12° Parcialmente nublado
R.U.R. - Teatro Estúdio Fontenova

O Teatro Estúdio Fontenova estreou, no dia 31, R.U.R. – Robots Universais Rossum, considerado um dos mais importantes escritos da cultura do século XX, do jornalista checo Karel Čapek.


Em cena entre 31 de outubro e 3 de novembro no Fórum Municipal Luísa Todi, a peça de teatro é baseada na obra com o mesmo nome, da autoria do jornalista checo Karel Čapek, que, em 1921, criou a palavra robot no léxico internacional e nos anos seguintes despertou no imaginário popular a ideia de uma revolta das máquinas.

Apontada pela crítica como esquecida, R.U.R. deseja sublinhar a atualidade de uma história centrada numa quarta revolução industrial, em que os robots substituíram os humanos no trabalho em larga escala.

O Teatro Estúdio Fontenova conheceu a obra de ficção científica através de Patrícia Paixão, que a traduziu diretamente do checo, e adaptou-a para ser apresentada em palco, ao longo de cerca de duas horas, numa versão teatral.

Com encenação de José Maria Dias, a peça, em digressão, é interpretada por André Moniz, Cirila Bossuet, Eduardo Dias, Fábio Nóbrega Vaz, Graziela Dias, Hugo Moreira, João Jacinto e Patrícia Paixão e conta com um coro de voluntários dirigido pela maestrina checa Marketa Chumová.

A cenografia e a imagem da peça são do arquiteto e cenógrafo José Castanheiro, a sonoplastia de Emídio Buchinho, os figurinos de Zé Nova e a adaptação da dramaturgia de Patrícia Paixão e José Maria Dias, que também assina o desenho de luz.

No dia 1 de novembro, foi lançada, na Sala José Afonso da Casa da Cultura, a primeira tradução em português do livro R.U.R., um trabalho de Patrícia Paixão, com posfácio por Manuel Araújo e Raquel Varela.