Setúbal dispõe de uma oferta em equipamentos culturais que cobre a maioria das artes.

O cinema, a música, o teatro e as artes plásticas, entre outras expressões artísticas, têm um lugar reservado no concelho.

Nesta área fica a conhecer as infraestruturas disponíveis em Setúbal, onde o público pode procurar atividade cultural e onde os promotores de eventos podem organizar iniciativas.

A Gráfica | Logotipo

A Gráfica – Centro de Criação Artística, é um  equipamento municipal da responsabilidade do Departamento de Cultura, Desporto, Direitos Sociais e Juventude, sob a gestão da Divisão de Cultura.  A  aposta neste equipamento do Município de Setúbal é feita em projetos futuros, assentes em residências artísticas nacionais e internacionais, envolvendo a comunidade e os agentes culturais.

Localizada numa zona emblemática da cidade de Setúbal (no edifício dos antigos Armazéns Papéis do Sado), este foi o local escolhido para construir e desenvolver um Centro de Criação e Produção Cultural, onde todas as formas de pesquisa e expressão artística contemporânea se fundem: artes visuais, performativas, design, literatura, cultura digital, arquitetura, entre outras.

Os artistas procuram constantemente espaços exploratórios e de experimentação, bem como tempo e liberdade para criar, muitas das vezes aliando o público neste percurso criativo. Sendo a cidade de Setúbal um local de inspiração, com uma oferta diversa de equipamentos e espaços públicos de excelência, tem o potencial necessário para responder aos objetivos que se propõe.

Este espaço cultural procura, com uma visão agregadora e linear, afirmar Setúbal enquanto Cidade de Criação Artística.

A Gráfica não é apenas o que faz, é também uma nova e inovadora forma de fazer: um lugar aberto para conhecer, para celebrar, para descobrir e fazer parte.

Tem como objetivo o desenvolvimento de um programa que também ele tem que ser bastante abrangente, que combine um lado mais invisível e desconhecido do público, mas necessário na criação e produção de projetos, como é o caso, por exemplo, dos processos de pesquisa e investigação ou residências artísticas, com um lado mais público: debates, exposições, festivais, instalações ou atividades relacionadas com a formação e serviço educativo.

A criação deste espaço permite fomentar e possibilitar redes de trabalho nacionais e internacionais com outras estruturas culturais, fundamentais para a afirmação não só da cidade como local de criação, mas também dos artistas setubalenses, dando a conhecer o seu trabalho e possibilitando redes de contacto e a partilha de práticas.

A GRÁFICA – CENTRO DE CRIAÇÃO ARTÍSTICA
MORADA E CONTACTOS

Ladeira da Ponte de São Sebastião
2900-564 Setúbal
agrafica@mun-setubal.pt
Facebook

Horário
Aberto sempre que se realizem atividades públicas

A Gráfica é feita de vários espaços diferentes, prontos para servir eventos culturais com as mais variadas especificidades.

Existem cinco Armazéns, ainda com as características originais, estando previstas intervenções que assegurem essencialmente melhorias em termos térmicos e acústicos.

No entanto, as condições atuais possibilitam a realização de várias atividades.

  • ARMAZÉM RAIOS DE SOL
  • ARMAZÉM BLACK BOX
  • ARMAZÉM SADO
  • ARMAZÉM PAPEL
  • ARMAZÉM RESIDÊNCIA
  • ESPAÇOS EXTERIORES
  • O pé-direito existente torna este local ideal para atividades ligadas como o Novo Circo ou que impliquem um espaço de grandes dimensões.
    Além disso o Armazém Raios de Sol destina-se a:
    • Residências artísticas
    • Workshops nas mais diversas áreas artísticas
    • Apresentações formais e informais
    • Espaço expositivo
    • Projeção de cinema ou vídeo
    • Instalações

    Rider Técnico do armazém:

