados.