14° Nublado
VI Conferência Anual de Educação

A VI Conferência Anual de Educação realizou-se no dia 9 de setembro, no Fórum Municipal Luísa Todi, num encontro subordinado ao tema “A cidade como espaço de aprendizagem ao longo da vida”.

A Conferência Anual de Educação reúne profissionais, técnicos e académicos que partilham experiências e visões que podem marcar a diferença por um sistema de ensino melhor, não só no concelho de Setúbal, mas também no panorama geral do setor da Educação no país.

A partir desta página, aceda a intervenções de oradores convidados. 

SESSÃO DE ABERTURA | 10H00

Maria das Dores Meira

Maria das Dores Meira

Presidente da Câmara Municipal de Setúbal

Sessão de Abertura

Representada pelo vice-presidente da Câmara Municipal de Setúbal, Manuel Pisco

Discurso de abertura

Exmo. Sr. Secretário Executivo da Comissão Nacional da UNESCO,

Exmos. Srs. Vereadores e Presidentes de Junta do Município de Setúbal,

Exmos. Srs. Autarcas, de outros Municípios,

Digníssima Comissão Científica constituída pela Dra. Ângela Lemos, Dra. Gina Lemos e Dra. Ana Costa,

Digníssimos Conferencistas, Oradores e Moderadores,

Caríssimos docentes, não docentes, técnicos, representantes de Associações de Pais e todos os participantes na VI Conferência Anual de Educação de Setúbal,

Senhoras e senhores,

Quero, antes de mais, dar-vos as boas-vindas a este espaço anual de encontro, reflexão e capacitação da comunidade educativa.

Aqui estamos para mais uma Conferência Anual de Educação de Setúbal, embora desta vez num contexto mais complexo e com maiores restrições ao nosso convívio, mas nunca com restrições à nossa vontade de continuar a debater, a trabalhar e a lutar por melhor educação, melhor escola.

Por Mais Cidade.

Aqui estamos, em pleno cumprimento das regras estabelecidas, com a afirmação de que a vida continua e de que é tempo de vencer o medo e de não nos deixarmos paralisar, como por vezes alguns parecem pretender, por receios excessivos e, por vezes, pouco racionais.

Aqui, nesta conferência, com a ajuda de especialistas das ciências da educação e com o intercâmbio de experiências locais, nacionais e internacionais, procuramos novos caminhos e definimos ações concretas adaptadas às especificidades do território.

Neste ano marcado pela pandemia COVID-19 e por todas as restrições que limitam as nossas vidas, adaptámos o programa da nossa conferência, diminuímos o número de participantes, disponibilizámos a participação em streaming e, claro, cumprimos todas as diretrizes da DGS na organização e implementação do evento.

Insistimos em manter este encontro anual, onde, em conjunto, podemos refletir sobre que Educação queremos no nosso município e para o nosso município.

A cidade, como espaço de aprendizagem ao longo da vida, é o tema propomos para debate nesta sexta edição da nossa conferência.

Queremos falar da aprendizagem que acontece logo desde a primeira infância e, claro, no resto das nossas vidas, por via da aprendizagem formal, não formal e informal e em todos os contextos, incluindo a família, a escola, o local de trabalho, a vizinhança e outras comunidades.

Defendemos que uma cidade de aprendizagem deve construir-se de modo a ser mais capaz de responder à necessidade que os seus cidadãos têm de aprender.

Na cidade que desejamos todos podem utilizar os recursos de forma mais eficaz e assim ter mais oportunidades de aprendizagem.

Esta é a cidade onde se promove a igualdade, a justiça social. Onde se mantém a coesão social e se cria prosperidade sustentável.

Na cidade de aprendizagem que estamos a construir há uma rede dinâmica que visa criar laços, fomentar parcerias e construir competências.

Estes são, claramente, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, que fazem parte da nossa linha de trabalho.

Esta é a urbe que procura ser resiliente, que se adapta às dificuldades, que cria forças, que se organiza, que encara os desafios, que cria redes.

É a cidade solidária e que se vê como um todo.

Setúbal, neste ano difícil que tanto exigiu de todos nós, mostrou tudo isso.

Mostrou, acima de tudo, ser capaz ao se constituir como exemplo no trabalho de prevenção e mitigação da pandemia.

Além disso, importa destacar que somos Cidade Educadora desde 2012, ano da integração na Associação Internacional das Cidades de Educadoras, e Cidade de Aprendizagem da UNESCO desde 2019.

No âmbito da abertura do ano letivo, a Câmara Municipal de Setúbal tem vindo a trabalhar em estreita articulação com as direções dos agrupamentos de escolas e de escolas não agrupadas e com as associações de pais e encarregados de educação no sentido de assegurar que o regresso às aulas seja feito em segurança e confiança.

Mas tal só acontecerá se todos cumprirmos a nossa parte enquanto cidadãos.

Pela nossa parte, estamos a trabalhar para que tudo possa decorrer na maior segurança e com toda a confiança.

Promovemos a abertura e apetrechamento de mais quatro salas de educação pré-escolar no concelho, adaptámos cozinhas e refeitórios de modo a responder às orientações da DGS, adquirimos equipamentos de proteção individual e de reforço do fardamento para trabalhadores do município a desempenhar funções nas escolas e reforçámos o número de assistentes operacionais na educação pré-escolar e 1.º ciclo do ensino básico.

Mas fizemos ainda mais.

Elaborámos candidaturas para remoção de fibrocimento nas escolas de 1.º ciclo do ensino básico que se encontravam encapsuladas, fizemos um acordo de colaboração com Ministério da Educação para a elaboração de candidatura para remoção de coberturas de fibrocimento de duas escolas de 2.º e 3.º ciclos do ensino básico e uma de ensino secundário, tratámos da substituição de estores e da pintura exterior na Escola Básica São Gabriel, colocámos equipamento lúdico na Escola Básica de Casal de Bolinhos e substituímos o que estava no Jardim de Infância Luísa Todi.

No âmbito dos contratos interadministrativos com as juntas de freguesia foi realizado um conjunto de intervenções de manutenção dos equipamentos e espaços escolares, oferecemos livros de atividades de todas as disciplinas a todos os alunos do 1.º ciclo do ensino básico e preparámos os projetos de arquitetura para a requalificação de duas escolas de 1.º ciclo do ensino básico, com o objetivo de aumentar a oferta de educação pré-escolar e eliminar os regimes duplos no 1.º ciclo.

Agora, é tempo de voltar à escola.

Em segurança e com confiança.

Mas antes, façamos aqui a nossa troca de opiniões e participemos, também nós, neste momento de aprendizagem que será, certamente, esta nossa sexta conferência anual de educação.

A todas e a todos, muito obrigada por aqui estarem hoje.

Sérgio Gorjão

Sérgio Gorjão

Secretário Executivo da Comissão Nacional da UNESCO

Curriculum

  • Licenciado em História, mestre em Museologia, doutorando em Arquitetura pela Universidade de Lisboa
  • Técnico-superior da Direção-Geral do Património Cultural
  • Foi diretor do Museu Nacional Grão Vasco
  • Desenvolveu atividade profissional na área da museologia e património em Óbidos, Miranda do Douro e Mafra, e internacionalmente através do Projeto Ásia URBS, da União Europeia, na cidade de Xingcheng, província de Lioaning, República Popular da China (2004-2006)
  • Entre 2016 e 2020 integrou a equipa técnica e científica de elaboração do dossier de candidatura do Real Edifício de Mafra à Lista do Património Mundial, inscrito em julho de 2019
  • É presentemente Secretário Executivo da Comissão Nacional da UNESCO

“A cidade como espaço de aprendizagem ao longo da vida” | 11h00

Tiago Pereira

Tiago Pereira

Ordem dos Psicólogos Portugueses

Moderador

Curriculum

  • Psicólogo, Especialista em Psicologia da Educação e do Trabalho, Social e das Organizações pela Ordem dos Psicólogos Portugueses (OPP)
  • Foi psicólogo e coordenador de projetos de intervenção social/comunitária e psicólogo com intervenção em contexto escolar
  • Foi, também, Assistente Convidado da Universidade de Évora, com responsabilidade em unidades curriculares referentes à Psicologia da Educação e Social e Comunitária
  • Também nesta área é formador, investigador e consultor, desenvolvendo ainda trabalho nas dimensões do comportamento, mudança, comunicação, liderança, gestão de equipas e políticas públicas
  • É desde 2014 COO, função que acumula com a de Chefe de Gabinete do Bastonário e, temporariamente, coordenador do gabinete de crise Covid-19 da Ordem dos Psicólogos Portugueses

Luiz Oosterbeek

Luiz Oosterbeek

Cidade de Aprendizagem de Mação | Coordenador de Cátedra UNESCO

Coordenador do projeto da Cidade de Aprendizagem de Mação e coordenador da Cátedra UNESCO “Humanidades e Gestão Cultural Integrado do Território”

Curriculum

  • Professor Coordenador do Instituto Politécnico de Tomar
  • Coordenador da Cátedra UNESCO de Humanidades e Gestão Cultural Integrada do Território
  • Secretário-Geral do Conselho Internacional de Filosofia e Ciências Humanas
  • Vice-presidente de HERITY International
  • Diretor de projetos de arqueologia, gestão do património e gestão do território na Europa, África e América Latina
  • Diretor do Museu de Mação
  • Presidente do Instituto Terra e Memória
  • Vice-diretor do Centro de Geociências da Universidade de Coimbra
  • Autor e coautor de cerca de 70 livros e 300 artigos

Consulte a apresentação

Ana Luísa Pires

Ana Luísa Pires

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal

Curriculum

  • Professora Coordenadora na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, onde coordena a Unidade de Desenvolvimento, Reconhecimento e Validação de Competências
  • Membro integrado no CICS.NOVA — Centro Interdisciplinar em Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa, onde desenvolve investigação nas áreas da Educação/Formação de Adultos, Formação ao Longo da Vida, Políticas Educativas no Ensino Superior e Formação de Professores
  • Doutorada em Ciências de Educação pela Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade Nova de Lisboa, tendo feito o pós-doutoramento na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Lisboa
  • Além de ter participado em diversos projetos de investigação, é autora de um vasto leque de publicações nacionais e internacionais, entre livros, capítulos de livros e artigos em revistas científicas

Consulte a apresentação

“CAMINHOS QUE SE TRILHAM” | APRESENTAÇÃO DE EXPERIÊNCIAS | 14h30

Maria Clara Félix

Maria Clara Félix

Diretora do Agrupamento de Escolas de Azeitão

Moderadora

Curriculum

Maria Clara Félix nasceu em Setúbal em 1958, mas é em Azeitão onde há muito vive e trabalha. A educação é a linha mestra do seu percurso profissional, desenvolvido em grande parte na escola de Azeitão. Licenciada em Línguas e Literaturas Modernas, variante de Estudos Portugueses e Franceses pela Universidade Nova de Lisboa, tem uma pós-graduação em Educação e Desenvolvimento e outra em Administração Escolar. Em 2004, fez parte da equipa de Investigação em Educação e Desenvolvimento da Universidade Nova de Lisboa. Em 2019, integrou a Comissão de Acompanhamento e Avaliação da Licenciatura em Educação Básica da Escola Superior de Educação de Setúbal.

Ainda nos primeiros anos de universidade, estreou-se como professora de Português, na Escola Preparatória Luísa Todi. Em 1981, foi colocada na Escola Preparatória de Azeitão. Em meados da década de 80, voltou à cidade de Setúbal, tendo lecionado na Escola Secundária n.º 1. Regressou a Azeitão em 1992 e é lá que continua a exercer.
Ao longo dos anos, à vida de professora somou diferentes cargos pedagógicos e diretivos. Enquanto presidente dos cursos noturnos (assim se designavam) participou na implementação do ensino recorrente e de um Curso de Português dirigido a adultos de todos os níveis de escolaridade.

Entre 1999 e 2002, prestou funções na Agência Nacional de Educação e Formação de Adultos (ANEFA), onde participou na criação de uma rede nacional de educação e formação de adultos – cursos de Educação e Formação de Adultos (EFA), Ações S@bER+ e Centros RVCC, mais tarde, denominados Centro de Novas Oportunidades. Em 2005, assumiu as funções de diretora do Agrupamento de Escolas de Azeitão. Promoveu uma identidade de agrupamento e a necessidade de educar numa relação do Eu com os outros, com os espaços e com o conhecimento. Consciente da necessidade da escola se adaptar e transformar ao ritmo dos desafios que vão surgindo, tem promovido a educação em cidadania, a preparação dos alunos para um mundo em mudança. Uma escola de todos e para todos.

Oficinas Colaborativas – Espaços de aprendizagem coletiva

Oficinas Colaborativas – Espaços de aprendizagem coletiva

Câmara Municipal de Setúbal | Divisão de Direitos Sociais

Bairros dos Pescadores e Grito do Povo

Consulte a apresentação

Carlos Mata

Carlos Mata

Pró-presidente do Instituto Politécnico de Setúbal

Responsável pela área da Responsabilidade Social
Intervenção “Politécnico de Setúbal: Ensino Superior de e para a Região”

Curriculum

  • Pró-presidente do IPS para os pelouros da Inserção na Vida Ativa, Rede Alumni e Responsabilidade Social
  • Doutorando em Gestão, Mestre em Gestão de Empresas, ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa e licenciado em Contabilidade e Finanças, pela Escola Superior de Ciências Empresariais do Instituto Politécnico de Setúbal (ESCE/IPS)
  • É professor adjunto da ESCE/IPS e Investigador do Centro de Investigação em Ciências Empresariais (CICE/IPS)
  • Com interesses de investigação nas áreas da Responsabilidade Social e Sustentabilidade, tem participado em conferências nacionais e internacionais
  • Tem várias publicações, livro e artigos sobre responsabilidade social, governo corporativo e contabilidade

Consulte a apresentação

Susana Piçarra

Susana Piçarra

Vice-presidente do Instituto Politécnico de Setúbal

Responsável pela área da Investigação e Desenvolvimento e Relacionamento com a Envolvente
Intervenção “Politécnico de Setúbal: Ensino Superior de e para a Região”

Curriculum

  • Vice-Presidente do IPS, com os pelouros da Investigação e Desenvolvimento, Internacionalização e Relação com Empresas
  • Doutorou-se em Engenharia Química pelo Instituto Superior Técnico em 2002, após conclusão da licenciatura com a mesma designação e na mesma instituição, em 1996
  • No IPS há 20 anos, é professora coordenadora da Secção de Engenharia Química e Biológica na ESTB/IPS e Investigadora no Centro de Química Estrutural
  • Os seus principais interesses científicos centram-se no desenvolvimento de novos materiais para aplicações inovadoras, como consolidantes para a conservação de pedra em edifícios históricos
  • Tem 20 publicações em revistas internacionais indexadas, três patentes, três capítulos de livros científicos, sete publicações em conferências, além de mais de 30 comunicações em congressos internacionais e nacionais
  • Acredita que a única forma eficaz de ensinar é colocar os estudantes perante desafios reais, que os levem a procurar ferramentas e a construir conhecimento. Sabe também que todo o conhecimento gerado deve ser devolvido à sociedade
  • É, desde 2019, “Embaixadora da cidade de Setúbal”

Consulte a apresentação

Raquel Gaspar

Raquel Gaspar

Bióloga marinha e co-fundadora da Ocean Alive

Intervenção “Guardiãs do Mar: novas profissões que valorizam a sabedoria”. Participação com o contributo de mariscadoras.

Curriculum

Bióloga marinha e co-fundadora da Ocean Alive, organização de educação marinha dedicada à alteração de comportamentos na comunidade promovendo o papel das mulheres do mar, na sustentabilidade Oceano. Este projeto tem como objetivo a proteção das pradarias marinhas do estuário do Sado.

A Raquel é embaixadora de Setúbal e uma das portuguesas exploradoras da National Geographic. Em 2019, foi distinguida com a medalha da Cidade de Setúbal, com o galardão “Iconic Women Creating a Better World for All – Associations that Work” atribuído pelo Women Economic Forum e com a medalha de mérito científico, atribuída pelo ministro da ciência, tecnologia e ensino superior. Em 2017 foi vencedora do Prémio Terre de Femmes da Fundação Yves Rocher e em 2015, recebeu uma fellowship da fundação Ariane de Rothschild.

Realizou um pós-doutoramento sobre comunicação de ciência promovendo o papel das histórias na literacia do oceano. É autora de livros para crianças e de projetos pedagógicos. Trabalhou na área da conservação dos cetáceos com ONGs, a Universidade dos Açores e o Instituto da Conservação da Natureza e Florestas. Doutorada pela Universidade de St. Andrews desenvolveu a sua investigação sobre a dinâmica populacional dos roazes do Estuário do Sado, a qual acompanhou durante mais de 20 anos.

Consulte a apresentação

Luís Mesquita

Luís Mesquita

Diretor da Escola de Segunda Oportunidade de Matosinhos

Intervenção “Escolas de segunda oportunidade”

Curriculum

  • Licenciado em História, pós-graduado em Animação Comunitária e Educação de Adultos, mestre em Ciências da Educação e doutorando em Educação
  • Tem uma carreira de 40 anos como professor do ensino público não superior e foi professor convidado, de 1997 a 2013, na Escola Superior de Educação do Porto (ESE-IPP)
  • Ao longo da carreira, teve responsabilidades de direção de diversas organizações: foi presidente da Comissão Instaladora da Escola EB 2/3 Professor Óscar Lopes, em Matosinhos, diretor do Centro de Formação de Professores da DREN, diretor do Departamento de Desenvolvimento Social da Câmara Municipal do Porto e presidente da CPCJ de Porto Oriental
  • É o fundador e atual diretor da Escola de Segunda Oportunidade de Matosinhos, aberta em 2008, a primeira Escola de Segunda Oportunidade em Portugal, membro da direção da rede europeia de escolas de segunda oportunidade, E2C Europa, membro da coordenação da rede nacional de iniciativas e escolas de segunda oportunidade, E2O Portugal e membro da rede MedNC, a rede de segunda oportunidade do Mediterrâneo

Consulte a apresentação

SESSÃO DE ENCERRAMENTO

Carla Cibele Figueiredo

Carla Cibele Figueiredo

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal

Relatora

Curriculum

  • Carla Cibele Figueiredo concluiu o curso do Magistério Primário (Lisboa, 1987), é licenciada em Psicologia da Educação (ISPA, 1994), tendo ainda o mestrado em Relações Interculturais (Universidade Aberta, 1999) e o doutoramento em Educação (2011, Universidade de Lisboa)
  • Foi professora do 1.º Ciclo, Técnica de Educação no Ministério da Educação (Instituto de Inovação Educacional) até 1999, ano em que transitou para a Escola Superior de Educação de Setúbal como docente do ensino superior.
  • Está atualmente inserida no departamento de Ciências Sociais e Pedagogia, coordenando nesta escola o curso de Animação e Intervenção Sociocultural, a pós-graduação em Intervenção Social e Práticas Artísticas e o Centro de Investigação em Educação e Formação (CiEF-IPS).
  • Desde 1997 tem trabalhado na formação inicial e contínua de professores, educadores e animadores socioculturais.
  • Ao longo da carreira profissional tem desenvolvido vários projetos de formação, de investigação e de intervenção comunitária nas áreas do Sucesso Escolar, Inclusão e Cidadania, Multiculturalidade e Políticas educativas.
  • Colabora com várias instituições e agências de avaliação, apoiando, como perita externa, desde 2009, as escolas inseridas em Territórios de Intervenção Prioritária (TEIP).
  • Desde jovem que se interessa pela Educação e pelas Artes, tendo feito um percurso pela educação não formal e pelo teatro ainda antes de ingressar na formação que a levaria a prosseguir a carreira docente, primeiro no Ensino Básico e depois no Ensino Superior. Manteve sempre um grande gosto pela leitura e pela escrita, assim como pela ligação entre a literatura, o cinema e o teatro, alimentando estes interesses e procurando adquirir novos saberes nessas áreas, mobilizando-os, sempre que possível, para a vida profissional, nomeadamente na formação de jovens e adultos no ensino superior.
  • Nos últimos anos tem procurado dinamizar e/ou envolver-se, quer no seio da escola, quer da comunidade, em projetos de incentivo a práticas ativas e diversificadas que promovam o gosto por ler.

Consulte a apresentação

Ricardo Oliveira

Ricardo Oliveira

Vereador da Educação

Sessão de Encerramento

Comissão Científica

Ângela Cremon de Lemos

Ângela Cremon de Lemos

Vice-presidente do Instituto Politécnico de Setúbal

Curriculum

  • Professora adjunta da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE/IPS) desde 1998
  • Bacharel em Educação de Infância (1990)
  • Licenciada em Psicologia (2000)
  • Mestre em Ciências da Educação (2005)
  • Doutorada em Educação (2015)
  • Vice-presidente do Instituto Politécnico de Setúbal desde 2018
  • Tem vasta experiência no apoio e acompanhamento de estágios em educação de infância, nomeadamente em educação pré-escolar
  • Os seus interesses centram-se na compreensão das práticas pedagógicas das educadoras de infância em contextos educação de infância

Ana Costa

Ana Costa

Escola Superior de Educação | Instituto Politécnico de Setúbal

Curriculum

  • Professora-adjunta na Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal (ESE-IPS)
  • Integra o Centro de Linguística da Universidade de Lisboa (setor Dialetologia e Diacronia)
  • Colabora com o Centro de Investigação, Educação e Formação da ESE-IPS
  • Licenciatura em Línguas e Literaturas Modernas – Estudos Portugueses e Espanhóis (1994) e Ramo de Formação Educacional (1996), na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa
  • Doutorou-se em Linguística, na especialidade de Linguística Educacional, com a dissertação “Estruturas contrastivas: desenvolvimento do conhecimento explícito e da competência de escrita”, apresentada à Universidade de Lisboa (2010)
  • Entre 2012 e 2015, integrou, como bolseira de pós-doutoramento, a equipa do Post Scriptum: Arquivo digital da escrita quotidiana em Portugal e Espanha na época moderna, projeto do Centro de Linguística da Universidade de Lisboa, financiado pelo European Research Council (7FP/ERC Advanced Grant ­ GA 295562)
  • Professora do ensino básico e secundário (1997 a 2012), sendo professora do quadro de nomeação definitiva do Agrupamento de Escolas Lima de Freitas (Setúbal)
  • Desempenhou funções docentes no ensino secundário requisitada no Ramo de Formação Educacional da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa(2000 a 2007)
  • Colaborou com o Gabinete de Avaliação Educacional
  • Atualmente, na sua atividade docente, dedica-se à formação de educadores e de professores do ensino básico, lecionando unidades curriculares da área da Didática da Língua e da Linguística
  • Entre as atividades de formação contínua de professores, destaca-se a participação em várias ações na área das didáticas específicas, da avaliação educacional e da pedagogia no ensino superior
  • É membro do Conselho Técnico-Científico da ESE-IPS e cocoordenadora da Licenciatura em Educação Básica

Gina Lemos

Gina Lemos

Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal

Curriculum

Como muitos Setubalenses de coração, nasceu em Lisboa, mas cresceu e faz-se crescer na cidade que a viu menina nos saraus do Vitória.

Aluna tímida e empenhada, fez as primeiras aprendizagens nos Pirilampos e no Jardim de Infância de Setúbal, dividindo o ensino primário entre Águas de Moura, Vila Fresca de Azeitão e a cidade de Setúbal. Seguiu para o ciclo e, na secundária de Bocage, encontrou o amor da sua vida. Foi a quatrocentos quilómetros, em Braga, que fez a licenciatura em Psicologia, o doutoramento em Psicologia da Educação, e o pós-doutoramento em Ciências da Educação, na Universidade do Minho.

Como docente partilha, com entusiasmo, conhecimento e práticas nos domínios que são a sua aposta: Psicologia da Educação, Educação Inclusiva, Avaliação Cognitiva, e Metodologias de Investigação.

Colabora na formação pós-graduada e na formação contínua de professores como professora adjunta convidada da Escola Superior de Educação do Instituto Politécnico de Setúbal, com particular foco em temas como a Educação Inclusiva, a Diferenciação Pedagógica e o Trabalho Colaborativo.

Como investigadora, desde 2003 dedica-se ao estudo de fatores pessoais e contextuais que contribuem para a aprendizagem em crianças e jovens a frequentar o nosso ensino básico e secundário, em projetos de dimensão nacional, e trabalha na conceção, validação e aferição de instrumentos de avaliação cognitiva.

É autora da Bateria de Aptidões Cognitivas (BAC; Lemos & Almeida, 2015) e coautora da Bateria de Provas de Raciocínio (BPR; Almeida & Lemos, 2015).

É investigadora no Centro de Investigação em Educação da Universidade do Minho (CIEd, UM) e colabora com o Centro de Investigação em Educação e Formação do Instituto Politécnico de Setúbal (CIEF-IPS). Desde 2014 que desenvolve trabalho no âmbito da literacia: participou enquanto expert no projeto da European Literacy Policy Network (ELINET; www.eli-net.eu), rede europeia empenhada na elaboração de políticas europeias e promoção da literacia na Europa; é especialista independente responsável pela apreciação de livros a recomendar pelo Plano Nacional de Leitura (PNL2027); e mais recentemente abraçou um projeto de investigação, financiado pela EDULOG, que pretende aprofundar o conhecimento sobre a formação inicial de professores do 1.º e 2.º Ciclos do Ensino Básico em relação ao ensino da leitura e da escrita (https://www.edulog.pt/investigacao_projeto/13).

Desenvolve trabalhos e participa em estudos com colegas do Brasil, Moçambique, Espanha, Holanda e Reino Unido, publicados em revistas especializadas.

Corre o país e voa sem fronteiras por motivos profissionais, mas é aqui, em Setúbal, que escolhe ficar e fazer crescer a sua família. Aqui, onde bate o coração, é a sua casa.

Programa detalhado

V Conferência Anual de Educação | Ata (2019)

 

Documentos Relacionados