    Possui uma casa de banho no interior, assim como uma zona que pode servir de apoio a camarins.
  • Este espaço permite obscuridade total e destina-se não só à apresentação de espetáculos como também a:
    • Residências artísticas
    • Workshops nas mais diversas áreas artísticas
    • Apresentações formais e informais
    • Espaço expositivo
    • Projeção de cinema ou vídeo
    • Instalações
  • Pelas suas características, privilegia-se atualmente neste espaço as seguintes atividades:
    • Exposições
    • Instalações
    • Concertos
  • O Armazém Papel destina-se atualmente a uma zona de trabalho artístico com materiais e que implique construção.
    A residência artística do Atelier 2:pontos terá lugar neste espaço.
  • O Armazém Estúdio, com várias possibilidades, será o espaço preferencial para a realização de residências artísticas.
    No entanto, aqui podem decorrer outras atividades:
    • Workshops nas mais diversas áreas artísticas
    • Apresentações formais e informais
    • Projeção de cinema ou vídeo
    • Concertos

    Rider Técnico do armazém:

  • A Gráfica possui ainda espaços exteriores onde também decorrem atividades:

Auditório ao ar livre.

Equipamento de caráter lúdico, vocacionado para artes do espetáculo, construído sob a forma de pórtico e localizado no Largo José Afonso, junto da Avenida Luísa Todi.

O auditório, edificado no âmbito do programa Viver Setúbal – POLIS e inaugurado em novembro de 2005, tem uma estrutura no formato de um grande arco cénico que enquadra um auditório ao ar livre, com capacidade para 2500 espetadores.

O pórtico, com perto de 20 metros de altura, serve de estrutura de apoio ao palco, sustendo uma teia metálica motorizada com capacidade para ser adaptada a espetáculos com necessidades diferentes.

O Auditório José Afonso acolhe uma programação de eventos de música, teatro, festivais e outras atividades de animação, em especial durante os meses de verão.

Está aberto à utilização da comunidade mediante condições específicas.

O street artist Sérgio Odeith pintou, em março de 2014, um graffiti em toda a extensão da empena sul do auditório, reproduzindo uma fotografia do início do século XX, do acervo do Arquivo Fotográfico Américo Ribeiro, na qual é retratado um menino vendedor de pássaros.

A iniciativa, que constituiu uma homenagem ao fotógrafo setubalense Américo Ribeiro, foi realizada no âmbito do projeto “Arte em Toda a Parte”, promovido pela Immochan, com o apoio da Câmara Municipal, e que incluiu várias manifestações artísticas de caráter urbano no decurso da construção do centro comercial Alegro Setúbal.

“O Rapaz dos Pássaros”, como ficou conhecida a obra de Odeith, foi eleito em 2014, pelo movimento I Support Street Art, um dos melhores 24 murais de todo o mundo.

Largo José Afonso
2900-429 Setúbal
265 509 570 | dicul@mun-setubal.pt

A Casa da Cultura de Setúbal é um espaço de fomento e criação de variadas formas de arte, dinamizado pela Câmara Municipal de Setúbal em parceria com instituições do concelho, e instalado no edifício onde funcionou o Círculo Cultural de Setúbal, ligado à promoção da cidadania e ao incremento do acesso à cultura.

  • Escola de Música, dinamizada pela Sociedade Musical Capricho Setubalense
  • Centro de Documentação Local, Estudo e Promoção da Canção Popular Portuguesa, dinamizado pela Associação José Afonso
  • Espaço das Artes, dinamizado pela Artiset – Associação de Artistas Plásticos de Setúbal
  • Centro de Documentação Local, dinamizado pelo Centro de Estudos Bocagianos

Serviços e Equipamentos

  • Artes Café
  • Sala José Afonso
  • Salão Nobre
  • Galeria de exposições
  • Sala de ensaio
  • Estúdio de gravações
  • Receção/Loja

As taxas de utilização dos serviços disponíveis na Casa da Cultura podem ser consultadas nesta ligação

Contactos
Rua Detrás da Guarda, n.º 26 a 34
2900-347 Setúbal
265 236 168 | casacultura@mun-setubal.pt

Horário
Domingo, terça e quarta-feira
Das 10h00 às 22h00
Quinta, sexta e sábado
Das 10h00 à 01h00

Encerra à Segunda

Espaço vocacionado principalmente para sessões de cinema, mas igualmente com capacidade para acolher eventos de outra natureza, como conferências e colóquios.

O espaço foi adquirido pela Câmara Municipal de Setúbal em 1998, reabrindo ao público dois anos depois, a 31 de maio de 2000, após obras de modernização.

Em 2011, foi objeto de importantes obras de requalificação para a resolução de problemas no domínio do escoamento de águas e para a implementação de várias melhorias, como climatização da sala, segurança contra incêndios, instalações sanitárias para cidadãos portadores de deficiência, equipamento de projeção vídeo e nova decoração.

Pela qualidade da programação apresentada, este equipamento cultural integra a Europa Cinemas, rede europeia de salas de cinema, e a CICAE – Confederação Internacional dos Cinemas de Arte e Ensaio.

A programação cinematográfica é assegurada no âmbito de um protocolo entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Associação Cultural Festroia.

Além da vocação orientada para a Sétima Arte, recebe, igualmente, uma panóplia diversificada de eventos, como encontros, seminários e congressos.

A sala do Cinema Charlot – Auditório Municipal apresenta uma lotação de 239 lugares.

Rua António Manuel Gamito, n.º 11
2900-056 Setúbal
265 522 446 | cinema.charlot@mun-setubal.pt

Até 1640 o número de fortificações construídas pela costa portuguesa não chegava a duas dezenas, a partir deste período, num curto espaço de tempo, foram elevadas novas estruturas militares, ultrapassando, em muito, aquele número.

No caso da região arrabidina, antes deste período estavam contabilizadas três fortificações. No final do século XVII, outras dez tinham sido erguidas, das quais seis em Setúbal e Sesimbra.

Por ordem do rei D. João IV (1640-1656), começa a ser projetada, em 1642, a construção do Forte de Albarquel, iniciando-se a obra no ano seguinte (1643) a qual terminou já no reinado de Pedro II de Portugal (1683-1706).

Este Forte visava o reforço da capacidade de fogo da Fortaleza de S. Filipe e, estava integrado na estratégia de defesa militar do reino na proteção da barra de Setúbal.

Entre a população de Setúbal, que muito contribuiu para as obras de fortificação de toda a barra de Setúbal, encontravam-se os proprietários locais das marinhas de sal e a Confraria dos Navegantes e Pescadores da Vila de Setúbal ou “do Corpo Santo”.

O Forte de Albarquel foi desartilhado em 1883. Na primeira metade do século XX veio a ser construída nos terrenos adjacentes, uma fortificação subterrânea, dotada de casernas, depósito de água, paióis e central elétrica, com dispositivo de camuflagem e três canhões Krupp, de 150mm. A unidade incorporava até 1999, a 8.ª Bataria do extinto Regimento de Artilharia da Costa, do Exército Português.

A 21 de junho de 2001, inicia-se o processo de desafetação do domínio público militar do Forte de Albarquel, bem como de uma parcela de terreno inserida no domínio público hídrico, permitindo a posterior cedência de utilização do imóvel à Câmara Municipal de Setúbal que dele tomou posse, em 2015.

Seguiu-se a respetiva recuperação e requalificação como núcleo museológico, adequando-o igualmente à realização de atividades culturais, de apoio turístico e de sensibilização ambiental.

Horário
Terça-feira a sexta-feira
Das 10h00 às 12h00 e das 15h00 às 17h00
Sábado
Das 10h00 às 13h00
Encerrado aos domingos, segundas-feiras e feriados

Inaugurado a 24 de julho de 1960, reabriu ao público a 15 de setembro de 2012 completamente modernizado e dotado das valências necessárias para tornar possível o acolhimento de eventos de diferentes estilos artísticos e iniciativas com outras características, como congressos e seminários.

Com o projeto de requalificação deste espaço manteve-se a traça arquitetónica, que permanece como uma das imagens de marca da cidade.

Com lotação para 640 pessoas, dos quais seisa lugares são para pessoas com mobilidade reduzida, já passaram por este palco grandes nomes do teatro, da música e da dança.

Contactos
Avenida Luísa Todi, 61-67
2900-461  Setúbal
265 522 127 | fmlt@mun-setubal.pt
www.forumluisatodi.pt

Bilheteira
bilheteira.fmlt@mun-setubal.pt

 

Documentos Relacionados