A Câmara Municipal de Setúbal, através do Departamento de Obras Municipais, desenvolve no âmbito das suas atribuições e competências um conjunto alargado de obras e intervenções que visam garantir a conservação, construção e reabilitação das edificações e infraestruturas municipais, assim como das vias de comunicação e dos espaços exteriores.

No separador seguinte é apresentado o conjunto de obras atualmente em curso. A página é atualizada periodicamente.

No mapa interativo é possível visualizar, através de georreferenciação, as intervenções com informação disponível nesta página.

Obras em Curso

  • Início
    Março de 2022
  • Conclusão (previsão)
    90 dias
  • Investimento
    76 405,15 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

    PREÂMBULO
    Para a totalidade da intervenção, foi elaborado um projeto com base na versão final de um estudo da Divisão de Planeamento Urbanístico (DIPU), aprovado após várias reuniões com os moradores. Essa versão propôs a redução do perfil transversal das faixas de rodagem de nove para cinco metros, o ordenamento do estacionamento com disposição em espinha, uma pista ciclável e ligações pedonais à Av. da Europa e à praceta a nascente. O projeto de execução de arquitetura paisagista abrange a 1.ª fase localizada na zona norte, cuja obra está concluída; a presente fase, incidindo sobre o passeio e estacionamento norte e nascente junto aos edifícios e a área remanescente a executar futuramente.
    O projeto é constituído pelos volumes referentes às especialidades de arquitetura paisagista, drenagem pluvial e iluminação pública, elaborados no Gabinete de Estudos e Projetos da Câmara Municipal de Setúbal. Foi também prevista a construção redes de águas residuais domésticas, cujos projetos foram elaborados pela concessionária Águas do Sado, S.A.

LOCALIZAÇÃO
A área de intervenção localiza-se na União das Freguesias de Setúbal, entre a Escola Secundária de Bocage, a poente, edifícios de habitação e comércio, a nascente, a Av. da Europa, a norte, e a Rua Dr. António Manuel Gamito, a sul.

SITUAÇÃO ATUAL
Com uma superfície retangular aproximadamente de 170 metros de comprimento e 65 metros de largura, a intervenção compreende praticamente toda a praceta. O local é quase plano, com uma diferença de cotas altimétricas de aproximadamente 1,20 m (entre as cotas 5,50 e 6,70 m. As bolsas de estacionamento são em calçada de cubos de granito, as faixas de rodagem em betuminoso e os passeios em calçada de vidraço miúdo. A contentorização atualmente existente na Praceta Manuel Nunes de Almeida é constituída por dois pontos de recolha, com três contentores de 800 Litros em cada, perfazendo um total de 4800 Litros. Os contentores encontram-se localizados nos topos da placa central da praceta, sendo que na proximidade de cada um destes pontos de recolha existe igualmente um ecoponto. As zonas verdes são predominantemente revestidas com relvados, pontuados com arbustos. As árvores existentes estão presentes nos canteiros e em caldeiras, nos passeios e zonas de estacionamento.

DESCRIÇÃO DA INTERVENÇÃO
A intervenção será concretizada na sequência da execução da primeira fase a qual abrangeu a zona norte da praceta, junto à Av. da Europa. A requalificação pretende requalificar a Praceta Manuel Nunes de Almeida, que serve moradores e a comunidade da Escola Secundária de Bocage, no Bairro do Liceu. Prevê-se melhorias de circulação rodoviária e estacionamento (181 lugares no total, dezassete dos quais criados na primeira fase), sendo quatro lugares de estacionamento destinados a pessoas com mobilidade condicionada e dois para cargas e descargas. O perfil das vias de circulação automóvel é estreitado para que os veículos circulem e parem durante menos tempo em frente à escola nas horas de ponta. Prevêem-se seis novas passagens de peões nas principais zonas de atravessamento. A redução do perfil da faixa de rodagem de nove para cinco metros permite o alargamento dos passeios e a criação de uma ciclovia bidirecional paralela à Escola Secundária de Bocage, entre a Rua Dr. António Manuel Gamito e o futuro Parque Urbano da Várzea. O alargamento do passeio (1,80 m) junto aos edifícios permite a instalação de novas esplanadas e melhora as condições de circulação pedonal, permitindo ainda a instalação de árvores. Na placa central são criadas zonas de estadia com mesas e bancos e uma zona de recreio livre com pavimento liso que permite a utilização de bicicletas, skates e patins. No lado poente, junto ao acesso à Escola Secundária de Bocage, prevê-se uma zona de estadia/encontro, uma zona de equipamento desportivo com estrutura de street workout fitness e uma pista ciclável bidirecional com 2,20 m de largura. A estrutura verde integra a maior parte das árvores existentes, incluindo dois exemplares de Populus nigra de interesse público, novas árvores, maciços arbustivos e prado regado.

ACESSIBILIDADE/MOBILIDADE PEDONAL
Toda a área de intervenção é acessível e confortável, sendo asseguradas ligações pedonais sem barreiras urbanísticas. Prevêem-se passagens de peões com os passeios devidamente rebaixados e os pavimentos diferenciados, que foram prolongados até à entrada da Escola Secundária de Bocage e à ligação à praceta a nascente. Preconizaram-se três lugares de estacionamento para pessoas com mobilidade condicionada.
Os pavimentos apresentam uma pequena inclinação, não superior a 2%, devendo ser garantida qualidade construtiva nos remates, transição de materiais e juntas. A rede de percursos acessíveis abrange toda a área de intervenção e a ligação às áreas envolventes, estando articulada com as atividades e funções urbanas. Os percursos pedonais acessíveis têm um canal de circulação contínuo e desimpedido de obstruções (mobiliário urbano, árvores, placas de sinalização, bocas-de-incêndio, caixas de infraestruturas, etc.) com uma largura não inferior a 1,20 m, medida ao nível do solo e uma altura não inferior a 2,40 m.

DEMOLIÇÕES
O reperfilamento das faixas de rodagem obriga à demolição de todos os lancis, fresagem do pavimento betuminoso e levamento das calçadas de cubos de granito do estacionamento e calçada de vidraço miúdo dos passeios.

MODELAÇÃO DO TERRENO
Os movimentos de terras referem-se apenas à abertura de caixa dos pavimentos e uma pequena modelação das zonas verdes.

DRENAGEM
Na presente intervenção, mantem-se praticamente o rácio entre áreas permeáveis e impermeáveis, não se prevendo, assim, aumento do escoamento das águas pluviais. A inclinação dos pavimentos e das zonas verde permite o encaminhamento das águas pluviais para órgãos de recolha existentes/a propor no âmbito do projeto de águas residuais pluviais, o qual deverá incluir também a remodelação da drenagem das coberturas dos edifícios existente nos passeios.

REDE DE REGA
A solução de rega proposta promove uma eficaz utilização da água e minimiza as suas perdas recorrendo-se para o efeito a um sistema que integra um programador de rega, sensor de chuva, rega por aspersão e localizada.

PAVIMENTOS
Os passeios são maioritariamente em pavê creme. Nas zonas de calçada de vidraço miúdo são reutilizados os cubos levantados sendo o material excedente transportado para as instalações da CMS, em Poçoilos. As áreas de estacionamento serão calçada de cubos de granito, proveniente também da remoção dos cubos existentes. A zona de equipamento desportivo será dota de pavimento flexível, com camada superficial em EPDM sobre camada de SBR. A pista ciclável será em slurry verde sobre betão betuminoso, cor que se funde bem com o ambiente urbano e é mais associada a piso rodoviário do que a cor laranja. Quando sofre desgaste, isso não é tão percetível como no caso da cor laranja. A faixa de rodagem terá camada de desgaste em betão betuminoso. Nas zonas de betuminoso existente esse pavimento será aplicado após fresagem; nas zonas novas será aplicado sobre base em tout-venant. Nas zonas de estadia e recreio localizadas na placa central prevêem-se pavimentos permeáveis em betão poroso.

EQUIPAMENTO E MOBILIÁRIO URBANO
O equipamento e mobiliário urbano previsto inclui equipamento desportivo de street workout fitness, conjuntos de mesas e bancos, papeleiras, bancos, bebedouro, suporte de bicicletas, pilaretes, painel informativo e placas com informação sobre as árvores classificadas de interesse público existentes. Prevê-se nova localização para os contentores de resíduos sólidos urbanos indiferenciados e para os ecopontos, conforme proposta da Divisão de Higiene Urbana, tendo em conta a nova configuração da praceta, nomeadamente a localização das passadeiras, a acessibilidade pedonal e segurança.

ESTRUTURA VERDE
Com a colaboração dos serviços da Divisão de Espaços Verdes (DIEV), foram definidos os exemplares arbóreos a manter e a abater.
As árvores a abater são as do alinhamento de Albizia julibrissim existente no estacionamento a poente, junto à Escola Secundária de Bocage, face ao seu fraco desenvolvimento vegetativo e mau estado fitossanitário, fundamentalmente devido ao embate de veículos. Preservaram-se as outras árvores, maioritariamente de grande médio e grande porte, incluindo dois exemplares classificados de interesse público da espécie Populus nigra localizados junto à entrada daquele estabelecimento de ensino. Propõem-se novas árvores, caducifólias e perenifólias, nas zonas verdes e em caldeira, em passeios e zonas de estadia, de forma a amenizar as condições microclimáticas do local. O revestimento das zonas verdes envolve essencialmente zonas de prado regado e ainda maciços arbustivos para conferir cor, volume e textura às zonas verdes. Serão utilizadas espécies tolerantes à seca, espontâneas na região ou, pelo menos, bem-adaptadas, excluindo-se espécies tóxicas, com espinhos, ou que possam provocar alergias.  A terra utilizada nas plantações e sementeiras deverá ser proveniente da decapagem da camada superficial de solos de boa qualidade, depois de devidamente limpa e cirandada.

ILUMINAÇÃO PÚBLICA
No âmbito do respetivo projeto de especialidade foi proposta a requalificação da iluminação da área de intervenção, cumprindo os requisitos de luminância e iluminância adequados à tipologia dos espaços, respondendo à necessidade de segurança de pessoas e bens, assegurando a perceção de obstáculos, conforto na deslocação e facilidade de orientação, reforçando-se a iluminação das situações potencialmente perigosas.

  • Vantagens da intervenção
    Beneficiação da Praceta Manuel Nunes de Almeida, localizada entre a Avenida da Europa, a norte, a Escola Secundária do Bocage, a poente, uma banda de edifícios de habitação plurifamiliar, a nascente e a Rua Dr. António Manuel Gamito, a sul.
  • Informações complementares
    Estrela do Norte – Engenharia e Construção, S.A.
Beneficiação da Praceta Manuel Nunes de Almeida | Plano geral
  • Início
    Março de 2022
  • Conclusão (previsão)
    90 dias
  • Investimento
    80 429,14 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    PREÂMBULO
    A presente intervenção resulta de uma decisão do Município de Setúbal no sentido de resolver o problema das inundações frequentes na Avenida D. Pedro V e envolvente a jusante, nomeadamente as garagens voltadas para a Rua José Gregório e, não menos grave, as inundações na Quinta do Quadrado provocadas pela falta de capacidade de vazão do coletor da Avenida Eng. Henrique Cabeçadas.
    A oportunidade desta intervenção não pode ser desligada da facilidade criada com o estudo da bacia hidrográfica do Barranco do Forte Velho, cujas águas descarregadas no coletor da Avenida de Moçambique, com seguimento pela Avenida Eng. Henrique Cabeçadas, passarão a ser drenadas diretamente para a Ribeira do Livramento, a partir do restabelecimento da vala da Azinhaga de S. Joaquim.
    Por outro lado, a implementação do projeto de prolongamento da Avenida de Moçambique até à Estrada dos Ciprestes, com atravessamento da Ribeira do Livramento, conduzirá à necessidade de instalar um coletor nesta via, com descarga na Ribeira do Livramento. No Projeto de Regularização da Ribeira do Livramento foi prevista a instalação de uma descarga, DN1000, no talude da margem direita da Ribeira para receber esta infraestrutura.
    A rede de drenagem de águas pluviais a montante da Avenida D. Pedro V, correspondendo a uma área urbana muito impermeabilizada e de pendentes acentuadas, está na generalidade servida por coletores de 300 mm de diâmetro, ou inferior, os quais são insuficientes para drenar normalmente os caudais inerentes às sub-bacias respetivas.
    Não espanta, por isso, que seja significativo o caudal afluente em escoamento superficial ao ponto mais baixo da Av. D. Pedro V, com risco de inundação em toda a largura do vasto passeio envolvente, e consequente impedimento de acesso aos edifícios coletivos contíguos, apesar de há já largos anos ter sido instalado um coletor pluvial de reforço neste troço da via para recolha de águas pluviais, através de um conjunto de sargetas e sumidouros instalados de ambos os lados do arruamento.

2 – ESTADO ATUAL DA REDE DE DRENAGEM PLUVIAL A INTERVENCIONAR

2.1 – Coletores de Drenagem Pluvial da Av. D. Pedro V
Para drenar a vasta área de 81 444 m2 da bacia drenante com afluência à Av. D. Pedro V, estão instalados dois coletores de betão com 400 mm e 600 mm de diâmetro, este numa pequena extensão na parte final desta via, na extremidade sul.
Se o coletor de 600 mm de diâmetro apenas recebe as águas pluviais de algumas sargetas de lancil e sumidouros instalados na parte inferior do arruamento, o coletor de 400 mm está conectado para montante a uma vasta rede de coletores a que afluem não só águas pluviais, mas também águas residuais domésticas, como se pôde constatar durante uma visita de campo com tempo seco. Trata-se por isso de um coletor unitário, com uma parcela significativa de caudal de águas residuais domésticas. O aspeto de maior relevância na avaliação do estado do coletor de betão de 600 mm, é o facto de o mesmo estar instalado em contra pendente, isto é, comparando as cotas de soleira da primeira câmara de visita, a montante, com a terceira a jusante, a cota sobe, passando de 11.94 m, para 12.11 m. Por consulta ao Plano de Drenagem Pluvial das Bacias do Concelho de Setúbal, 2ª fase – Relatório Final, este troço da bacia gera um caudal pluvial de 1 006 l/s para T5, e 1 310,5 l/s para T10. Atendendo ao estado do coletor de 600 mm, anteriormente descrito, nem sequer faz sentido comparar estes valores com a capacidade de vazão expectável do mesmo, dada a situação irregular em que o mesmo se encontra instalado. Uma consequência da insuficiência e irregularidade da rede de drenagem de águas pluviais é desde logo o expressivo caudal em escoamento superficial cujas águas galgam o lancil da Av. D. Pedro V, arrastando as areias da rampa não revestida de ligação à Rua José Gregório e inundando as garagens de ambos os lados desse arruamento.

2.2 – Coletores Pluviais de Ligação da Av. D. Pedro V com a Av. de Moçambique
Um troço coletor de betão de 600 mm liga a Av. D. Pedro V com a Rua José Gregório, recebendo, entretanto, a meio da rampa o coletor de 400 mm, agora em tubagem de PVC.
Se o coletor de betão de 600 mm estava isento de águas residuais no troço da Av. D. Pedro V, com a ligação do coletor de 400 mm, passa a drenar também a parcela de caudal de águas residuais domésticas transportadas por este coletor, proveniente da bacia drenante atrás definida. Da Rua José Gregório para a Av. de Moçambique, o coletor aumenta de secção, passa de 600 mm para 1 000 mm de diâmetro, mantendo este diâmetro ao longo da Avenida, até à câmara de visita de grandes dimensões, a partir da qual partem dois coletores, a cotas diferentes, um de DN 600 à cota de 10.42 m e outro de DN 700 à cota de 9.57 m. Dito isto, na prática, só com a secção do coletor de 700 mm preenchida, entra em funcionamento o coletor de 600 mm.
Entretanto, estes dois coletores interligam no final da Av. de Moçambique e descarregam no coletor de 700 mm de diâmetro da Av. Eng. Henrique Cabeçadas. Um pouco mais a jusante, este coletor muda de secção e passa a 1 000 mm de diâmetro. Continua, todavia, a transportar águas residuais domésticas provenientes da bacia drenante correspondente à Av. D. Pedro V.
Embora não tenha diretamente a ver com a drenagem de águas pluviais da Av. D. Pedro V, existe um outro coletor DN700, instalado na Rua José Gregório e que conflui à mesma caixa de visita que o coletor pluvial daquela avenida. Este coletor desempenha atualmente a função de drenagem da vala do Barranco do Forte Velho, a qual atravessa a Quinta de S. Joaquim. Com a implementação da obra de restabelecimento do traçado da vala, paralelo à Azinhaga de S. Joaquim e subsequente descarga na Ribeira do Livramento, este coletor será normalmente desativado.

3 – SOLUÇÕES PROJETADAS. VERIFICAÇÃO HIDRÁULICA

3.1 – Descrição Geral
Na generalidade existem dois aspetos principais que há que atender na abordagem à solução do projetada:
A acumulação de águas da chuva, na parte inferior da Av. D. Pedro V a ponto de perturbar o acesso aos edifícios residenciais do lado nascente;
O escoamento superficial ao longo da rampa não revestida de ligação à Rua José Gregório, e o subsequente arrastamento de areias, implicam a deposição de inertes e a inundação das garagens (em cave) neste arruamento.

3.2 – Coletor de Drenagem Pluvial entre a Av. D. Pedro V e a Rua José Gregório
A descrição do estado da rede de drenagem apresentada no capítulo anterior, é bem demonstrativa dos problemas em equação, em que as duas principais variáveis são sem dúvida a falta de capacidade da rede para transportar o caudal afluente à Av. D. Pedro V e a presença de águas residuais domésticas no coletor pluvial.
Pretendendo-se resolver a questão da inundação da parte inferior da Av. D. Pedro V e isentar a rede pluvial de águas residuais domésticas tendo em vista a descarga na linha de água natural, constituída pela Ribeira do Livramento, a solução encontrada passa normalmente pela instalação de um coletor com secção suficiente, DN 800, para recolher o caudal de projeto, por um lado, e por outro, pela instalação de órgãos de recolha especiais, de grandes dimensões, com entrada franca a partir do arruamento, e sem ligação à rede pluvial existente, a qual se encontra contaminada.
Na ligação à Rua José Gregório, o coletor de DN 800, ligará à caixa de visita P6, que atualmente faz parte do coletor de DN 700 proveniente da vala da bacia hidrográfica do Barranco do Forte Velho, e cujo caudal será desviado diretamente para a Ribeira do Livramento. Entretanto este coletor de DN 700, continuará a existir para jusante.
O problema da rampa não revestida de ligação à Rua José Gregório, deverá ser convenientemente tratado no estudo de Paisagismo que a CM Setúbal está a levar a efeito, recomendando-se que exista uma faixa central descendente na rampa ao longo da qual ocorra preferencialmente o escoamento superficial, com a devida recolha das águas pluviais na parte inferior antes de se atingir o arruamento. Será da maior importância afastar as linhas principais de escoamento das faixas laterais contíguas às empenas dos edifícios e/ou logradouros.

3.3 – Coletor de Drenagem Pluvial entre a Rua José Gregório e Ribeira do Livramento
Quer o troço sul da Rua José Gregório, quer o troço nascente da Av. de Moçambique, contêm as plataformas ocupadas com vários coletores e outras infraestruturas, que dificultam em muito a instalação de mais um coletor com secção suficiente para drenar a bacia drenante afluente à Av. D. Pedro V. Foi por isso que se equacionou e se apresentou aos Serviços Técnicos da CM Setúbal a hipótese de desenvolver o coletor de transporte de águas pluviais da Av. D. Pedro V, pelo lado norte da Rua José Gregório, até à Av. de Moçambique, e atingida esta, seguir então a diretriz do futuro prolongamento desta via até à Ribeira do Livramento, onde se fará a descarga na Ribeira, através de uma boca de betão de DN 1000 mm, a qual já está prevista no Projeto de Regularização da Ribeira do Livramento, obra atualmente em concurso público. Esta solução acabou por receber a aceitação dos Serviços Técnicos da CM Setúbal, tendo-se passado à sua implementação a partir da base cartográfica georreferenciada fornecida pela CM Setúbal.
Deste modo este troço de coletor DN 800, a partir da caixa de visita P6 e até à caixa de visita P7, seguirá o traçado do atual coletor DN 700, que será removido. Para jusante não haverá alteração do diâmetro até à caixa de visita P13, localizada já na Av. de Moçambique. A partir desta caixa, o diâmetro do coletor passará a DN 1 000, ao longo do traçado da futura via, até à descarga na Ribeira do Livramento.

  • Vantagens da intervenção
    A presente intervenção resulta da decisão da Câmara Municipal de Setúbal de resolver o problema das inundações frequentes na Avenida D. Pedro V e envolvente a jusante, nomeadamente as garagens voltadas para a Rua José Gregório, e não menos grave, as inundações na Quinta do Quadrado provocadas pela falta de capacidade de vazão do coletor da Avenida Eng. Henrique Cabeçadas.
  • Informações complementares
    Eduardo Pires – Construções, Lda.
  • Início
    Janeiro de 2021
  • Conclusão (previsão)
    Março de 2022
  • Investimento
    50.000,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

Introdução
A presente intervenção refere-se à requalificação do Largo do Mercado e de parte da Rua Rodrigo Ferreira da Costa, na Freguesia de São Sebastião.
Esta intervenção será executada no âmbito do protocolo assinado entre a Câmara Municipal de Setúbal/DURB – Departamento de Urbanismo e o Hotel Cristal, no contexto da requalificação deste estabelecimento hoteleiro.

Identificação e descrição da área sujeita a intervenção
Estrada secundária, de edifícios habitacionais e pequenas casas térreas.

Âmbito dos trabalhos a realizar
O objetivo desta obra é requalificar a área através da:

| Repavimentação da via
| Melhoramento do largo existente
| Substituição do sistema de drenagem pluvial existente (drenagem superficial), colocando sumidouros e ligações às caixas de visita existentes
| Colocação de passadeiras

Colocação de marcação horizontal e vertical

Condicionantes da área sujeita a intervenção
Aquando da execução dos trabalhos, e como se trata de uma área com características habitacionais, vai ter-se o cuidado de:
a)   Não bloquear o acesso às habitações;
b)   Estabelecer horário laboral adequado;
c)    Ter toda a sinalização e barreiras necessárias para a segurança de todos os utentes.

Solução proposta

Trabalhos preparatórios

| Escavação e transporte de terras para abertura de caixas de pavimento
| Remoção de lancil existente
| Compactação do terreno
| Remoção de calçada e cubos de granito existentes
| Fresagem de pavimento betuminoso

Requalificação pedonal de passeios

| O passeio será constituído por:
– Blocos de betão, calçada e lajeta pitonada
– Camada de saibro ou pó de pedra com 15cm de espessura
– Camada de massame hidráulico com brita de 0.04-0.06E com 15cm de espessura
– Solo de fundação bem compactado
| Os blocos de betão a aplicar são retangulares de encaixe de cor vermelha e dimensões (6x10x20]cm, do tipo “Presdouro” ou equivalente, com juntas preenchidas com cimento e areia ao traço 1:5
|A calçada a aplicar é de vidraço de dimensões (5×6) cm, com juntas preenchidas ao traço 1:5. A calçada removida poderá ser utilizada em remates
| A lajeta a aplicar é uma lajeta pitonada vermelha do tipo “Lajeta Seg Presdouro”, de dimensões (40x40x6) cm

Lancis

| Será aplicado lancil de calcário de dimensões (12x20x100) cm do tipo “Alvestone” ou equivalente, assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de dimensões 30x30cm
| Será aplicado lancil de calcário de dimensões (12x20x100) cm do tipo “Alvestone” ou equivalente, assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de dimensões 30x30cm, rebaixado aos 2cm em todo o comprimento das passadeiras
| Será aplicado lancil de calcário de dimensões (8x20x100) cm do tipo “Alvestone” ou equivalente, assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de dimensões 30x30cm

Requalificação viária da faixa de rodagem
A faixa de rodagem será constituída por:
– Camada Desgaste – tapete betuminoso com inerte basalto com 0.06m de espessura, incluindo rega de colagem. Todas as outras camadas (base e sub-base serão para manter)
O estacionamento será constituído por:
– Camada Desgaste – tapete betuminoso com 5cm de espessura, incluindo rega de colagem
– Camada base – “Asic” com 15cm de espessura após recalque
– Camada Sub base – “Toutvenant” com 15cm de espessura após recalque

Marcação rodoviária horizontal e vertical

| Pintura com tinta termoplástica refletora branca e amarela (passadeiras e estacionamentos);
| Colocação de sinalética vertical.

A sinalização vertical e marcação horizontal deverá respeitar o estipulado pelo guia de sinalização rodoviária, emitido pela Direção-Geral de Viação (Decreto Regulamentar n.º 22/A/98, de 1 de outubro).

Sistema de drenagem pluvial
Colocação de sumidouros e respetivos ramais de ligação às caixas de visita existentes

Diversos

| Colocação de mobiliário urbano (bancos duplos com costas do tipo “Carmo” Ref.ª 2069, ou equivalente)
| Colocação de caldeiras de árvores incluindo as respetivas árvores
| Colocação de pilaretes do tipo “Fabrigimno” Ref.ª MU78061 ou equivalente

  • Vantagens da intervenção
    Esta intervenção, entretanto, em curso, vai permitir a melhoria das condições de segurança rodoviária, acessibilidade, circulação viária e pedonal e drenagem pluvial.
  • Informações complementares
  • Início
    Setembro de 2021
  • Conclusão (previsão)
    4.º trimestre de 2021
  • Investimento
    149 825,07 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    1. INTRODUÇÃO
    Execução de rotunda junto do Interface de Transportes de Setúbal (ITS), localizada no cruzamento da Estrada dos Ciprestes com a Praça do Brasil. A rotunda tem em vista a melhoria da mobilidade rodoviária e acessibilidade ao interface, a interação rodoviária e circulação de utentes, que implicará uma reformulação do projeto original do ITS ao nível dos arranjos exteriores, arruamentos, sinalizações e demais infraestruturas. Com uma área de intervenção de 3.255,42m², a obra respeita os princípios orientadores definidos pela CMS, que acompanhou o processo da presente intervenção, nomeadamente no que respeita à definição de arruamentos, geometria da rotunda, passeios, paisagismo na zona da nova rotunda e definição de infraestruturas e serviços afetados.

2. CARACTERIZAÇÃO DO CRUZAMENTO A BENEFICIAR
O cruzamento da Estrada dos Ciprestes com a Praça do Brasil, localizado junto Interface de Transportes de Setúbal, é atravessado por uma faixa de rodagem de grande fluxo, com três vias de trânsito, duas no sentido norte-sul e uma no sentido sul-norte. Existe ainda uma via de acesso ao terminal com acesso no sentido sul-norte e que contempla duas vias para estacionamento. Em perfil longitudinal os trainéis da estrada desenvolvem-se com inclinações sensivelmente reduzidas e homogéneas. Possui um traçado em planta pouco sinuoso, com alinhamentos retos. O perfil transversal é totalmente inserido no terreno existente, não tendo sido identificadas zonas de aterro ou de escavação de apreciar, com a plataforma rodoviária apresentando uma largura variável de aproximadamente 18 metros pavimentada. Existem inclusão de passeios, zonas de estacionamento pavimentadas e bermas pavimentadas. O pavimento desta via está realizado em betão betuminoso. A drenagem das águas pluviais incidentes na via é razoável, realizando-se predominantemente através de escoamento superficial e recolha destas águas em sumidouros, ligados por sua vez a coletores públicos que transportam o efluente até ao seu destino final. No desenvolvimento do arruamento a intervir, verifica-se a existência de rede pública subterrânea de abastecimento de água, de saneamento, de drenagem pluvial, bem como a existência de rede subterrânea de distribuição de energia elétrica e iluminação, e de comunicações. Está prevista a defesa e a manutenção dos equipamentos existentes no decorrer dos trabalhos desta intervenção. Ao longo do traçado desta via existem elementos de sinalização horizontal, nomeadamente passadeiras, linha de eixo de via contínua dupla e linhas de guia. Quanto à sinalização vertical, verifica-se a existência de sinalética de código nas intersecções principais e junto das passadeiras. Pontualmente, existem zonas de passeio com zonas verdes e com árvores plantadas em floreiras ou em caldeiras.

3. PAISAGISMO
O Projeto de paisagismo definido para o perímetro da rotunda foi executado pelos serviços do DURB/GARIU em projeto autónomo, por essa razão, apenas foi definida para o interior da rotunda a materialização de um aterro em terra vegetal.

4. OBRAS ACESSÓRIAS
Foram previstos o aterro em betão, a desativação de uma infraestrutura existente (PT) e o alteamento de tampas e aros de caixas de visita existentes na via para compatibilização com a nova cota do pavimento betão betuminoso a executar.

5. OUTRAS INDICAÇÕES
Atendendo à natureza dos trabalhos a realizar deverá ser prestada toda a atenção nas várias interfaces que esta obra provocará com os utentes desta via e com os residentes dos edifícios adjacentes, com as infraestruturas enterradas e aéreas existentes, de forma a minimizar todos e quaisquer impactes negativos que a obra possa causar.

  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da mobilidade rodoviária e acessibilidade ao Interface de Transportes de Setúbal.
  • Informações complementares
Rotunda da Praça do Brasil | Planta de Intervenção
Rotunda da Praça do Brasil | Planta de Intervenção
  • Início
    Novembro de 2020
  • Conclusão (previsão)
    1.º semestre de 2022
  • Investimento
    441.889,63 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Esta intervenção refere-se à requalificação da pavimentação, sinalização horizontal e vertical, drenagem de águas residuais pluviais, reabilitação das redes de água e saneamento e arranjos exteriores na Rua dos Arcos e na Rua Jorge de Sousa, sitas na União de Freguesias de Setúbal. Esta intervenção tem como objetivos principais a reabilitação da rua em vários níveis:

Pavimentos, lancis e sinalização

    • Retificar a inexistência da oferta de parqueamento ordenado e organizado, com o objetivo de eliminar o estacionamento ilegal;
    • Garantir condições dignas de circulação pedonal;
    • Repavimentar a camada de desgaste em todo o arruamento devido à degradação da mesma, garantindo condições dignas de circulação rodoviária;
    • Implementar nova sinalização vertical e horizontal, garantindo uma maior segurança rodoviária;
    • Melhorar as condições dos RSU’s existentes;
    • Executar uma ciclo-faixa de características segregadas fazendo a ligação entre a Av. 22 de Dezembro e o Parque da Algodeia;
    • Garantir a ligação à rotunda na Av. 22 de Dezembro;
    • Colocação de pilaretes metálicos de forma a evitar o estacionamento ilegal.

Estrutura Verde

    • Proposta de plantação de árvores, de modo a se conseguir sombra no verão e permitir a passagem da radiação solar no inverno, de forma a melhorar as condições de conforto climático e a amenizar os volumes construídos;
    • Plantação de arbustos;
    • Preservação das árvores existentes do lado oposto da ciclovia, sendo que deverão apenas ser construídas caldeiras novas para as mesmas.

Rede de Água

    • Substituição das condutas em fibrocimento por condutas PEAD e execução dos respetivos nós de ligação;
    • Instalação de marcos de incêndio;
    • Eliminação de travessias;
    • Reabilitação de ramais domiciliários afetados.

Rede de Saneamento

    • Execução de coletor doméstico para receção do efluente doméstico de moradias e prédios existentes, que atualmente se encontram ligados à rede pluvial;
    • Execução de um troço de coletor para futura ligação de rede separativa a instalar;
    • Restabelecimento dos ramais afetados.

Rede de Drenagem

    • Instalação de novos sumidouros que vão permitir o aumento do escorrimento superficial. Assim o sistema de drenagem integra órgãos de recolha (sumidouros), que descarregam as águas pluviais na rede de águas residuais pluviais existente na Rua dos Arcos e Rua Jorge de Sousa.
  • Vantagens da intervenção
    A obra em apreço na Rua dos Arcos e na Rua Jorge de Sousa trará várias vantagens e benefícios para a população como:
    • Requalificação dos passeios, dos estacionamentos e da faixa de rodagem, contribuindo para uma melhoria das condições de segurança, de circulação e de acessibilidade, do trânsito e do parqueamento automóvel, benéficos para a circulação pedonal e viária.
    • Rede de distribuição de água com aumento da capacidade de transporte de algumas das condutas projetadas, em conjunto com a eliminação de algumas travessias que vai potenciar o desempenho hidráulico da rede, o que se reflete diretamente na melhoria das condições de pressão na rede a jusante que tem sido alvo de frequentes reclamações (especialmente na zona do Montalvão); a reabilitação significativa da rede de água, com a eliminação de condutas em fibrocimento com avançada idade e debilitado estado de conservação, o que se traduzirá na redução da probabilidade de ocorrências de roturas e consequente redução de perdas de água e interrupções no abastecimento da população servida e o aumento da cobertura de rede de combate ao incêndio.
    • Rede de saneamento com minimização significativa da descarga de efluente doméstico na Ribeira do Livramento.
  • Informações complementares
Rua dos Arcos e Rua Jorge de Sousa | Plano Geral
Rua dos Arcos e Rua Jorge de Sousa | Plano Geral
Rua dos Arcos e Rua Jorge de Sousa | Planta de localização
Rua dos Arcos e Rua Jorge de Sousa | Planta de localização
  • Início
    Março de 2021
  • Conclusão (previsão)
    Maio de 2021
  • Investimento
    80.869,50 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Enquadramento
    A intervenção proposta para o atual cruzamento entre a Estrada dos Ciprestes, Rua das Galroas e Azinhaga de São Joaquim insere-se num conjunto de intervenções que a Câmara Municipal de Setúbal tem vindo a desenvolver, cujo objetivo é o de melhorar e simplificar a circulação viária e criar circuitos pedonais e cicláveis mais amplos e seguros.
    A presente intervenção aborda essencialmente a reformulação do atual nó viário, passando de um cruzamento semaforizado, para uma placa giratória sem recurso ao sistema semafórico.
    A solução proposta, corresponde a uma placa giratória alongada, que permite a ligação entre os vários arruamentos existentes, e foi desenvolvida, tendo em consideração as condicionantes impostas pela obra da Ciclopset (ligação ciclável entre Setúbal e Palmela).

