25° Céu limpo
Serra da Arrábida

Setúbal associa-se às celebrações do Dia Mundial dos Oceanos, que se assinala a 8, sob o lema “Inovação para um oceano sustentável”, com o lançamento recente de uma plataforma educativa dedicada ao combate às alterações climáticas.


O site “Setúbal em Bom Ambiente”, disponível em www.setubalambiente.pt, reúne, numa única plataforma, os diversos projetos que estão a ser desenvolvidos pelo município no combate à crise climática, assim como conteúdos relacionados com educação ambiental, mobilidade, espaços verdes e eficiência energética.

No ano em que a Praia da Figueirinha viu confirmado, pelo décimo segundo ano consecutivo, o estatuto de Bandeira Azul, a Câmara Municipal de Setúbal continua a dar passos largos no caminho do desenvolvimento sustentável e no desígnio de “cidade verde, rio azul”.

No início deste ano, a autarquia implementou medidas de redução do uso do plástico com a adoção de garrafas de vidro e novos sistemas de purificação de água para consumo nos edifícios municipais.

Deste modo, implementou nos Paços do Concelho um novo sistema de purificação de água, com o objetivo de reduzir a utilização de garrafas de água descartáveis.

Recentemente, aprovou a apresentação ao Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas a candidatura de dezassete exemplares arbóreos existentes na cidade ao reconhecimento de Árvores de Interesse Público.

O inovador Selo Verde, certificado de qualidade que estimula e reconhece boas práticas ambientais, distinguiu, em junho do ano passado, dezassete entidades do concelho, entre empresas, juntas de freguesias, escolas e coletividades, que concluíram com sucesso o processo de certificação conduzido pela autarquia e pela ENA – Agência de Energia e Ambiente da Arrábida.

Em junho, os desafios que se colocam à descarbonização da economia, sobretudo na indústria automóvel, para uma nova mobilidade inteligente, estiveram em análise em conferência do Portugal Mobi Summit, em Setúbal.

Atividades de sensibilização para a importância da reciclagem constituíram uma campanha que decorreu entre junho e setembro nas praias da Figueirinha, do Creiro e de Albarquel.

A campanha Amarsul Eco Praias 2019, dinamizada pela Amarsul com a colaboração da autarquia, teve como objetivo disponibilizar uma rede de ecopontos que permitam à população entregar as suas embalagens, desviando resíduos de aterro e dos oceanos.

Em articulação com o município, a Amarsul iniciou igualmente um conjunto de ações de sensibilização junto de estabelecimentos comerciais de Setúbal, com vista a incentivar os proprietários e responsáveis dos estabelecimentos comerciais da área da restauração a adotar comportamentos ambientalmente corretos.

Em 2019, a campanha foi dedicada ao tema “Do rio ao mar sem lixo!”, com o objetivo de consciencializar a sociedade para a necessidade de proteção do ambiente marinho e costeiro e incentivar a realização de ações conducentes à resolução dos problemas existentes.

O lixo marinho, em particular os microplásticos, e a necessidade de promover o debate sobre as potenciais soluções para reduzir esta problemática, estiveram em reflexão, na segunda edição de uma conferência nacional que juntou, em setembro, especialistas na partilha de conhecimento sobre esta matéria.

A área da mobilidade urbana tem sido alvo, nos últimos anos, de um forte investimento camarário, de que é exemplo a requalificação de importantes artérias, tornando-as mais amigas do peão e com ciclovias dedicadas.

Três grandes ações estruturantes da operação “Otimização do Sistema de Saneamento de Setúbal” otimizaram o sistema de saneamento urbano da cidade e permitiu melhorar a qualidade ambiental do concelho.

O investimento superior a 2,5 milhões de euros, com apoio comunitário, permitiu fechar o circuito de águas residuais e criar uma rede separativa de esgotos, uma para águas residuais domésticas, outra para pluviais.

Ao longo de 2019, o município tem implementado, através do Centro de Recolha Oficial de Animais de Companhia (CROAC), um conjunto de medidas para responder a questões ligadas com a defesa e o bem-estar animal, caso da adesão ao programa nacional CED, campanha de captura de gatos de rua para esterilização, desparasitação, vacinação e microchip e posterior devolução à colónia, em detrimento da prática da eutanásia.

Esta política resultou na recente instalação de uma sala de esterilizações nas instalações do Parque Municipal de Poçoilos, para levar a efeito o programa CED.

As práticas ambientais do município de Setúbal foram reconhecidas com a atribuição de diversos prémios em 2019. Em outubro, a autarquia recebeu a bandeira ECOXXI da Associação Bandeira Azul e o prémio Educação Ambiental da Humana Circular, que evidenciam políticas que contribuem para o desenvolvimento sustentável.

Três freguesias do concelho foram premiadas no projeto nacional “Freguesias + Eficientes”, com vista à implementação de medidas promotoras de uma melhor gestão energética através da redução de consumos de eletricidade.

Ao longo de 2019, empresas e instituições da região participaram em diversas iniciativas de reflexão sobre as alterações climáticas e soluções sustentáveis para o desenvolvimento dos territórios no âmbito do projeto internacional BEACON.

Em novembro, Setúbal recebeu a última sessão da digressão portuguesa do Ocean Film Tour 2019, evento destinado a despertar consciências para a importância da preservação dos oceanos através da exibição de documentários e da apresentação de projetos ambientais.

Em dezembro, o município de Setúbal subscreveu o Plano Metropolitano de Adaptação às Alterações Climáticas, que define medidas de minimização dos riscos climáticos na Área Metropolitana de Lisboa.

Em comunicado no Dia Mundial dos Oceanos, a Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura (UNESCO) defendeu que a pandemia de Covid-19 oferece a oportunidade de repensar a relação com o meio ambiente e com os recursos marinhos e de reunir e criar programas de ação ambiciosos.

“Aproveitemos este momento para fazer soar o alarme, talvez mais amplamente do que temos feito até agora, pois nenhuma solução técnica pode substituir uma consciência generalizada e pessoal das ameaças que pesam sobre os oceanos, os seus mistérios e a sua beleza”, disse a diretora-geral da UNESCO, Audrey Azoula.

 

Documentos Relacionados