17° Nublado
Coronavírus Covid-19 | São Sebastião apoio população vulnerável | Foto: Junta de Freguesia de São Sebastião

Os membros do executivo da Junta de Freguesia de São Sebastião e os trabalhadores iniciaram as funções temporárias de prestação de apoio à população mais vulnerável no contexto da pandemia Covid-19, em articulação com o Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal.


Considerando a fase particularmente difícil da nossa vida coletiva, a Junta de Freguesia de São Sebastião, unindo esforços com as suas congéneres no concelho, o município, a Proteção Civil e algumas associações e instituições de solidariedade social, criou um grupo de apoio à população mais vulnerável, cujas condições de vida tenham sido alteradas por força das circunstâncias criadas pelas restrições extraordinárias impostas pelo Estado de Emergência.

Em São Sebastião, este grupo integra equipas compostas por membros do executivo e trabalhadores dos setores operacional e administrativo, responsáveis pela organização e operacionalização de ações no território que incluem a entrega ao domicílio de bens essenciais – medicamentos, alimentos ou outros produtos de primeira necessidade, à população que reúna os seguintes critérios: idade superior a 70 anos; ser doente crónico ou oncológico; ser portador de deficiência ou incapacidade; estar de quarentena por Covid-19, determinada pela autoridade de saúde local.

“Estamos essencialmente a prestar um serviço de entrega de medicamentos e outros bens essenciais a casa dos fregueses que reúnam os critérios estipulados pela Comissão Municipal de Proteção Civil e que, tendo meios para adquirir esses produtos, não têm, neste momento, capacidade para os ir buscar”, explica o presidente da Junta de Freguesia de São Sebastião, Nuno Costa.

O autarca acrescenta que têm “sido reportadas várias situações que não se enquadram neste contexto e que não são elegíveis para receber este apoio pontual, cuja capacidade de resposta é limitada e deve beneficiar apenas quem realmente necessita”, no âmbito das restrições impostas pelo Estado de Emergência Nacional.

As novas atribuições da Junta de Freguesia, criadas para ajudar a população a ultrapassar as dificuldades geradas no âmbito da pandemia, exigem um grande esforço de reorganização financeira e de recursos humanos e materiais da “freguesia du Bocage”.

O presidente Nuno Costa, que em conjunto com os seus colegas de executivo, abraçou este desafio desde a primeira hora, garante que “os eleitos e os trabalhadores desta junta de freguesia não vão medir esforços para assegurar o bem estar da população, dando continuidade à perspetiva que sempre norteou o poder local, e particularmente as juntas de freguesia: a proteção e apoio à população, prosseguindo as suas legítimas expectativas. A única forma de superar as dificuldades impostas por esta pandemia é através da união e da solidariedade de todos por todos, para que ninguém fique sem apoio!”

Esta rede local de apoio está igualmente incumbida de monitorizar diariamente, em articulação com as superfícies de distribuição, farmácias e outras instalações com bens essenciais, sobre as existências e manutenção da capacidade de stocks da lista de bens essenciais criada para o efeito.

De referir que as instituições que habitualmente prestam assistência aos casos comprovados de carência têm vindo a reforçar o seu alcance neste período. No entanto, apelamos a quem tiver conhecimento de situações neste âmbito no nosso território e que não estejam a ser acompanhadas, que as comunique através da linha de emergência 800 212 216.