    Pavimentos
    Uma vez que a intervenção, corresponde ao reperfilamento de um arruamento existente, prevê-se a manutenção da estrutura dos atuais pavimentos em grande parte da plataforma.
    Para as zonas de alargamento da plataforma rodoviária, foi proposta a seguinte estrutura:- Faixa de Rodagem
    | Camada de sub-base em tout-venant com 0,20m de espessura
    | Camada de base em tout-venant com 0,20m de espessura
    | Camada de regularização em macadame betuminoso com 0,09m de espessura, sobre rega de impregnação betuminosa
    | Camada de desgaste em betão betuminoso com inertes basálticos, com 0,05m de espessura sobre rega de colagem, em toda a área de intervenção. Complementarmente, será executada uma fresagem e aplicação de uma nova camada de desgaste, por forma a uniformizar o acabamento da faixa de rodagem.- Berma interior
    | Camada de sub-base em tout-venant com 0,20m de espessura
    | Laje em betão C20, com 0,20m de espessura
    | Calçada grossa com cubos de granito, assente sobre almofada de cimento e areia ao traço 1:6 com 5cm de espessura

– Passeios
| Camada de base em tout-venant com 0,15m de espessura
| Calçada miúda com cubos de vidraço, assente sobre almofada de cimento e areia ao traço 1:6 com 5cm de espessura

Lancis
Os lancis serão em cantaria, com as dimensões definidas nas peças desenhadas.
Prevê-se três tipos de lancis, nomeadamente:
| Lancil de passeio – 1,00 x 0,15 x 0,25 – a aplicar em zonas onde se considera necessário um espelho alto, entre 10 a 13cm de altura (remates de passeios na transição com faixas de rodagem e estacionamentos).
| Lancil guia – 1,00 x 0,08 x 0,20 – a aplicar em zonas de diferenciação de pavimentos, bem como onde se prevê um espelho reduzido.
| Lancil rampa – 1,00 x 0,30 x 0,20 – a aplicar no remate da berma interior com o espaço ajardinado

Sinalização e Segurança
A definição da sinalização em geral, foi efetuada tendo em consideração os critérios estabelecidos pelos serviços técnicos da Câmara Municipal de Setúbal, bem como pela legislação em vigor, nomeadamente pelo Decreto Regulamentar n.º 22-A/98 de 01/10/98, reformulado pelo Decreto Regulamentar nº 41/2002 de 20 de Agosto, com especial atenção para a:
| Localização dos sinais de forma a torná-los bem visíveis sem reduzir a visibilidade geral das vias
| Simplicidade dos sinais para que a sua leitura seja rápida e de fácil compreensão
| Garantia de circulação com o máximo de fluidez e segurança.
Na fase de construção, será instalada uma sinalização temporária que garanta a necessária segurança, bem como a sua adequabilidade ao faseamento construtivo que se vier a propor.

– Sinalização horizontal
As marcas rodoviárias a colocar serão executadas com recurso a materiais de características retrorrefletoras, de cor branca, aplicadas a quente por processo “spray” ou manual (termoplástico), obedecendo às recomendações das Estradas de Portugal para as estradas da rede fundamental.
Dadas as características geométricas do traçado, bem como as dimensões dos perfis transversais tipo e as distâncias de visibilidade, optou-se por larguras de traço e espaçamentos compatíveis com velocidades da ordem 40-60Km/h.
Estão previstas linhas longitudinais contínuas e tracejadas, a aplicar conforme representado nas respetivas peças desenhadas. Foram contempladas igualmente marcas transversais e outras marcas, tais como:
| Barras de paragem
| Passadeiras
| Triângulos

– Sinalização vertical
A sinalização vertical que se prevê visa garantir em conjunto com as marcas rodoviárias, um correto controlo e fácil escoamento de tráfego, sendo basicamente constituído por sinais de código e de orientação.
Os sinais de código a instalar serão triangulares, circulares, octogonais ou quadrados e terão as dimensões de L=0,60m.
Os sinais serão executados em chapa de alumínio e a sua colocação será feita em postes metálicos tubulares com diâmetro de 11/2”, implantados em fundação de betão, tendo uma altura de 2,20 metros da base ao solo, tomando como referência o pavimento.

Drenagem
Em termos de drenagem de águas residuais pluviais, houve o cuidado de contemplar novos órgãos de recolha, compatibilizando a sua localização com a nova geometria do arruamento.
Assim, por forma a garantir a continuidade da drenagem pluvial, foram considerados sumidouros com descarga direta para os coletores pluviais existentes.
Os sumidouros a aplicar deverão contemplar câmaras de retenção de areias, e grelhas antirroubo.
Inclui-se na empreitada, o encanamento de uma PH existente, com 400mm de diâmetro.

  • Vantagens da intervenção
    A intervenção insere-se num conjunto de operações que a Câmara Municipal de Setúbal tem vindo a desenvolver com o objetivo de melhorar e simplificar a circulação viária e criar circuitos pedonais e cicláveis mais amplos e seguros.
  • Informações complementares

 

Rotunda da Azinhaga de S. Joaquim | Planta geral
Rotunda da Azinhaga de S. Joaquim | Planta de alterações
  • Início
    Abril de 2021
  • Conclusão (previsão)
    Junho de 2021
  • Investimento
    35.911,85 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Instalação de iluminação na Avenida Álvaro Cunhal. Procurou-se obedecer a regras para instalação de equipamentos que estejam em concordância com as normalizações do distribuidor público. A iluminação é responsável por uma parte significativa dos consumos energéticos nas cidades, onde as potências dos equipamentos existentes são elevadas e estando, a maioria delas, obsoleta. A eficiência/qualidade da iluminação é por isso um fator determinante tanto ao nível energético, como também, e mais importante, na melhoria das condições de iluminação dos locais a intervencionar. No contexto atual, a reconversão para tecnologia LED reveste-se de especial relevância dado que não só permite essa mesma eficiência, mas permite que as cidades possibilitem aos seus munícipes e visitantes uma permanência e fruição no espaço em segurança. Assim, o objetivo da presente intervenção é a instalação de iluminação pública na Avenida Álvaro Cunhal – Troço EN10, entre a Rotunda Monte Belo e o cruzamento do Intermarché. Relativamente à componente de iluminação pública, além da substituição integral das luminárias existentes de VSAP, prevê-se ainda a expansão da iluminação existente, com a colocação de novos pontos, todos eles de tecnologia LED.

Caracterização da Intervenção
Para atingir os objetivos referidos serão implementadas um conjunto de medidas, dotando esta avenida de uma melhor iluminação pública e com poupanças significativas no seu consumo energético. Esta Intervenção será dividida em duas partes:
– Zona 1 – Iluminação a colocar na Placa Central, estando aqui já executadas todas as infraestruturas necessárias (valas, tubagens, etc.) para a correta colocação dos novos equipamentos. Nesta zona ter-se-á especial atenção à passagem de cabos aéreos de MT/AT pelo que as novas colunas a instalar serão de altura útil mais reduzida para o integral cumprimento das normas relativamente ao afastamento das respetivas linhas.
– Zona 2 – Neste local a iluminação é lateral à via existente é realizada através de rede aérea em cabo torçado em postes de betão e consola urbana. A intervenção assenta na requalificação deste local onde se irão substituir os postes de betão e rede aérea por novas colunas metálicas e rede subterrânea.

  • Vantagens da intervenção
    Procurar obedecer a regras para instalação de equipamentos, que estejam em concordância com as normalizações do distribuidor público. A iluminação é responsável por uma parte significativa dos consumos energéticos nas cidades, onde as potências dos equipamentos existentes são elevadas e estando, a maioria delas, obsoleta. A eficiência/qualidade da iluminação é por isso um fator determinante tanto ao nível energético, como também, e mais importante, na melhoria das condições de iluminação dos locais a intervencionar. No contexto atual, a reconversão para tecnologia LED reveste-se de especial relevância dado que não só permite essa mesma eficiência, mas permite que as cidades possibilitem aos seus munícipes e visitantes uma permanência e fruição no espaço em segurança.
  • Informações complementares
Iluminação Pública da Avenida Álvaro Cunhal | Planta
Iluminação Pública da Avenida Álvaro Cunhal | Planta
  • Início
    Março de 2022
  • Conclusão (previsão)
    60 dias
  • Investimento
    49 421,95 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção refere-se à substituição de banheiras em casas de banho por bases de duche.
    Estas intervenções implicam trabalhos de demolição do avental de suporte da banheira, remoção do pavimento da casa de banho e sifão de pavimento, adaptação do nicho onde será colocada a base de duche, com picagem da zona envolvente para remoção de rebocos, betonilhas e entulho, impermeabilização do pavimento, preparação da base para aplicação de novos azulejos e mosaicos e sifão pavimento. Este tipo de intervenção implica que as loiças sanitárias existentes sejam removidas e repostas, sendo que eventualmente algumas terão de ser substituídas por novas. Prevê-se nova rede de abastecimento de água à base de duche, bem como, se necessário, uma rede nova integral na instalação sanitária.
  • Vantagens da intervenção
    Não se conseguindo com esta empreitada resolver a totalidade dos problemas existentes nos diferentes fogos, pretende-se, contudo, contribuir para minimizar os problemas existentes e garantir a segurança daqueles que vão beneficiar com esta obra.
  • Informações complementares
    OMEP – Obras, Medições e Projetos, Lda.
Adaptação de casas de banho em habitação pública municipal | Planta de localização
Adaptação de casas de banho em habitação pública municipal | Planta de localização
Adaptação de casas de banho em habitação pública municipal | Planta tipo das tipologias T2 e T3
Adaptação de casas de banho em habitação pública municipal | Planta tipo das tipologias T2 e T3
  • Início
    Outubro de 2020
  • Conclusão (previsão)
    1.º semestre de 2021
  • Investimento
    417.054,77 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Introdução
    A presente intervenção diz respeito à requalificação do sistema de drenagem pluvial de um espaço público que serve de via de acesso viário às caves de diversos edifícios de habitação plurifamiliar localizado entre a Rua Óscar Pacheco e a Rua da Palhavã, sito na União de Freguesias de Setúbal, concelho de Setúbal. A intervenção resulta da necessidade premente de intervir na estabilização do muro de suporte do referido arruamento público que vem à algum tempo a apresentar sinais preocupantes de instabilidade não só no muro propriamente dito como também no pavimento viário. A presente intervenção visa:
    • Primariamente a execução de intervenção de âmbito estrutural que em síntese se pode definir como uma solução de contenção constituída por uma parede exterior com dois níveis de ancoragens definitivos, assente sobre uma fundação indireta caracterizada por microestacas de acordo com o Projeto de Execução, Volume 1 – Estudo Geológico-Geotécnico e Projeto Geotécnico da Coba, Consultores de Engenharia e Ambiente, S.A.
    • Uma vez executada a obra de contenção estrutural proposta pela supra indicada consultora, mostra-se necessário promover à requalificação do sistema de drenagem pluvial do referido arruamento público.

Identificação e descrição da área sujeita a intervenção
A intervenção, no arruamento anteriormente mencionado, inicia-se com os trabalhos de contenção estrutural propostas pela consultora COBA, Consultores de Engenharia e Ambiente, S.A., no âmbito do Projeto de Execução, Volume 1 – Estudo Geológico-Geotécnico e Projeto Geotécnico.
Só posteriormente e após a implementação do aterro no referido arruamento se poderão dar inicio aos trabalhos de abertura de vala para a implementação dos coletores, das grelhas de recolha e encaminhamento de águas pluviais e respetivas caixas de visita do sistema de drenagem de águas pluviais.

Âmbito dos trabalhos a realizar

    • Traçado Viário: Trata-se de um troço criado numa área de cariz marcadamente urbana e que foi construído tendo como suporte um muro de contenção de terras em betão armado numa zona de elevado desnível topográfico e com uma malha urbana bastante consolidada. Se a sua construção teve que atender a tais constrangimentos, a presente intervenção não se reveste de menor complexidade. Atendendo ás características do espaço público objeto da presente intervenção, acesso local a várias caves destinadas ao estacionamento automóvel. Considerando estas características do tráfego automóvel, pretende-se que a presente intervenção tenha como principais objetivos promover à requalificação do sistema de drenagem de águas pluviais existente, bem como á implementação de um sistema de sinalização viária, horizontal e vertical, visando o incremento da segurança da circulação automóvel e dos peões.
    • Drenagem de águas pluviais: considerando que todo o sistema de drenagem pluvial existente se encontra danificado e/ou em más condições e considerando o nível e âmbito da intervenção estrutural prévia que será realizada, na qual será necessário remover/intervir no subsolo do referido arruamento, preconiza-se que a maior parte do sistema de recolha e encaminhamento de águas pluviais seja removido e substituído por novos dispositivos.
  • Vantagens da intervenção
    Para além das soluções para enquadramento apresentadas, este projeto estabelece, ainda um conjunto de medidas de caráter cautelar e de salvaguarda da integridade estrutural deste conjunto de edifícios de habitação plurifamiliar.
  • Informações complementares
Estrutura de contenção entre as ruas Óscar Paxeco e da Pavalhã
Estrutura de contenção entre as ruas Óscar Paxeco e da Pavalhã
  • Início
    Janeiro de 2022
  • Conclusão (previsão)
    Março de 2022
  • Investimento
    92 821,43 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

INTRODUÇÃO
Requalificação das Redes de Distribuição em média tensão, baixa tensão e de iluminação pública do loteamento constituído por 13 lotes para a construção de moradias unifamiliares com dois pisos e por uma área de cedência para equipamento e espaços verdes, sito em Casal de Bolinhos, em Azeitão.

REGULAMENTAÇÃO
Serão cumpridos quer no que respeita às características dos materiais a utilizar, quer toda a legislação aplicável, designadamente:

    • Regras Técnicas das Instalações Elétricas de Baixa Tensão – RTIEBT, Portaria 949-A/2006, a que se refere o Decreto-Lei n.º 226/2005, de 28 de dezembro, e alterado pela Portaria 252/2015, de 19 de agosto;
    • O Regulamento de Segurança de Subestações, Postos de Transformação e de Seccionamento – RSSPTS (Decreto-Lei n.º 42895, de 31/03/60, alterado pelo Decreto Regulamentar n.º 14/77, de 18 de fevereiro);
    • Regulamento de Segurança de Redes de Distribuição de Energia Elétrica em Baixa Tensão – RSRDEEBT (Decreto Regulamentar n.º 90/84, de 26 de dezembro);
    • Manual de ligações à rede elétrica de serviço público do distribuidor de energia;
    • Conformidade do material com a marca CE;
    • Normas Portuguesas NP e Normas Europeias EN aplicáveis, as recomendações técnicas da CEI, do CENELEC e demais regulamentações aplicáveis;
    • Determinações e Normas da Empresa Distribuidora de Energia Elétrica.

REDE DE MÉDIA TENSÃO
A alimentação aos circuitos da rede proposta será subterrânea, com origem em Posto de Transformação e Seccionamento a instalar, com previsão de uma derivação da rede de Média Tensão de 15 KV, frequência de 50 Hz, sendo a empresa distribuidora a EDP Distribuição, SA. O PT objeto da presente intervenção será do tipo interior de cabine baixa, composto por celas pré-fabricadas em invólucro metálico. A chegada será subterrânea, alimentada através de interligação em anel ao PTD AL15-025 SE QTA. DO CONDE – CASAL BOLINHOS (CONSOMA II) por interceção de linha subterrânea e com PTD STB 134 – “Brejos de Azeitão”.

REDE DE BAIXA TENSÃO
A alimentação aos circuitos da rede proposta será subterrânea, com origem em Posto de Transformação a instalar e a distribuir em 400/231V, 50Hz. Optou-se pela rede de distribuição do tipo subterrâneo, pelo facto da rede aérea não ser compatível, com a natureza e nível das instalações a implantar no lote. Será instalado armário tipo passeio nas imediações do lote, com vista a alimentar o mesmo em baixa tensão. Serão ainda instaladas caixas de distribuição nos limites dos lotes com vista ao atendimento em baixa tensão a cada um deles.

REDE DE ILUMINAÇÃO PÚBLICA
A alimentação aos circuitos da rede proposta, será subterrânea com origem em Posto de Transformação a instalar. Optou-se pela rede de distribuição do tipo subterrâneo, pelo facto da rede aérea não ser compatível, com a natureza e nível das instalações a implantar no lote. A solução adotada passa essencialmente por iluminação com candeeiros tipo jardim, com a localização indicada em peça desenhada.

ESTUDO LUMINOTÉCNICO
As vias da classe ME estão incluídas nas zonas fora do perímetro urbano, porque é possível a medição de luminâncias, e logo aplica-se a norma EN 13201. De acordo com a norma e critérios de cálculo, e considerando a via de velocidade de tráfego moderada ou reduzida, moderado volume de tráfego, trânsito misto, sem separação de faixas, baixa densidade de cruzamentos, com veículos estacionados, de baixa luminância ambiente e fraco controlo de trânsito, chega-se à classe ME4a. Assim, os níveis de intensidade de iluminação horizontal, ao solo, considerando uma uniformidade da via e dos aparelhos que lhes são destinados, serão de luminância média mínima de 0,75cd/m2, de acordo com a largura (variável) das vias, e uniformidades global 0,4 e longitudinal 0,6.

  • Vantagens da intervenção
    Valorização do loteamento constituído por 13 lotes para a construção de moradias unifamiliares com dois pisos e por uma área de cedência para equipamento e espaços verdes, sito em Casal de Bolinhos, em Azeitão, através da requalificação das Redes de Distribuição em Média Tensão, Baixa Tensão e de Iluminação Pública.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa João Jacinto Tomé, S.A.
  • Início
    Maio de 2021
  • Conclusão (previsão)
    45 dias
  • Investimento
    121.390,80 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução de arruamentos e estacionamento adjacente ao terminal de transportes rodoviários no terreno municipal delimitado entre a Avenida de Moçambique (lado nascente à Várzea) e os campos de futebol de treino do Vitória Futebol Clube e do Clube “Os Pelezinhos”, conforme estabelecido em protocolo celebrado entre estas duas entidades.

ENQUADRAMENTO
Com 3 884,00 m², a área de intervenção consiste na realização da pavimentação de passeios, colocação de lancis e asfaltamento do estacionamento e das vias rodoviárias, concluindo o desenho total daquele terreno municipal e garantindo o apoio e os acessos pedonais e rodoviários ao equipamento desportivo, a nordeste. Os materiais aplicados serão em tudo idênticos ao utilizados na obra do terminal rodoviário, sendo aplicado nos arruamentos uma camada de betão betuminoso (aproximadamente 1 584,00 m²), nos passeios, pavimento em pavê em betão vibro-prensado de dupla camada (aproximadamente 1 555,00 m²), com lancis de vidraço L15 e L30 (aproximadamente 420 m/l na totalidade), adotando as mesmas soluções adotadas em obra para o terminal.

  • Vantagens da intervenção
    Melhoria das condições de segurança, mobilidade e acessibilidade viária e pedonal, através da implementação de um sistema funcional de circulação, de passeios e de estacionamentos.
  • Informações complementares
    Joaquim de Sousa Brito, S.A.
Parque de estacionamento na Várzea | Plano geral
Parque de estacionamento na Várzea | Plano geral
  • Início
    Novembro de 2021 (previsão)
  • Conclusão (previsão)
    Fevereiro de 2022
  • Investimento
    234.489,82 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    INTRODUÇÃO
    As Ruas Dr. Francisco Gonçalves de Oliveira, da Escola de Brejo Clérigo, do Pôr do Sol, do Marinheiro e Nova da Jardia possuem redes envelhecidas e em fim de vida útil, conforme se poderá comprovar pelo número de roturas dos últimos anos. A presente intervenção reabilita a rede de distribuição de água nas ruas anteriormente mencionadas. Para tal, previu-se a construção de vários troços da rede de água, perfazendo o total de cerca de 2 634,00 metros, utilizando tubagem de PEAD com os DN 90, 110, 160 e 200, bem como a construção dos respetivos ramais domésticos. Prevê, ainda, todas as ligações, bem como todos os órgãos de manobra de rede. A solução adotada tem por base legislação nacional em vigor e as normas nacionais e internacionais correntemente aceites, designadamente o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais (DR 23/95) e as Especificações Técnicas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, bem como outras normas e critérios em bibliografia afim.DESCRIÇÃO GERAL DA OBRA
    A obra a executar consiste na reabilitação das redes de água, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos na Rede de Distribuição de Água:
    – Execução de rede de água em PEAD PE100 PN10 com os DN90, 110, 160 e 200, com uma extensão de 2 634,00 metros, incluindo ligações
    – Execução dos ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes à área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra
    – Execução de todas as ligações e instalação de todos os órgãos de manobra
  • Vantagens da intervenção
    A Reabilitação da Rede de Água vai contribuir para um melhor serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água.
  • Informações complementares
Reabilitação da Rede de Água em Azeitão | Planta de localização
Reabilitação da Rede de Água em Azeitão | Planta de localização
  • Início
    Fevereiro de 2022
  • Conclusão (previsão)
    90 Dias
  • Investimento
    36 069,44 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Implantação de uma conduta de distribuição de água e de um coletor doméstico, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:

Rede de Distribuição de Água

| Implantação de conduta de distribuição de água em PEAD PE100 PN10, DN160, na Praceta Manuel Nunes de Almeida, com uma extensão aproximada de 170m, e execução dos respetivos nós de ligação às infraestruturas existentes, incluindo levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras, fornecimento e assentamento de tubagem e acessórios
| Instalação de 36 ramais de abastecimento de água às edificações existentes
| Instalação de uma descarga de fundo, DN65
| Instalação de um marco de incêndio na área a intervir tendo sido considerado o grau de risco de incêndio da zona Grau 2, conforme explicito no regulamento

Coletor Doméstico
| Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado SN8, com cabeça integral, DN250, numa extensão aproximada de 72m, com a execução de câmaras de visita, incluindo movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, sendo a sua ligação ao emissário projetado Ciprestes-Bonfim 2.ª fase
| Execução de quatro ramais domiciliários nas construções existentes, sendo as suas localizações a definir em obra

  • Vantagens da intervenção
    A reabilitação destas infraestruturas vai contribuir para um melhor serviço à população, maior segurança e qualidade das redes de abastecimento e de drenagem de águas residuais domésticas na Praceta Manuel Nunes de Almeida.
  • Informações complementares
    Adjudicada à empresa Estrela do Norte, S.A.

Obras Concluídas

  • Início
    Junho de 2019
  • Conclusão
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    148.520,51 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Definição e execução do traçado da rede viária, do sistema de drenagem de águas pluviais e sinalização viária (horizontal e vertical) de um grupo de arruamentos composto pela Rua do Areal, Rua da Mata, Rua dos Aventurosos (troço poente) e Rua Nova da Jardia (troço norte), localizados na Jardia, Brejos de Azeitão. A intervenções teve como objetivos dotar os referidos arruamentos de condições dignas de circulação pedonal e viária, promover a instalação do sistema de drenagem de águas pluviais e implementar a instalação de sinalização viária (horizontal e vertical).
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da acessibilidade e circulação viária.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Pinto & Braz, Lda.
  • Início
    Fevereiro de 2020
  • Conclusão
    Março/abril de 2020
  • Investimento
    41.656,98 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Requalificação viária das avenidas 22 de Dezembro e Dr. António Rodrigues Manito e da Rua Dr. António Manuel Gamito. A obra consiste numa fresagem prévia do pavimento existente, seguida de limpezas e posterior execução de uma nova camada de betuminoso.
  • Vantagens da intervenção
    Melhorias das condições de segurança, acessibilidade e circulação rodoviária.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Lenaconstroi, Lda.
  • Início
    Dezembro de 2019
  • Conclusão
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    75.870,72 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Definição do traçado da rede viária da Rua do Mel, localizada na Jardia, Brejos de Azeitão, na União de Freguesias de Azeitão, destinada a dotar de condições condignas para a circulação, pedonal e viária, o referido arruamento e implementar a instalação de um sistema de sinalização viária (horizontal e vertical).
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da acessibilidade e circulação viária.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Canana & Filhos, Lda.
  • Início
    2020
  • Conclusão
    2020
  • Investimento
    180.299,79 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    O conjunto de edifícios do Bairro da Quinta dos Vidais beneficiou de uma intervenção destinada a substituir as coberturas, a impermeabilizar as caleiras e tratar do reperfilamento das mesmas, incluindo, ainda, o tratamento das juntas de dilatação, substituição de tubos de queda pluvial e trabalhos de reparação de fachadas.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria das condições de habitação com a prevenção de infiltrações nos edifícios do Parque Habitacional Municipal no Bairro Quinta dos Vidais.
  • Informações complementares
    —-
  • Início
    —-
  • Conclusão
    —-
  • Investimento
    83.650,82 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução dos trabalhos de conservação dos revestimentos, pinturas exteriores e do betão armado estrutural dos edifícios que compõem os lotes 32 e 33, localizados na Rua do Moinho. A reparação de elementos construtivos com fissuração de reboco, betão deteriorado e com corrosão das armaduras seguiu a seguinte sequência:
  • Montagem de meios de acesso às zonas a intervencionar
  • Limpeza das superfícies
  • Delimitação das áreas de betão a remover
  • Picagem e preparação das superfícies, avivar de fissuras
  • Tratamento das armaduras e fissuras
  • Reconstituição do material de recobrimento
  • Pinturas exteriores

 

  • Vantagens da intervenção
    Reabilitação da habitação pública municipal no Bairro da Bela Vista, dignificando as condições habitacionais.
  • Informações complementares
    —-

 

  • Início
    2020
  • Conclusão
    2020
  • Investimento
    26 980,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A área de intervenção localiza-se entre a Rua Fernão Lopes e a Av. Álvaro Cunhal, no Monte Belo, na Freguesia de S. Sebastião. Consistiu na ligação pedonal entre a Av. Álvaro Cunhal e a Rua Fernão Lopes através de uma escada e rampa e a ligação ao passeio a nascente, junto da passagem superior sobre a Av. Álvaro Cunhal. O estacionamento foi sujeito a reperfilamento (para permitir a continuidade do passeio) e a repavimentação. Criação de uma passagem de peões junto da ligação à Av. Álvaro Cunhal. A estrutura verde integra as palmeiras existentes e novas árvores, maciços arbustivos e prado regado. Incluiu trabalhos de demolição e remoção de pavimentos e lancis, fornecimento e construção de lancis, pavimentos e mobiliário urbano, executados por empreitada. A rede e as zonas verdes foram executadas por administração direta.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da acessibilidade e mobilidade pedonal em toda a área da intervenção assegurando ligações pedonais sem barreiras urbanísticas às áreas envolventes, estando articulada com as atividades e funções urbanas.
  • Informações complementares
    —-
Requalificação do espaço entre a Rua Fernão Lopes e a Avenida Álvaro Cunhal | Plano geral
  • Início
    2019
  • Conclusão
    2019
  • Investimento
    38.775,14 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Implementação de passeios onde eram inexistentes, em substituição das bermas em terra batida, e construção dos atravessamentos pedonais, rampeando o pavimento do passeio na zona imediatamente adjacente à passagem de peões e a colocação de pavimento tátil nessa mesma zona.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da circulação rodoviária e melhoria das condições de acessibilidade e mobilidade para todos e da circulação pedonal.
  • Informações complementares
    —-
  • Início
    Fevereiro de 2020
  • Conclusão
    Maio de 2020
  • Investimento
    124.978,75 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução dos trabalhos de reparação e conservação das fachadas dos edifícios, mais concretamente com limpeza, reparação e pintura. A intervenção soluciona problema das infiltrações no interior das habitações, que advém, na maioria dos casos, de fissuração em paredes, fenómenos de condensação, má ventilação no interior das habitações e do sistema de impermeabilização (nomeadamente de telas envelhecidas e aplicadas de forma incorreta). Reparação dos rebocos fissurados e dos elementos de betão armado, melhoria do sistema de impermeabilização, limpeza e pintura das paredes. A operação segue a seguinte sequência: montagem de meios de acesso às zonas a intervencionar; limpeza das superfícies; delimitação das áreas de betão a remover; picagem, preparação das superfícies e avivar de fissuras; tratamento das armaduras e fissuras; reconstituição do material de recobrimento; pinturas exteriores.
  • Vantagens da intervenção
    Reabilitação da habitação pública municipal do Bairro Quinta de Santo António ao nível da impermeabilização e pintura dos edifícios, da manutenção e reparação das coberturas, do conforto térmico e eficiência energética, a par das obras realizadas na melhoria de espaços comuns de edifícios, realizadas por moradores organizados e por condomínios constituídos, dignificando as condições habitacionais.
  • Informações complementares
Pintura de fachadas na Quinta de Santo António | Planta de Localização
Planta de Localização | Clique para ampliar
  • Início
    Agosto de 2020
  • Conclusão
    Dezembro de 2020
  • Investimento
    N/D (obra realizada por empreitada, administração direta e em parceria com a J.F. São Sebastião )
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Trata-se de uma obra sinalizada no âmbito da iniciativa Ouvir a População, Construir o Futuro, a ser executada em parceria com Junta de Freguesia de S. Sebastião, nos seguintes termos: as obras de terraplanagem e de execução de lancis serão asseguradas pela Câmara Municipal através de contratação externa; a execução dos passeios será assegurada pela J.F. de S. Sebastião; as pavimentações são para serem executadas pela Câmara Municipal, por administração direta. A Rua Flávio Resende está interrompida por duas áreas onde foram demolidas construções clandestinas. Estas áreas encontram-se completamente desenquadradas com a envolvente de edifícios habitacionais e ambas devem ser requalificadas. Esta obra intervém ao nível dos passeios, dos estacionamentos e da estrada, por forma a criar uma continuidade na Rua Flávio Resende. Os trabalhos a executar são os seguintes:
  • Trabalhos preparatórios (limpeza, desmatação de toda a área a ser intervencionada; escavação e transporte de terras para abertura de caixa de pavimento; compactação do terreno; corte de betuminoso existente; remoção de calçada existente)
  • Execução de faixa de rodagem e estacionamento
  • Execução de passeios e lancis
  • Execução de sinalização
  • Reposicionamento de poste de iluminação
  • Reposicionamento de sumidouros
  • Vantagens da intervenção
    A intervenção na Rua Flávio Resende ao nível dos passeios, dos estacionamentos e da faixa de rodagem, contribui para uma melhoria de condições de segurança, circulação e acessibilidade.
  • Informações complementares
Requalificação viária e pedonal da Rua Flávio Resende | Plano geral de intervenção
Requalificação viária e pedonal da Rua Flávio Resende | Plano geral de intervenção
  • Início
    Abril de 2019
  • Conclusão
    Agosto de 2020
  • Investimento
    88.785,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Trabalhos de reparação e conservação em fachadas dos edifícios, mais concretamente para limpeza, reparação e pintura. Surge da necessidade de resolução do problema das infiltrações no interior das habitações que advém, na maioria dos casos, de fissuração em paredes, de fenómenos de condensação, de ventilação no interior das habitações e do sistema de impermeabilização (nomeadamente de telas envelhecidas e aplicadas de forma incorreta). A solução passa pela reparação dos rebocos fissurados, dos elementos de betão armado, melhoria do sistema de impermeabilização, limpeza e pintura das paredes. Os trabalho seguem a seguinte sequência:
    | Montagem de meios de acesso às zonas a intervencionar
    | Limpeza das superfícies
    | Delimitação das áreas de betão a remover
    | Picagem, e preparação das superfícies, avivar de fissuras
    | Tratamento das armaduras e fissuras
    | Reconstituição do material de recobrimento
    | Pinturas exteriores
  • Vantagens da intervenção
    Reabilitação da Habitação Pública Municipal do Bairro da Azeda, dignificando as condições habitacionais.
  • Informações complementares
Pintura de fachadas no Bairro da Nova Azeda | Planta de localização
Pintura de fachadas no Bairro da Nova Azeda | Planta de localização
Pintura de fachadas no Bairro da Nova Azeda | Localização da intervenção
Pintura de fachadas no Bairro da Nova Azeda | Localização da intervenção
  • Início
    Julho de 2020
  • Conclusão
    Dezembro de 2020
  • Investimento
    37.739,95 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente obra diz respeito à construção de um edifício de 48 ossários no Cemitério de Vendas de Azeitão e de um edifício de 100 ossários no Cemitério de Vila Nogueira de Azeitão. A escavação para a implantação do edifício terá uma profundidade de 0,35 m. A fundação será executada em ensoleiramento geral tendo uma camada de 0,05 m de betão de limpeza e o restante preenchido com betão C20/25, armado, e dimensionada de acordo com as características do terreno. Após a conclusão da fundação, serão colocados 48 módulos pré-fabricados de ossários e as juntas devidamente fechadas com massa própria. Estes elementos pré-fabricados são executados com betão C30/37 e armados com malha sol A500-C38. Os módulos pré-fabricados deverão cumprir as exigências do EUROCÓDIGO 2 e das demais normas de pré-fabricação plicáveis. A laje de cobertura será executada com betão C20/25, armado com ferro A500. A impermeabilização da laje de cobertura será efetuada através de um produto asfáltico a frio. Todos os trabalhos de construção civil serão executados de acordo com as normas em vigor.
  • Vantagens da intervenção
    Requalificação da rede de equipamentos municipais, beneficiando a organização e a gestão dos cemitérios do Município de Setúbal como espaços representativos de uma cultura que enaltece a importância da vida através do adornamento das sepulturas e jazigos, reunindo condições que permitam o culto dos mortos de forma digna e igualitária.
  • Informações complementares
Ossários de cemitérios de Azeitão | Corte esquemático
Ossários de cemitérios de Azeitão | Corte esquemático
Obras | ampliação do cemitério de Vila Nogueira de Azeitão | novos ossários
Obras | ampliação do cemitério de Vila Nogueira de Azeitão | novos ossários
  • Início
    Novembro de 2020
  • Conclusão
    Janeiro de 2021
  • Investimento
    58.476,76 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Requalificação viária e pedonal da Rua da Eurocerâmica, localizada na Freguesia de Azeitão. A Rua da Eurocerâmica é uma rua com características habitacionais, essencialmente composta por moradias unifamiliares (com máximo de dois pisos), sendo a circulação viária destinada essencialmente a trânsito local ligeiro e trânsito comercial de média dimensão. Considerando estas características do tráfego automóvel, a presente intervenção teve como principais objetivos:
  • A implementação de um sistema funcional de circulação viária, pavimentação adequada da rede viária e remarcação da sinalização horizontal viária;
  • A implementação de passeios para melhoria da segurança da circulação pedonal;
  • A implementação de estacionamentos apropriados para que não haja impedimentos com veículos na zona de passeio.

No âmbito da melhoria das condições de circulação e segurança, foi realizada a construção de passeios e lancis, lancis rebaixados no acesso viário ao interior dos lotes, bem como a criação de medidas tendentes a limitar a velocidade de circulação nessas zonas.

Solução Proposta

Passeios

    • O passeio será constituído por:
      • Calçada de vidraço;
      • Camada de saibro ou pó de pedra com 0.15cm de espessura;
      • Solo de fundação bem compactado com 0.15cm de espessura.
    • A calçada de vidraço a colocar será igual à existente ou equivalente, com juntas preenchidas com cimento e areia ao traço 1:5.

Lancis

    • Na bordadura da faixa de rodagem/passeios será aplicado lancil 12 de betão do tipo “Presdouro” ou equivalente, de dimensões (0.15×0.25×1.00), assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de dimensões 0.30×0.30m.
    • Na transição da faixa de rodagem/estacionamento no interior dos lotes, será aplicado lancil 12 rebaixado de betão do tipo “Presdouro” ou equivalente, de dimensões (0.15×0.19×1.00), assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de dimensões 0.30×0.30m.

Faixas de Rodagem

    • As faixas de rodagem foram cortadas à largura indicada nas peças desenhadas, para que possam ser executados os novos passeios e zonas de estacionamento.
    • Estas foram fresadas 1m de cada lado até ao lancil e será colocado posteriormente uma camada de betuminoso (com inerte basalto) até à cota indicada nos perfis transversais tipo.
    • Foi feito um reforço da camada betuminosa existente através da colocação de mais uma camada betuminosa com inerte basalto até à cota indicada nos perfis transversais tipo.

Estacionamento

  • Os estacionamentos a serem executados foram constituídos por:
    • Revestimento betuminoso com 0.5m de espessura;
    • Camada betuminosa com 0.5m de espessura;
    • Camada de “Tout Venant” com 0.15m de espessura (2 camadas de 0.075m);
    • Terreno bem compactado.

Marcação Rodoviária

    • Pintura de passagem para peões existente, com tinta termoplástica refletora branca.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria das condições de segurança, mobilidade e acessibilidade viária e pedonal, através da implementação de um sistema funcional de circulação, de passeios e de estacionamentos.
  • Informações complementares
Rua da Cerâmica | Azeitão | Requalificação viária e pedonal
Rua da Cerâmica | Azeitão | Requalificação viária e pedonal
  • Início
    Maio de 2020
  • Conclusão
    Junho de 2021
  • Investimento
    147 815,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção refere-se a trabalhos de requalificação interior na zona do sótão dos Paços do Concelho, na Praça de Bocage. A intervenção pretendida visa adaptar o espaço às novas instalações dos serviços municipais do DCIRT – Departamento de Comunicação, Imagem, Relações Públicas e Turismo.  Os trabalhos consistem na execução de trabalhos diversos de construção civil para reformular os pavimentos, paredes, teto falso, rede de eletricidade e ITED dos espaços interiores do sótão destinados às futuras instalações da DICI – Divisão de Comunicação e Imagem, tais como:

    • Zona de entrada geral;
    • Zona de entrada DICI/DCIRT;
    • Zona de salas de trabalho (Administrativos, Chefe DICI, Informação e Fotógrafos);
    • Zona de salas de trabalho (Design e Promoção);
    • Zona de salas de trabalho (Pres. Assembleia, Sala Apoio, Sala reuniões e Sala Multiusos
  • Vantagens da intervenção
    Modernização da rede de equipamentos municipais, que beneficia os serviços da DICI na execução das suas tarefas e que também contribui para uma melhoria das condições de higiene, saúde e segurança no trabalho.
  • Informações complementares
  • Início
    Março de 2019
  • Conclusão
    Novembro de 2020
  • Investimento
    86.275,45 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Prolongamento da rede de drenagem doméstica na Rua Celestino Cachão e Rua da Vitória. Renovação da rede de abastecimento de água existente, construída em fibrocimento. Para tal, previu-se a construção de vários troços da rede de drenagem doméstica perfazendo o total de 723 metros, bem como a construção dos respetivos ramais domésticos. Construção de uma conduta, com a extensão total de 1098 metros e respetivos ramais domésticos. A obra consistiu na reabilitação das redes de água e de prolongamento das redes de drenagem doméstica, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:

Coletor Doméstico
| Implantação de coletores gravíticos, numa extensão de 723 metros com a execução de câmaras de visita, incluindo movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem
| Execução dos ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes á área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra

Rede de Distribuição de Água
| Execução de rede de água, com uma extensão de 1098 metros, incluindo ligações
| Execução dos ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes à área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra

  • Vantagens da intervenção
    Eliminação das fossas séticas e construção de uma rede de drenagem pública e melhoria da rede de abastecimento de água
  • Informações complementares
Rede de drenagem na Rua Celestino Cachão | Planta de localização
Rede de drenagem na Rua Celestino Cachão | Planta de localização
  • Início
    Setembro de 2020
  • Conclusão
    Dezembro de 2020
  • Investimento
    72 879,83 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Esta intervenção insere-se no conjunto de requalificações que a Câmara Municipal de Setúbal tem vindo a implementar de melhoria das condições de acessibilidade e segurança rodoviária, num plano integrado entre repavimentações executadas por administração direta, pelos serviços operacionais do Município, e empreitadas complementares, como será o caso desta obra. A intervenção proposta assenta essencialmente nos seguintes pressupostos:
    Caracterização do traçado
    Em planta e ao nível dos perfis transversais será cumprido e mantido genericamente o existente no local uma vez que se trata de uma zona já urbanisticamente consolidada e está-se a intervir na lógica da manutenção e melhoramento do existente.
    Pavimentos
    Uma vez que a intervenção corresponde ao reperfilamento de arruamentos existentes, prevê-se a manutenção da estrutura dos atuais pavimentos em toda a plataforma, com a exceção de um troço da Rua Francisco Biscaya da Silva que se encontra em terra batida.
    • Faixa de Rodagem: no essencial será executada a fresagem do pavimento existente junto dos lancis e zonas de encaixe, efetuada uma limpeza geral em toda a extensão da via e fornecimento e espalhamento de camada de betão betuminoso com inertes de basalto ou diorito com 0,04m de espessura após recalque. No que se refere ao troço em terra batida da Rua Francisco Biscaya da Silva preveem-se trabalhos de abertura de caixa (com escavação em terra semirrija e o transporte de terras sobrantes a vazadouro autorizado) para execução de camadas de sub-base e base em tout-venant com 0,15m de espessura após recalque, respetivamente, camada de regularização com betão betuminoso com inertes de calcário com 0,04m de espessura e camada de desgaste constituída por betão betuminoso, com inertes de basalto ou diorito, com 0,04m de espessura, após recalque. Serão retificadas e colocadas à cota todas as tampas de camaras de visitas, órgãos de drenagem ou outros que se revelem como necessários.
    • Passeios: prevê-se o rampeamento do pavimento do passeio nas zonas imediatamente adjacentes às passagens de peões existentes e a colocação de pavê tátil de alerta, assente sobre almofada de pó de pedra, conforme a respetiva peça desenhada.

Sinalização
No que se refere à sinalização, apenas será realizada a intervenção a nível de sinalização horizontal. Prevê-se a repintura das marcas rodoviárias existentes com recurso a materiais de características retrorrefletoras, de cor branca. Está prevista a aplicação de barras de paragem e passadeiras.
Drenagem
Será considerado o ajuste necessário de reposicionamento dos órgãos existentes às cotas finais do betuminoso ou a retificação de pendentes que se verifiquem necessárias por forma a melhorar as condições superficiais de escoamento.

  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da circulação e segurança rodoviária em vias urbanas com pavimentos já muito degradados, como é o caso da Rua Campos Rodrigues e dos arruamentos de ligação à Rua do Bairro Afonso Costa, na Freguesia de São Sebastião. Melhoria das condições de acessibilidade e mobilidade para todos e da circulação pedonal pela reconstrução dos atravessamentos pedonais, rampeando o pavimento do passeio na zona imediatamente adjacente à passagem de peões e a colocação de pavimento tátil nessa mesma zona.
  • Informações complementares
Repavimentação da Rua Campos Rodrigues e arruamentos contíguos
Repavimentação da Rua Campos Rodrigues e arruamentos contíguos
  • Início
  • Conclusão
    Janeiro de 2021
  • Investimento
    72 879,83 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Administração direta
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção refere-se à reabilitação de um edifício na Rua da Velha Alfândega, na baixa de Setúbal perto da Biblioteca Municipal para nele ser instalado a CASA DAS IMAGENS DE LAURO ANTÓNIO – BIBLIOTECA, MEDIATECA E ARQUIVO.
    Trata-se de uma obra executada pela Câmara Municipal de Setúbal por administração direta através dos serviços do DOM/DIOAD – Divisão de Obras por Administração Direta.
    A Casa das Imagens resulta de uma doação de Lauro António ao município de perto de 50 mil peças, em diferentes conteúdos, relacionadas com os audiovisuais.
    Uma mediateca possui uma coleção de filmes com 1500 cassetes VHS e 10 mil DVD e Blu-Ray, além de CD, discos em vinil, cassetes-áudio, cartazes, fotografias e material publicitário de filmes.
    O equipamento está dotado de biblioteca com publicações de cinema, audiovisuais e televisão, assim como de banda desenhada e cartoons, revistas especializadas de cinematografia, enciclopédias gerais e obras generalistas.
    Entre as várias peças expostas, contam-se a placa exterior do Cinema Condes, um anúncio luminoso do Cinema de Cascais, a placa de saída do Cinema Odéon, a coleção de Bonecos de Estremoz, uma máquina para ver fotografias em vidro, vários carregadores de fotografias e textos originais manuscritos e datilografados. Uma máquina de escrever, o tripé utilizado, em 1980, na rodagem do filme “Manhã Submersa” e alguns dos inúmeros prémios que recebeu ao longo da carreira também estão presentes.
    A Casa das Imagens Lauro António promove exposições intimistas, exibições de filmes antigos para crianças e de ciclos temáticos e tertúlias com atores, produtores e realizadores.
  • Vantagens da intervenção
    Continuar o processo de requalificação do espaço público e da rede municipal de equipamentos culturais e turísticos.
  • Informações complementares
  • Início
    Dezembro de 2020
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    47 961,50 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Trabalhos de conservação das coberturas do Quartel dos Bombeiros Sapadores de Setúbal. As coberturas, em chapa de fibrocimento (intercaladas por elementos de betão armado pré-esforçado), foram tratadas de forma a encapsular as fibras que as constituem, através de técnicas de impregnação.

Situação Existente

O edifício que serve de quartel para os Bombeiros Sapadores de Setúbal, têm uma cobertura protegida por chapas de fibrocimento e elementos em betão armado pré-esforçado. As chapas de fibrocimento necessitam de manutenção por forma a minimizar infiltrações, substituir elementos de fixação corroídos, corrigir fissuras e prevenir libertação de partículas.

Trabalhos Executados
| Limpeza, reparação de fissuras e áreas deterioradas, encapsulamento:

Recuperação da cobertura em fibrocimento, com encapsulamento das fibras de amianto para as chapas de fibrocimento que se encontrem em bom estado de conservação (que não se encontrem partidas ou fissuradas de forma acentuada). Reparação de fissuras existentes nas chapas de fibrocimento de acordo com a seguinte descrição:

A – Limpeza e esterilização, incluindo:
| Aplicação do produto de limpeza Antifúngico tipo ISO A – Clean para remoção de todos os musgos e bolor à superfície e eliminação de quaisquer micro-organismos existentes no interior da telha. A água da lavagem antifúngica será recolhida e filtrada para recipiente adequado e embalado, sendo as respetivas fibras de amianto enviadas para vazadouro dando integral cumprimento ao estipulado no Decreto-Lei n.º 266/2007, de 24 de julho.

B – Reconstrução e endurecimento, incluindo:

– Tratamento anticorrosivo da cabeça dos parafusos, grampos ou tirefons;

– Reparação de fissuras existentes, nas zonas de intervenção, com fibra de vidro.

– Aplicação de produto tipo Isonit Construction, sobre material frágil e em estado de degradação

Este produto penetra no interior do material onde reage quimicamente com os componentes do fibrocimento, ligando as partículas da sua estrutura (encapsulamento de fibras de amianto) e impedindo que estas se libertem para a atmosfera. Este tratamento impede que a humidade e o gelo penetrem no material, evitando fendas e eflorescências.

C – Proteção final:
Aplicação de revestimento tipo IsonitPaint. O revestimento confere à superfície propriedades hidrofugantes e de autolimpeza o que facilita a manutenção do telhado e aumenta a sua durabilidade. Revestimento de base aquosa, não oferece qualquer perigo de toxicidade para o meio ambiente e para o utilizador. Procedimentos a adotar no manuseamento das chapas de cobertura em fibrocimento. Os trabalhos serão organizados de acordo com o sistema de gestão de segurança da empresa e com o plano de segurança e saúde, tendo como objetivo a ausência de acidentes, quer para os trabalhadores envolvidos na execução da empreitada, quer para terceiros, que circulem na envolvente. Refira-se ainda, que todas as questões relacionadas, com as questões de segurança, nomeadamente análise de riscos, medidas de prevenção, procedimentos, metodologias de trabalho e processos construtivos, estão desenvolvidos no Plano de Segurança e Saúde da Fase de Obra.

– Metodologias de trabalho e medidas preventivas para limitar a dispersão de fibras de amianto no ambiente

As metodologias e medidas preventivas a adotar, terão como base, o princípio preventivo de minimizar ou eliminar a emissão de fibras de amianto, para o ambiente de trabalho e zonas envolventes. Serão tomadas em atenção as medidas necessárias para manuseamento das chapas de fibrocimento e medidas de proteção coletiva complementares, previstas no plano de segurança e saúde, de forma a serem garantidas as condições de segurança, previstas nos objetivos da empreitada. As monitorizações previstas, em termos de recolha das fibras de amianto, serão um elemento muito importante, para aferição das medidas a implementar.

– Avaliação e controlo do ambiente de trabalho

A avaliação do risco de inalação de fibras de amianto pelos trabalhadores, que intervêm na operação, será garantida através de amostras, que indicarão o número de fibras existentes, para determinar a concentração de fibras no ambiente de trabalho. As amostras serão recolhidas, nos locais de trabalho e na envolvente exterior. As medições serão efetuadas antes do início dos trabalhos, durante a execução dos trabalhos (aparelho aplicado num trabalhador) e após a conclusão dos trabalhos. Os locais de recolha de amostras, foram aferidos com o laboratório selecionado, de forma a aferir as necessidades, em função das características da empreitada e da envolvente.

– Súmula dos procedimentos a seguir na remoção de fibrocimento

Os procedimentos deverão ser os seguintes:

Notificar a ACT de acordo com a legislação em vigor;

  • Só iniciar os trabalhos, após a autorização da ACT;
  • Cumprir a autorização e o plano de trabalho aprovado pela ACT;
  • Desenvolver as ações de formação e informação;
  • Desenvolver uma ação de acolhimento, para aferir se os trabalhadores reúnem as condições ideais (aptidão médica, conhecimento, etc..), para desenvolver as tarefas previstas para a remoção de fibrocimento;
  • Não fumar, comer ou beber, após ou durante o início do processo de remoção de fibrocimento, incluindo o período de preparação;
  • Aferir os procedimentos e instruções, recebidas nas ações de informação/formação, em termos de preparação e colocação de EPI´s;
  • Verificar se os equipamentos, são compatíveis com as atividades a desenvolver e se estão em boas condições de utilização e se são certificados, de acordo com a legislação em vigor;
  • Quando chegar ao local de trabalho, entrar no vestuário 1 e deixar a roupa limpa num armário;
  • Colocar os EPI´s previstos;
  • Antes da execução dos trabalhos de remoção de fibrocimento, desenvolver uma reunião, para aferição dos procedimentos e instruções, recebidas nas ações de informação/formação e previstas no plano de trabalho;
  • Proceder à remoção e acondicionamento das chapas de fibrocimento, de acordo com o previsto nos procedimentos aprovados;
  • Regresso à zona de “descontaminação/vestuários” e aferição dos procedimentos e instruções, recebidas nas ações de informação/formação;
  • Entrada no vestuário 2, tomar duche e remoção dos EPI´s descartáveis, com exceção da máscara, com lavagem dos elementos não descartáveis;
  • Ainda com a máscara, tomar segundo banho, na segunda zona de duches;
  • Colocação dos EPI,s contaminados em saco bem fechados e vedados, com indicação de “contém amianto”;
  • Voltar ao vestuário 1 e vestir a roupa de regresso a casa;
  • Transporte das chapas de fibrocimento e restantes resíduos, para empresa certificada;
  • Arquivo de todos os elementos relacionados com o processo de remoção de fibrocimento.

No plano de intervenção, está definido que os procedimentos a seguir na remoção do fibrocimento e a avaliação de riscos e medidas preventivas cumprem o estipulado na legislação em vigor.

  • Vantagens da intervenção
    As coberturas, em chapa de fibrocimento (intercaladas por elementos de betão armado pré-esforçado), foram tratadas de forma a encapsular as fibras que as constituem, através de técnicas de impregnação. Com a presente intervenção deu-se cumprimento ao estipulado na legislação legal em vigor.
  • Informações complementares
Recuperação da cobertura do quartel da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal
  • Início
    Julho de 2020
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    215 569,38 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Implantação de condutas de água e coletores doméstico e pluvial, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:

Rede de Distribuição de Água

    • Renovação de condutas de distribuição de água existentes, mediante instalação de novas condutas em PEAD, PE100, DN110 e DN315, na Rua da Serração, com uma extensão aproximada de 583 e 525m, respetivamente, incluindo execução dos respetivos nós de ligação às infraestruturas existentes, levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras, fornecimento e assentamento de tubagem, materiais e acessórios
    • Reabilitação integral de ramais de abastecimento de água às moradias existentes, incluindo a construção das caixas para os contadores e todos os acessórios e trabalhos que sejam necessários no muro da propriedade
    • Instalação de acessórios e órgãos inerentes ao eficaz funcionamento
    • Instalação de marcos de incêndio na área a intervir, tendo sido considerado o grau de risco de incêndio da zona como Grau 2

Rede de Drenagem Doméstica

    • Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado SN8, com cabeça integral, DN250, numa extensão aproximada de 540m, incluindo a execução de câmaras de visita e sumidouros, com levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, materiais e acessórios sendo a sua ligação ao coletor doméstico existente na Rua Almada Negreiros
    • Execução de ramais domiciliários nas construções existentes e futuras, pertencentes à área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra

Rede de Drenagem Pluvial

    • Implantação de coletores gravíticos em manilhas de betão armado, classe 2, DN800, numa extensão aproximada de 530m com a execução de câmaras de visita, incluindo levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, materiais e acessórios sendo a sua ligação ao coletor pluvial existente na Rua Almada Negreiros
    • Execução de sumidouros, na área a intervencionar, sendo as suas localizações exatas a definir em obra
  • Vantagens da intervenção
    A construção de uma rede separativa, ou seja, instalação de coletor doméstico e um coletor pluvial, vai eliminar o aparecimento de água residual na Ribeira de Brejoeira e eliminar o retorno de águas residuais nas edificações, quando ocorre elevada precipitação. Os coletores recolherão as águas residuais produzidas nas habitações servidas e as águas residuais pluviais caídas quer sobre os eixos viários envolvidos e áreas adjacentes, quer sobre as coberturas dos edifícios e proveniente da bacia a montante, designadamente do Loteamento EN 10 – Brejos de Azeitão. A rede de distribuição de água e a conduta adutora ao longo da Rua da Serração foram renovadas, contribuindo-se deste modo para um melhor serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água.
  • Informações complementares
Infraestruturas na Rua da Serração | Azeitão | Planta de localização
Infraestruturas na Rua da Serração | Azeitão | Planta de localização
  • Início
    Julho de 2020
  • Conclusão
    Abril de 2021
  • Investimento
    N/D
  • Género
    Administração direta
  • Resumo da intervenção
    Edificação de um espaço novo de raiz – Estaleiro de Construção Civil do DOM/DIOAD, salientando o facto da estrutura, cobertura e paredes terem sido um reaproveitamento do espaço criado pelo LIDL na altura da obra de renovação deste hipermercado na Quinta do Quadrado. As obras relativas à execução de fundações de betão armado, montagem da estrutura, montagem da cobertura e paredes, pavimentos, redes de esgotos, rede elétrica, água potável e água de furo, ar comprimido e restantes trabalhos foram executadas por administração direta; referindo-se no entanto qua a desmontagem e transporte para Poçoilos terem sido feitos por empresa externa. A obra foi realizada sem um prazo definido, nem especial prioridade, e de forma a que nenhuma das atividades da DIOAD parassem e com as restrições inerentes ao Plano de Contingência. As fundações iniciaram-se na última quinzena de julho.
  • Vantagens da intervenção
    Construção de novo estaleiro de construção civil, modernizando a rede de equipamentos municipais, que beneficia os serviços da DIOAD na execução das suas tarefas e que também contribui para uma melhoria das condições de higiene, saúde e segurança no trabalho.
  • Informações complementares
  • Início
    Julho de 2020
  • Conclusão
    Janeiro de 2021
  • Investimento
    194.535,02 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A rede de saneamento existente na zona da Aldeia Rica, em Vila Nogueira de Azeitão, é unitária e encontra-se a efetuar a descarga na linha de água adjacente ao local. Neste sentido, tornou-se a rede separativa e encaminhou-se os esgotos domésticos para o coletor existente na Rua 9 de Abril e Rua Frei Agostinho da Cruz, que posteriormente vão ligar ao coletor B. A rede pluvial é encaminhada para o coletor existente que liga na linha de água. De modo a executar este trabalho e em virtude da geometria dos arruamentos onde o trabalho vai ser realizado é necessário substituir toda a rede de água existente em Fibrocimento e que, além de ser antiga, apresenta graves problemas de funcionamento. Neste sentido é apresentada uma solução para a separação das redes de saneamento, que passa pela execução de um coletor doméstico em PP SN8 DN200 e DN250 assim como a reformulação dos ramais domiciliários existentes e a construção de diversos sumidouros ligados ao coletor existente ficando este a funcionar unicamente como pluvial. Na rede de água prevê-se a substituição da rede existente em fibrocimento por uma rede nova em PEAD PN10 com diâmetro variável entre DN 160 e DN 90, a reformulação dos ramais domiciliários existentes e a colocação dos locais de contador com acessibilidade pelo exterior, e a colocação de marcos de incendio. A solução apresentada tem por base legislação nacional em vigor e as normas nacionais e internacionais correntemente aceites, designadamente o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas residuais (DR 23/95) e as Especificações Técnicas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, bem como outras normas e critérios em bibliografia afim. A intervenção consiste na implantação de uma rede de saneamento separativa e a reabilitação da rede de água, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:
    Rede de distribuição de água
    • Implantação de conduta de água em PEAD, DN160, na Rua José Augusto Coelho, entre a Rua 9 de abril e a Rua do Fisco, com uma extensão aproximada de 280m, e execução dos respetivos nós de ligação às infraestruturas existentes.
    • Implantação de conduta de água em PEAD DN110, na Rua José Augusto Coelho, entre a Rua 9 de abril e o arruamento para as moradias em banda, com uma extensão aproximada de 145m, e execução dos respetivos nós de ligação às infraestruturas existentes.
    • Implantação de condutas de água em PEAD, DN110, na Rua José Faustino Vidal, Rua Professor Armando Cyrillo Soares, Rua da Aldeia Grande, e Rua Frei Agostinho da Crus, com uma extensão aproximada de 575m, e execução dos respetivos nós e ligação à conduta a construir.
    • Instalação de ramais de abastecimento de água às moradias existentes, incluindo a construção das caixas para os contadores, de modo a ficarem com acesso pelo exterior, onde forem necessárias, ligação à rede predial existente e todos os trabalhos e acessórios que sejam necessários no muro do requerente.
    • Instalação de marcos de incêndio na área a intervir.

Coletor Doméstico

    • Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado, DN200, na Rua Professor Armando Cyrillo Soares, Rua de Aldeia Rica, e Rua José Augusto Coelho, numa extensão aproximada de 270m.
    • Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado, DN200, na Rua Professor Armando Cyrillo Soares, Beco da Aldeia Rica, Rua da Aldeia Rica, e Rua Frei Agostinho da Cruz, numa extensão aproximada de 365m.
    • Implantação de coletor gravítico em PP Corrugado, DN250, na Rua 9 de Abril, numa extensão aproximada de 50m.
    • Implantação de coletor gravítico em PP Corrugado, DN250, no acesso à Quinta dos Foios, numa extensão aproximada de 50m.
    • Execução de ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes á área a intervencionar, sendo as suas localizações a confirmar em obra.

Coletor Pluvial

    • Execução de órgãos de recolha de águas pluviais, com ligação à rede existente.
  • Vantagens da intervenção
    A reabilitação da Rede de Água em Aldeia Rica – Vila Nogueira de Azeitão contribui para um melhor serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água. A construção de uma rede de drenagem separativa elimina a descarga de águas residuais na linha de água que atravessa a Quinta dos Foios.
  • Informações complementares
Rede de água e saneamento | Aldeia Rica | Planta de Localização
Rede de água e saneamento | Aldeia Rica | Planta de Localização
Rede de água e saneamento | Aldeia Rica | Rede e nós
Rede de água e saneamento | Aldeia Rica | Rede e nós
  • Início
    Janeiro de 2021
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    14.800,00€ (valor estimado de custos diretos)
  • Género
    Administração direta
  • Resumo da intervenção
    Requalificação do Túnel do Quebedo, executada pelos serviços do DOM/DIOAD, que incluiu a remoção de graffitis, repintura, colocação de painéis fenólicos com imagens da cidade e colocação de iluminação LED nos mesmos.
    Esta intervenção inclui-se no conjunto de obras asseguradas por administração direta pelos serviços do DOM/DIOAD, visando garantir a manutenção, construção e reabilitação das edificações, equipamentos, infraestruturas municipais e vias de comunicação. A intervenção artística do Quebedo foi executada em 2015 e incluiu painéis de azulejos encomendados pela Câmara Municipal de Setúbal à Galeria Ratton, desenhados e pintados pelo artista plástico Andreas Stöcklein. A conceção dos painéis, colocados numa área de 300 metros quadrados ao longo dos muros do túnel, tem como mote a referência a escritores e artistas que estiveram ligados à cidade de Setúbal, por nascença ou vivência, concretamente Bocage, Sebastião da Gama, Vasco Mouzinho de Quevedo, Luiz Pacheco e José Afonso.
  • Vantagens da intervenção
    Valorização de todo o conjunto do túnel do Quebedo, bem como do seu espaço exterior.
  • Informações complementares
  • Início
    Dezembro de 2020
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    93 945,30 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção refere-se à obra de construção de ossários no Cemitério da Paz em Setúbal. A proposta é a execução de 1 edifício de ossários, composto por 312 espaços de inumação no total, com 2 faces e 4 ossários em altura. O objetivo desta obra é a construção de ossário com dimensão suficiente para suprimir os pedidos efetuados pelos cidadãos.
    1.  Trabalhos preparatórios
    A execução do edifício inicia-se com a implantação através de equipamento apropriado.
    2. Fundação
    A escavação para a implantação do edifício terá uma profundidade até 25cm. A fundação será executada em ensoleiramento geral tendo uma camada de 5cm de betão de limpeza e o restante preenchido com betão C20/25, armado com armaduras electrossoldadas da classe A500 (malhassol), dimensionada de acordo com as características do terreno.
    3. Colocação dos ossários
       | Colocação de 312 módulos prefabricados de ossários do tipo “Beiracruz – Sistema Beiracorvo” ou equivalente, sendo as juntas devidamente fechadas com massa própria;
    | Execução de paredes laterais em alvenaria de tijolo de dimensões (30x20x11) cm, devidamente rebocadas, prontas para receberem pintura com tinta plástica branca;
    | Entre os ossários e a parede posterior ficará uma caixa-de-ar devidamente ventilada, evitando assim a condensação dentro dos ossários;
    | Pintura à cor branca e acabamento do alçado principal e interior;
    | Pintura a tinta plástica de cor branca dos topos das paredes de alvenaria dos alçados laterais. Estes topos terão uma saliência de 10cm em relação às tampas dos ossários.
    4. Cobertura
    Sobre os ossários será executada uma laje em betão C20/25, armado com armadura electrossoldada da classe A500 (malhassol), com uma saliência de 10cm em relação às tampas dos ossários, devidamente impermeabilizada.
    5. Revestimento frontal
    | No alçado principal do edifício serão colocadas tampas em mármore Estremoz corrente de 2cm de espessura, incluindo gravação numérica e furação para colocação de conjunto de acessórios (floreira, cercadura, crucifixo e placa de identificação) e cravos em bronze para suporte das mesmas.
    | Aplicação de faixas de mármore Estremoz corrente em toda a volta das tampas, para um perfeito acabamento do edifício.
  • Vantagens da intervenção
    Requalificação da rede de equipamentos municipais, beneficiando a organização e a gestão dos cemitérios do Município de Setúbal como espaços representativos de uma cultura que enaltece a importância da vida através do adornamento das sepulturas e jazigos, reunindo condições que permitam o culto dos mortos de forma digna e equalitária.
  • Informações complementares
    A presente intervenção diz respeito à 1.ª fase de construção de ossários no Cemitério da Paz, estando prevista uma 2.ª fase que contempla a execução de um edifício de ossários, composto por 488 espaços de inumação no total com 2 faces e 4 ossários em altura.
Construção de ossários do Cemitério da Paz | Desenho de Pormenor
Construção de ossários do Cemitério da Paz | Planta Proposta
  • Início
    Fevereiro de 2021
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    15 700,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Obra delegada
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção refere-se à reconstrução de muro de suporte que conflitua com conduta existente, na Rua da Alfarrobeira, União das Freguesias de Setúbal. Execução de um pequeno desvio da conduta pública de abastecimento de água existente no local para uma zona superior do arruamento, substituindo a conduta existente em fibrocimento por nova em PEAD DN 110, numa extensão de cerca de 80 metros, incluindo a renovação de oito ramais domiciliários e a instalação de um marco de incêndio.
  • Vantagens da intervenção
    O desvio na conduta da Rede de Água na Rua da Alfarrobeira vai contribuir para uma melhor qualidade no serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água.
  • Informações complementares
Desvio de conduta na Rua da Alfarrobeira | Planta de implantação
Desvio de conduta na Rua da Alfarrobeira | Planta de implantação
Desvio de conduta na Rua da Alfarrobeira | Planta de localização
Desvio de conduta na Rua da Alfarrobeira | Planta de localização
  • Início
  • Conclusão
    Março de 2021
  • Investimento
    6.407,20 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A Câmara Municipal de Setúbal criou sete lugares de estacionamento, incluindo um lugar de cargas e descargas e um lugar de estacionamento para pessoas com mobilidade reduzida, de forma a resolver um problema de estacionamento desordenado, entre o Centro Comercial de S. Julião e o notário aí existente. Foi também redefinido um pequeno troço do passeio de espaço público contíguo às instalações do C. C. São Julião, localizado na Avenida 22 de Dezembro.
    Identificação e descrição da área sujeita a intervenção
    A área intervencionada contemplou a execução das seguintes tarefas preparatórias:
    | Remoção do lancil de passeio existente entre o troço do arruamento contíguo (Avenida 22 de Dezembro) e o passeio
    | Levantamento da calçada de passeio, e sua manutenção em reutilização no recalcetamento no espaço de passeio restante
    | Remoção de um pine, do local indicado na peça desenhada ARR. 3, que segue em anexo
    | Deslocalização do poste de iluminação pública para o local assinalado nas peças desenhadas.Como trabalho de execução é de referir
       | Execução de base para assentamento de lancis de passeio, lancis rebaixados para acesso ao estacionamento e deste para o passeio no lugar delimitado de estacionamento para pessoas de mobilidade condicionada, em pedra calcária, assente em fundação de betão simples de 250 [kg] de cimento/m3 de betão com 0,12 [m] de espessura.
    | Execução de estacionamento transversal em espinha, demarcado por lancis de pedra calcária com 0,10 [m] de espelho à exceção do lugar de estacionamento reservado a pessoas de mobilidade condicionada, no qual o espelho será de 0,02 [m] para a rampa de acesso ao passeio contíguo
    | Acabamento do passeio, em toda a área sujeita à presente intervenção, em calçada de vidraço do 0,06 [m] de aresta, e de acordo com os pormenores da peça desenhada.
    | Colocação de sinalização vertical e pintura, de sinalização horizontal, de acordo com o definido na peça desenhada.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da capacidade de estacionamento. Este novo espaço alivia a pressão de estacionamento e resolve o problema de estacionamento desordenado, não só para os moradores, mas também para quem frequenta o centro da cidade de Setúbal. (Esta intervenção segue-se à reabertura recente de outros equipamentos municipais como o Convento de Jesus e à requalificação urbana e mobilidade da Avenida dos Combatentes e da Avenida 22 de Dezembro).
  • Informações complementares
Bolsa de estacionamento transversal contígua ao Centro de Comercial São Julião | Planta de localização
Bolsa de estacionamento transversal contígua ao Centro de Comercial São Julião | Planta de localização
  • Início
    Julho de 2021
  • Conclusão
    Setembro de 2021
  • Investimento
    117.169,13 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente incluiu a execução de Infraestruturas Elétricas de Baixa Tensão e Iluminação Pública estabelecidas no Azeitão Bacalhôa Parque, no Jardim das Oliveiras, EN10, Azeitão, e veio no seguimento do estudo de paisagismo proposto para o local, executado em parceria pela Câmara Municipal de Setúbal e pela Junta de Freguesia. Na realização desta obra, procurou-se escolher equipamentos e obedecer a regras para instalação dos mesmos, que estejam em concordância com as normalizações do distribuidor público.Rede de baixa tensão
    A alimentação aos circuitos da rede proposta, será subterrânea com origem em Posto de Transformação existente PTD 554. Optou-se pela rede de distribuição do tipo subterrâneo, pelo facto da rede aérea não ser compatível, com a natureza e nível das instalações a implantar no lote. Foi instalado armário tipo passeio nas imediações do lote, com vista a alimentar o mesmo em baixa tensão.Rede de iluminação pública
    A alimentação aos circuitos da rede proposta é subterrânea com origem em Posto de Transformação existente PTD 554. Optou-se pela rede de distribuição do tipo subterrâneo, pelo facto da rede aérea não ser compatível, com a natureza e nível das instalações a implantar no lote. A solução a adotar passará essencialmente por iluminação com candeeiros tipo jardim, com a localização indicada em peça desenhada.Intervenção paisagística e de lazer
    Um skate parque, um court de street basket e um slide são alguns dos equipamentos que foram instalados no Azeitão Bacalhôa Parque II.
    São cerca de quatro hectares de zona verde que surgem na continuidade da fase I do Azeitão Bacalhôa Parque, inaugurada há dez anos, e que inclui também uma bacia de retenção de águas, destinada a reforçar as condições de segurança em caso de ocorrência de precipitação extrema.
    Percursos pedonais pavimentados e em terra compactada ondulantes, numa extensão com cerca de um quilómetro, zonas de estada, áreas ajardinadas com arbustos e árvores, incluindo oliveiras ancestrais, integram o cenário do ampliado parque azeitonense, ladeado a nascente pela Estrada Nacional 10. O equipamento possui ainda um parque de merendas com zonas de ensombramento, travessias a unir a malha urbana e duas pontes que ligam zonas que antigamente estavam separadas e agora fazem ligação ao parque. O parque, com mais de seiscentos metros de comprimento, está vedado com uma cerca em madeira, dispõe de parqueamentos para bicicletas, equipamentos geriátricos, mobiliário urbano e iluminação com tecnologia LED, energeticamente mais eficiente e com menores consumos de energia. Outro dos destaques desta obra executada numa parceria entre a Câmara Municipal de Setúbal e a Junta de Freguesia de Azeitão foi a criação de uma zona de estada em torno de um sobreiro centenário, o qual é circundado por um banco em madeira com oito metros de diâmetro e por um pavimento colorido decorativo.
  • Vantagens da intervenção
    Continuar a expansão das áreas verdes no concelho promovendo o acréscimo do espaço público pedonal e de zonas de lazer e de fruição da natureza, (a intervenção prolonga o parque verde existente com novo espaço dotado de valências lúdicas, recreativas e pedagógicas e bacias de retenção de cheias).
  • Informações complementares
  • Início
    Maio de 2020
  • Conclusão
    Abril de 2021
  • Investimento
    145 583,17 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Introdução
    A presente intervenção é referente ao arranjo paisagístico da rotunda do Largo Miguel Bombarda que se situa em frente ao Hospital de São Bernardo, no cruzamento das Avenidas D. João II e Bento Gonçalves com a Ruas da Tebaida e José de Groot Pombo. Trata-se da requalificação paisagística do miolo da rotunda, através da construção de uma fonte e bases para a montagem e colocação de um elemento escultórico e tratamento paisagístico envolvente. A nova rotunda, recebe novos equipamentos de iluminação pública energeticamente mais eficientes.Antecedentes
    Esta intervenção é complementar às obras recentemente realizadas no local. Refere-se, que numa operação liderada pela Câmara Municipal de Setúbal, deu-se continuidade à estratégia de regeneração do concelho que assenta na renovação de infraestruturas instaladas no subsolo e, em simultâneo, na criação de novas dinâmicas de usufruto urbano e na melhoria do trânsito rodoviário. A intervenção no Largo Miguel Bombarda executada através de empreitada reabilitou a rede de abastecimento de água, para construção de vários troços de condutas, numa extensão aproximada de 500 metros, na Avenida D. João II e na Rua da Tebaida. Depois da renovação das infraestruturas existentes no subterrâneo, os trabalhos prosseguiram na superfície, com a execução de um novo desenho urbanístico pautado por soluções de utilização urbana mais contemporâneas e que dão primazia ao usufruto público. As intervenções incluíram o reperfilamento do Largo Miguel Bombarda, localizado entre as avenidas Bento Gonçalves e D. João II, cujo pavimento foi renovado, assim como a beneficiação do espaço público, que recebeu novas zonas de estadia com áreas ajardinadas. Uma das principais alterações dinamizadas naquela intervenção assentou na execução de um nó giratório, medida que contemplou a remoção dos cruzamentos com semáforos e que apontou à otimização do esquema de circulação automóvel naquela zona, na qual está instalado o Hospital de São Bernardo. Esta solução permitiu melhorar a fluidez de trânsito e aumentar as condições de circulação pedonal nos vários eixos que confluem no Largo Miguel Bombarda, concretamente a Rua Camilo Castelo Branco, Av. D. João II, Rua da Tebaida e a Avenida Bento Gonçalves.
  • Vantagens da intervenção
    Continuidade da estratégia de regeneração do concelho que assenta na renovação de infraestruturas instaladas no subsolo e, em simultâneo, na criação de novas dinâmicas de usufruto urbano e na melhoria do trânsito rodoviário.
  • Informações complementares
  • Início
    Abril de 2021
  • Conclusão
    Maio de 2021
  • Investimento
    21 505,52 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A rede de abastecimento de água na Rua da Revolução apresentava problemas de envelhecimento precoce, tratando-se de uma rede em PEAD de primeira geração, instalada em 1986. A presente intervenção consistiu na reabilitação da rede de abastecimento de água, permitindo, também, a correta implantação da rede face aos passeios/lancis a construir. Foi realizada a substituição de todos os ramais de abastecimento de água (11), a passagem para o exterior dos contadores instalados no interior das propriedades, assim como, a remoção de portinholas, substituindo-as por válvulas de ramal. Substituiram-se as tampas das caixas de visita do coletor existente com o correto posicionamento face ao novo pavimento a aplicar no arruamento. A solução adotada tem por base legislação nacional em vigor e as normas nacionais e internacionais correntemente aceites, designadamente o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais (DR 23/95) e as Especificações Técnicas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, bem como outras normas e critérios em bibliografia afim. A obra executada consistiu na implantação de uma conduta de água, contemplando os seguintes trabalhos:
    Rede de Distribuição de Água

    • Implantação de conduta de distribuição de água em PEAD PE100 PN10, DN90, na Rua da Revolução, com uma extensão aproximada de 255m e instalação de todos os órgãos e acessórios inerentes ao bom funcionamento da rede.
    • Instalação de 11 ramais de abastecimento da água às moradias existentes, incluindo a construção das caixas para os contadores.
    • Instalação de dois marcos de incendio na área a intervir.

Rede de Saneamento

    • Substituição de  tampas, no coletor existente.
  • Vantagens da intervenção
    A reabilitação da Rede de Água na Rua da Revolução contribui para um melhor serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água.
  • Informações complementares
  • Início
    Abril de 2021
  • Conclusão
    Maio de 2021
  • Investimento
    22.024,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Intervenção referente às Infraestruturas Elétricas estabelecidas no Parque Urbano de Albarquel. As instalações foram projetadas tendo em atenção a sua utilização, respeitando todas as disposições regulamentares relativas a este “tipo de local”, designadamente quanto a tipos, traçados, número de circuitos, correntes admissíveis, proteções, etc. A intervenção foi executada de acordo com o definido no estudo realizado pelos serviços do DOM/DIPCEM que previu a ligação de Energia Elétrica à rede privativa, distribuição de energia e definição de traçados e materiais.
  • Vantagens da intervenção
    Reforçar a relação da cidade de Setúbal com o rio Sado através da valorização arquitetónica e paisagística da frente urbana, da integração de novos usos e atividades económicas e do acréscimo do espaço público pedonal e de zonas de lazer e de fruição do rio.
  • Informações complementares
  • Início
    2018
  • Conclusão
    Junho de 2021
  • Investimento
    1 400 000,00 €
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    O Forte da Albarquel, datado do séc. XVII, situado na praia de Albarquel, foi objeto de obras de requalificação (em fase de conclusão), com encargos repartidos entre a autarquia e The Helen Hamlyn Trust, no âmbito de um memorando de entendimento assinado em 2016. Além da recuperação do edifício histórico, o projeto de arquitetura inclui várias ações de beneficiação da área envolvente pela autarquia, nomeadamente: construção de instalações sanitárias de apoio; reabilitação de espaços verdes e estacionamento e reabilitação da muralha envolvente. Das obras complementares, com responsabilidade de execução da autarquia, está em curso a construção de um edifício anexo, que terá como função prestar apoio ao funcionamento da infraestrutura principal na realização de eventos e, também, em situações de funcionamento corrente, ficando implantado numa plataforma nivelada e superior do terreno mais próximo do portão de entrada. Estão ainda em desenvolvimento as intervenções relativas às obras de reabilitação de espaços verdes, estacionamento e da muralha envolvente.
  • Vantagens da intervenção
    Valorização de todo o conjunto edificado do imóvel denominado Forte da Albarquel, inserido no Parque Natural da Arrábida. A requalificação surge num plano delineado pelo município para o transformar num espaço cultural e educativo com valências museológicas e expositivas, componentes para diversas manifestações culturais e artísticas e funções de sala de visitas da cidade.
  • Informações complementares
Forte de Albarquel | Requalificação | Planta Geral
Planta geral | Clique para ampliar
  • Início
    Setembro de 2020
  • Conclusão
    Maio de 2021
  • Investimento
    116.126,67 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Renovação das redes de distribuição de água e drenagem de águas residuais domésticas e pluviais em zona histórica de Azeitão, nomeadamente, no Largo 5 de Outubro, Rua Nogueira e, parcialmente, na Rua António Porto Soares Franco. Encontra-se previsto para o Largo 5 de Outubro uma intervenção em termos de requalificação urbana, sendo necessário proceder nesta primeira fase á renovação das infraestruturas ao nível do subsolo, nomeadamente a rede de distribuição de água constituída por tubagens de fibrocimento com a vida útil ultrapassada e a construção de uma rede separativa para drenagem de águas residuais domésticas e pluviais, pois a existente não faz essa diferenciação no momento. Assim, em termos de rede de distribuição de água, a intervenção consiste: na instalação de novas condutas PEAD, PE100, DN110 e PN10, numa extensão de 308m e todos os trabalhos necessários; a reabilitação integral de 12 ramais de abastecimento de águas a edificações existentes, incluindo a construção de caixas para contadores e todos os trabalhos necessários; instalação de ventosas DN50 e descargas DN50 e instalação de dois marcos de incêndio. Na rede de drenagem doméstica vai proceder-se à implantação de coletores gravíticos em PP corrugado SN8, com cabeça integral, DN250, numa extensão de cerca de 264m, incluindo construção de câmaras de visita e todos os trabalhos e a execução de 12 ramais domiciliários nas construções existentes e futuras. Na rede de drenagem pluvial vai proceder-se à implantação de coletores gravíticos em PP corrugado SN8, com cabeça integral, DN315, numa extensão de cerca de 226m, incluindo a execução de câmaras de visita e cerca de 20 sumidouros.
  • Vantagens da intervenção
    A construção de uma nova rede de drenagem separativa, com  coletor doméstico e coletor fluvial de forma a termos os esgotos domésticos transportados a destino adequado, minimizando assim as descargas sem tratamento no meio ambiente.
  • Informações complementares
Reabilitação das redes de água e drenagem no Largo 5 de Outubro | Vila Nogueira de Azeitão | Planta de localização
Reabilitação das redes de água e drenagem no Largo 5 de Outubro | Vila Nogueira de Azeitão | Planta de localização
Reabilitação das redes de água e drenagem no Largo 5 de Outubro | Vila Nogueira de Azeitão | Planta de implantação de rede de drenagem
Reabilitação das redes de água e drenagem no Largo 5 de Outubro | Vila Nogueira de Azeitão | Planta de implantação de rede de drenagem
  • Início
    Abril de 2021
  • Conclusão
    Maio de 2021
  • Investimento
    24.241,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Intervenção de infraestruturas elétricas a estabelecer na Praia da Saúde. As instalações foram projetadas tendo em atenção a utilização, com todas as disposições regulamentares relativas a este “tipo de local”, designadamente quanto a tipos, traçados, número de circuitos, correntes admissíveis, proteções, etc. A intervenção é para ser executada de acordo com o definido no estudo executado pelos serviços do DOM/DIPCEM, que prevê a ligação de ernergia elétrica à rede privativa, distribuição de energia e definição de traçados e materiais.

  • Vantagens da intervenção
    Reforçar a relação da cidade de Setúbal com o rio Sado, através da valorização arquitetónica e paisagística da frente urbana, da integração de novos usos e atividades económicas e do acréscimo do espaço público pedonal e de zonas de lazer e de fruição do rio.
  • Início
    Junho de 2021
  • Conclusão
    Julho de 2021
  • Investimento
    42 169,50 €
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A intervenção desenvolve-se nos arruamentos: Estrada de Santas (EM 542-1) e EM 536-1 zona das curvas, que se situam na Freguesia de São Sebastião e Freguesia do Sado. Com a presente intervenção pretende-se o seguinte:
    – Promover a instalação de rede de drenagem pluvial de modo a permitir o escoamento das águas pluviais que afluem à zona do entroncamento, da Estrada de Santas com a EM 536-1, zona das Curvas, e na EM 536-1;
    – Melhorar as zonas de circulação pedonal e viária.
    As áreas sujeitas a intervenção pertencem às Estradas Municipais EM 542-1 e EM 536-1, que fazem parte da rede viária do Município de Setúbal, e dão acesso a moradores, transportes públicos e aos utilizadores dos parques industriais situados na envolvente da zona de intervenção.
    O objetivo é a execução de coletor pluvial e de trabalhos de pavimentação recorrendo à execução das seguintes atividades:
    – Demolição de pavimentos;
    – Execução de rede de drenagem pluvial;
    – Execução de trabalhos de pavimentação.
  • Vantagens da intervenção
    Promover a instalação de rede de drenagem pluvial de modo a permitir o escoamento das águas pluviais que afluem à zona do entroncamento da Estrada de Santas com a EM 536-1, zona das Curvas, e melhorar as zonas de circulação pedonal e viária.
  • Informações complementares
  • Início
    Abril de 2021
  • Conclusão
    Agosto de 2021
  • Investimento
    83.532,50 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A obra, que decorreu no âmbito de um concurso público lançado pela Câmara Municipal de Setúbal, foi iniciada em abril, depois de concluídos todos os procedimentos administrativos necessários para o arranque da intervenção, a qual se revestiu de particular importância para a melhoria das condições conforto, habitabilidade e segurança, neste caso da própria via pública.O prédio, localizado na Rua Álvaro Gomes, nas imediações do Mercado 2 de Abril, apresentava riscos sinalizados pelo Serviço Municipal de Proteção Civil e Bombeiros de Setúbal, nomeadamente fissuras que poderiam motivar a queda de inertes, colocando em riscos os transeuntes.A necessidade desta intervenção levou à opção por integrar na operação, um investimento superior a 100 mil euros, a execução de um alargado conjunto de trabalhos de conservação geral das partes comuns exteriores do edifício, os quais permitiram melhorar, as condições de eficiência energética e térmica, entre outras.Para a concretização da melhoria energética e conforto térmico do imóvel de quatro pisos, a Câmara Municipal de Setúbal procedeu à substituição integral da cobertura, instalou novas caixilharias e estores térmicos de alumínio e executou a renovação total das fachadas.APLICABILIDADE E CONDIÇÕES TÉCNICAS A intervenção consistiu:Nas fachadas

    • Na limpeza de superfícies a jato e água sob pressão incluindo reparação de fissuras com aplicação de argamassas do tipo da SECIL RPH, aditivado com resinas do tipo da NUETROGAR, no seu preenchimento.
    • Fornecimento e aplicação de primário de aderência do tipo NEUTROGAR e aplicação de duas de mãos de tinta texturada do tipo 20502 da DYRUP, com cor a escolher em obra.
    • Reboco e pintura.

    Impermeabilizações

    • Fornecimento e assentamento de telas betuminosas em duas de mão paralelas do tipo Polyplas 30 e Polyxis 40, incluindo arranque e remoção do existente e transporte de produtos sobrantes a vazadouro autorizado, a aplicar em caleiras do edifício, na caixa de escadas e nas chaminés.

    Tubo de queda pluvial

    • Substituição do sistema de drenagem pluvial, com novos Tubos de Queda Pluvial e aplicação de tubo de descarga avisador, em PVC diâmetro 110mm, incluindo pintura a tinta de esmalte de proteções mecânicas até 3,00m e todos os trabalhos acessórios e complementares

    Elementos metálicos

    • Tratamento dos estendais, incluindo decapagem e pintura a tinta de esmalte e substituição de roldanas danificadas nos suportes dos estendais metálicos.

    Em elementos metálicos de varandas

    • Fornecimento e aplicação de claraboia em alumínio e composto com vidro duplo de duas águas, incluindo todos os acessórios de montagem e de fixação bem como os eventuais remates necessários e inerentes aquando da sua montagem.

    Janelas

    • Fornecimento e montagem de janelas em caixilharia de alumínio lacado a branco de correr serie 45, incluindo aro do mesmo material, fechos, vidro, remoção da portada e aro em madeira ou caixilhos em alumínio, remates e todos os demais trabalhos complementares. Características mínimas: Vidro 4 + 5, caixa-de-ar 8 mm; Permeabilidade ao ar – Classe 4; Estanquidade à água – Classe 6 A; resistência à ação do vento – Classe B4; Durabilidade mecânica – Classe 2.
    • Fornecimento e colocação de estores de alumínio térmico, completos incluindo enroladores, fitas, guias e eixo com bobine de enrolamento, e todos os trabalhos e materiais para o seu bom funcionamento. Densidade mínima – 75 kg/m3, Resistência ao vento EN13659 : 2004 Classe 5, (caixa monobloco em PVC coeficiente térmica 1,7 W/m2K <, isolamento ao ruido aéreo Ra = 24,2 ~ 1,2 dba > 24, isolamento ao ruido acústico Rw (C; Ctr) = (-2;-4) db, permeabilidade ao ar classe 3, estanquicidade á água classe E 3000, vento P3 = 3,000Pa) todos os demais trabalhos complementares e remoção do pré-existente.

    Coberturas

    • Remoção da cobertura existente incluindo carga, transporte e descarga a vazadouro.

    Fornecimento e aplicação de estrutura de madeira de casquinha tratada em autoclave incluindo toda a estruturação da madeira a aplicar no local bem como todos os remates necessários e aplicação final de ripa de madeira para receber o acabamento final em telha cerâmica do tipo Lusa em cobertura do edifício bem como todos os trabalhos de cortes e remates e incluindo todos os acessórios tais como cumes, tamancos e demais acessórios necessários, inclui ainda a aplicação de isolamento térmico do tipo lã mineral de 8 cm a aplicar sobre a Laje.

  • Vantagens da intervenção
    Pretende-se proceder à conservação do edifício sito na Rua Álvaro Gomes nº 2 em Setúbal, ao nível da impermeabilização e pintura do edifício, da manutenção e reparação das coberturas e do conforto térmico.
  • Informações complementares
  • Início
    Fevereiro de 2021
  • Conclusão
    Setembro de 2021
  • Investimento
    139 131,11 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    O Ecoparque do Outão (Parque de Campismo Municipal) é um recinto localizado no Parque Natural da Arrábida. Este foi inaugurado em junho de 2016 e foi criado pela Câmara Municipal de Setúbal para funcionar como estação de serviço e parque de estacionamento para autocaravanas. Este é um recinto constituído por: uma zona de máquinas de venda automática, áreas de ecopontos e contentores para resíduos sólidos, assim como balneários, com duches e casas de banho. No âmbito da reabilitação geral do parque, surge a necessidade de reabilitar também os balneários existentes. Esta memória descritiva diz respeito à reabilitação do balneário designado por Balneário Sul.
    Os objetivos desta obra são:
    | Reabilitar o balneário referido, otimizando o funcionamento do mesmo e tornando-o esteticamente mais agradável e sugestivo para todas as pessoas que venham a usufruir das instalaçõesCondicionantes da área sujeita a intervenção:
    | Não bloquear os acessos
    | Ter toda a sinalização e barreiras necessárias para a segurança de todos os trabalhadores e utentes.
    | Como o edifício a ser intervencionado se encontra inserido num recinto que já está em funcionamento (Parque de Campismo do Outão), há que ter o cuidado de os trabalhos serem executados de forma a não perturbarem o normal funcionamento do mesmo.

Proposta/Soluções construtivas:
| Remoção de todos os sanitários existentes, azulejos, tijoleiras cerâmicas tipo “São Paulo” dos pavimentos, aduelas e portas de madeira existentes, alvenarias para adaptar ao projeto de execução aprovado, nomeadamente, abertura de novos vãos ou adaptabilidade das divisões, tijolos de vidro e grelhas metálicas de todos os vãos, levantamento das telhas de fibrocimento existentes em parte da laje de cobertura
| Implantação de fossa estanque com 4,0×2,5×2,0m, em Betão armado, fossa com 2,5×4,0x2,0 (m)
| Execução de pavimentos de acordo com as zonas identificadas
| Execução de alvenarias de acordo com o projeto apresentado
| Execução de rede e águas (quente e fria), fornecimento e montagem de torneiras
| Execução de rede de esgotos e fornecimento de respetivo material e sanitários
| Fornecimento e execução de instalação elétrica
| Fornecimento e montagem de detentores de incendio
| Fornecimento e montagem de sistema de chamada e alerta nas instalações sanitárias para pessoas com mobilidade reduzida;
| Revestimento de paredes na zona de duche
| Execução de tetos falsos
| Tratamento e respetiva pintura das paredes e tetos interiores e exteriores
| Fornecimento e aplicação de chapas de aço corten nas cabines de duche
| Fornecimento e colocação de caixilharias
| Fornecimento de sanitários, duches, tanques de lavagem de roupa, cubas de lava-loiça, separadores para urinol
| Fornecimento e colocação de painéis de sandwich e reparação da impermeabilização de determinadas zonas da cobertura com tela asfáltica
| Fornecimento e montagem de pérgulas
| Fornecimento e aplicação de túnel de luz para coberturas planas

  • Vantagens da intervenção
    Reabilitação do balneário referido anteriormente, otimizando o funcionamento do mesmo e tornando-o esteticamente mais agradável e sugestivo para todas as pessoas que venham a usufruir das instalações.
  • Informações complementares
Reabilitação do balneário sul do Ecoparque do Outão | Proposta de intervenção
Reabilitação do balneário sul do Ecoparque do Outão | Proposta de intervenção
Reabilitação do balneário sul do Ecoparque do Outão | Planta de localização
Reabilitação do balneário sul do Ecoparque do Outão | Planta de localização
  • Início
    Março de 2019
  • Conclusão
    Junho de 2021
  • Investimento
    26.246,63 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Trabalhos de reparação de colunas de abastecimento e drenagem de água, bem como das redes interiores dos fogos, em alguns edifícios do Bairro da Bela Vista, onde se têm verificado roturas. Os trabalhos a executar seguirão a seguinte sequência:
    | Abertura de roços e ou valas
    | Construção e reparação das novas colunas de abastecimento
    | Ensaios de estanquicidade, fecho e tapamento dos roços e valas
    | Reposição dos pavimentos e revestimentos, com acabamento idêntico ao existente, após a reparação das zonas intervencionadas
  • Vantagens da intervenção
    Garantir a manutenção e reabilitação dos fogos dos edifícios do parque habitacional municipal
  • Informações complementares
Redes de abastecimento e de drenagem de água predial | Planta de localização
Redes de abastecimento e de drenagem de água predial | Planta de localização
  • Início
    Fevereiro de 2021
  • Conclusão
    Outubro de 2021
  • Investimento
    239.715,46 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Construção de uma estrutura multifuncional na Praça de Bocage. O equipamento construído pela Câmara Municipal de Setúbal é composto por quatro coberturas de madeira revestidas a zinco que assentam em pilares metálicos.  A “Praça Rio”, designação da obra de arquitetura moderna cujas coberturas em madeira, dispostas em alturas que variam entre os 4,5 e os 9 metros de altura, são inspiradas na ondulação do Sado, ocupa uma área do espaço público com cerca de 400 metros quadrados. A estrutura foi pensada de forma a não interferir com a vertente estética e patrimonial da Praça de Bocage, com vários edifícios de elevado valor, pelo que a instalação a várias alturas permite não esconder as fachadas da malha urbana.
    O equipamento, alia a função de ensombramento e proteção durante todo o ano ao embelezamento e à atratividade urbana, como também apresenta um caráter multifuncional, possibilitando a realização de pequenos apontamentos culturais de música, dança ou teatro. O espaço dispõe também equipamento de iluminação cénica e um edifício de apoio, criado na zona central.
  • Vantagens da intervenção
    Valorização de todo o conjunto edificado localizado na Praça do Bocage, bem como do seu espaço exterior dando continuidade à linha estratégica do município de modernização e reforço da atratividade urbana do concelho.
  • Informações complementares
Espaço Rio
Espaço Rio
  • Início
    Maio de 2021
  • Conclusão
    Outubro de 2021
  • Investimento
    42 980,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A presente intervenção é referente à solução para redução de consumo de energia e melhoria de iluminação na Avenida Luísa Todi. Procura-se obedecer a regras para instalação de equipamentos que estejam em concordância com as normalizações do distribuidor público. A iluminação é responsável por uma parte significativa dos consumos energéticos nas cidades, onde as potências dos equipamentos existentes são elevadas e estando, a maioria delas, obsoleta. A eficiência/qualidade da iluminação é por isso um fator determinante tanto ao nível energético, como, também, e mais importante, na melhoria das condições de iluminação dos locais a intervencionar. No contexto atual, a reconversão para tecnologia LED reveste-se de especial relevância dado que não só permite essa mesma eficiência, como também que as cidades possibilitem aos seus munícipes e visitantes uma permanência e fruição no espaço em segurança. Assim, o objetivo da presente intervenção é a reconversão e reforço da iluminação pública na placa central da Avenida Luísa Todi em dois setores:
    – Setor 1 – Escola Hotelaria – Rotunda das Ninfas (inclusive)
    – Setor 2 – Rotunda das Ninfas – Rotunda da Âncora (inclusive)

  • Vantagens da intervenção
    Procurar obedecer a regras para instalação de equipamentos que estejam em concordância com as normalizações do distribuidor público. A iluminação é responsável por uma parte significativa dos consumos energéticos nas cidades, onde as potências dos equipamentos existentes são elevadas e estando, a maioria delas, obsoleta. A eficiência/qualidade da iluminação é por isso um fator determinante tanto ao nível energético, como também, e mais importante, na melhoria das condições de iluminação dos locais a intervencionar. No contexto atual, a reconversão para tecnologia LED reveste-se de especial relevância dado que não só permite essa mesma eficiência, mas também que as cidades possibilitem aos seus munícipes e visitantes uma permanência e fruição no espaço em segurança.
  • Informações complementares
Iluminação da placa central da Avenida Luísa Todi | Planta de localização
Iluminação da placa central da Avenida Luísa Todi | Planta de localização
  • Início
    Agosto de 2021
  • Conclusão
    Dezembro de 2021
  • Investimento
    68 296,11 €
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução do reperfilamento da zona de estacionamento/passeio e à definição do traçado da rede de drenagem pluvial, na Rua Batalha do Viso.
    Identificação e descrição da área sujeita a intervenção
    A área sujeita à intervenção do presente projeto refere-se a uma zona cujo estacionamento se efetuava de forma desordenada, devido à falta de delimitação das zonas de estacionamento/passeio e também pela ausência de marcação no pavimento dos lugares de estacionamento. Relativamente à rede de drenagem pluvial foi executafo um troço com cerca de 100 m de extensão. A execução desta rede teve o objetivo de eliminar a acumulação de água que se verificava aquando de precipitação, junto da paragem dos autocarros.
    Âmbito dos trabalhos realizados
    a) Rede viária.
    Zona de estacionamento e de passeio.
    | Delimitação da zona de estacionamento/passeio;
    | Implementação de um sistema de sinalização horizontal, visando a delimitação dos lugares de estacionamento;
    | Remarcação da passagem de peões existente com tinta termoplástica branca;
    | Instalação de lancil rebaixado de acesso e pavimento de lajeta tipo “Soplacas”, ref.ª 105 – Brita encarnada, conforme desenho de pormenor.A área existente atualmente para estacionamento/passeio é constituída por calçada em cubos de calcário (zonas alternadas de calçada miúda e grossa), sendo os lancis e os lancis guia também em calcário. Devido ao mau estado do pavimento existente, incluindo os lancis e lancis guia, o projeto prevê a retirada de todo o pavimento existente na área de intervenção (zona de estacionamento/passeio).
    b) Rede de drenagem pluvial
    Na definição e traçado do sistema público de drenagem de águas residuais pluviais, foram tidos em consideração os seguintes aspetos:
    | Projeto de desenho urbano, características do terreno e características das construções;
    | Indicação dos pontos de drenagem, declives propostos e constantes no mesmo;
    | Cumprimento da legislação em vigor para o tipo de sistema a dimensionar. Toda a rede de drenagem respeita o traçado base indicado nas peças desenhadas apresentadas em anexo, obedecendo às especificações genéricas seguidamente indicadas. Foram respeitadas as recomendações regulamentares e normalizadas quanto a detalhes de execução. A instalação da rede de drenagem obedeceu às recomendações regulamentares prescritas pelo LNEC, assim como a utilização de coletores, peças e elementos acessórios da rede de drenagem devidamente normalizados por esta mesma entidade. O dimensionamento da rede de drenagem de águas residuais pluviais, a sua instalação e execução em obra obedeceu às seguintes normas regulamentares:
    | Decreto-Lei n.º 207/94, de 6 de agosto;
    | Decreto Regulamentar n.º 23/95, de 23 de agosto – Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais;
    | Normas Portuguesas e Documentos Normativos, publicados pelo LNEC;
    | Boas normas, prescrições e regras de boa prática em vigor;
    | A presente memória descritiva, peças desenhadas em anexo assim como os desenhos e os pormenores fornecidos.
  • Vantagens da intervenção
    Garantir a mobilidade e o estacionamento automóvel em segurança, através da implementação de um sistema de sinalização horizontal, visando a delimitação dos lugares de estacionamento e prevenir o acumular de água que se verifica aquando de precipitação, garantindo o escoamento das águas da rede de drenagem pública pluvial, de forma gravitacional e com melhores condições de higiene.
  • Informações complementares
  • Início
    Maio de 2021
  • Conclusão
    Dezembro de 2021
  • Investimento
    32 323,66 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

Introdução/Generalidades
Execução de instalação e substituição de órgãos de drenagem de águas pluviais, na Av. Jaime Cortesão/Túnel do Quebedo. Devido ao ruído provocado pelas caleiras transversais ao arruamento, guarnecidas com grelhas metálicas, foram substituídas por sumidouros junto dos lancis, diminuindo, deste modo, a capacidade de drenagem das águas pluviais. Procedeu-se ao aumento da capacidade de recolha de águas pluviais em vários pontos da Av. Jaime Cortesão. Reposição de caleiras transversais ao arruamento, nos mesmos locais onde já existiram. Instalação destas caleiras transversais ao arruamento, com maior capacidade de recolha, que diminuem, de forma significativa, a afluência superficial das águas pluviais ao Túnel do Quebedo, reduzindo a probabilidade de ocorrência de inundações. No cruzamento da Av. Jaime Cortesão com a Av. