22° Céu limpo

A presidente da Câmara Municipal esteve no dia 7 no Hospital São Bernardo e na Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, no âmbito de um conjunto de visitas a instituições na linha da frente no combate à pandemia de Covid-19.

Maria das Dores Meira expressou no hospital “um grande reconhecimento” pela forma “dedicada e intensa” com que médicos, enfermeiros e restante pessoal trabalha neste quadro de crise sanitária.

A autarca notou que, desde o início da pandemia e até ao momento, estiveram hospitalizados 14 doentes com Covid-19.

“Os restantes números divulgados não moram no concelho e não houve nenhum óbito”, acrescentou após a visita ao Hospital de São Bernardo.

A visita de dia 7 a esta unidade da primeira linha no combate à pandemia em Setúbal incluiu uma reunião, na qual, entre outros responsáveis, participou o presidente do Conselho de Administração do Centro Hospitalar de Setúbal, Manuel Roque.

Além do ponto de situação dos dois últimos meses no que diz respeito à capacidade de resposta do hospital ao coronavírus, o encontro serviu para se traçarem perspetivas do que irá ser feito, nas próximas semanas, em relação a infraestruturas, circuitos e reorganização interna.

Já o coordenador do Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, José Luís Bucho, sublinhou que o balanço é positivo e que o hospital soube readaptar-se. “Note-se, por exemplo, que o serviço de urgências e os tratamentos oncológicos continuaram em funcionamento, em dois blocos diferentes.”

No dia 7, a presidente Maria das Dores Meira esteve também no quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores para fazer o ponto de situação do que tem sido a atividade regular do município e das juntas de freguesia em relação à entrega de bens essenciais às famílias carenciadas do concelho.

Os pedidos são feitos através de uma linha de emergência gratuita (800 212 216), criada a 24 de março pela Comissão Municipal de Proteção Civil de Setúbal, num serviço que conta com voluntários do município, das juntas de freguesia e de diversas entidades com responsabilidades na área da inclusão social.

“Estamos a entregar, por semana, 327 cabazes”, adiantou a presidente da Câmara Municipal.

Os voluntários anotam a lista de compras e inicia-se uma rede de apoio que passa pela aquisição de produtos alimentares ou de higiene nos supermercados e de medicamentos nas farmácias e termina à porta ou à janela de quem solicita ajuda.

O pedido é analisado pela junta de freguesia do requerente para eventual integração em redes de apoio de distribuição de alimentos e medicamentos.

O banco de alimentos criado para dar resposta à distribuição de bens essenciais fica instalado na Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal, onde esteve na tarde de dia 7 a presidente da Câmara Municipal, acompanhada do vereador da Proteção Civil, Carlos Rabaçal, juntamente com os presidentes das cinco freguesias do concelho.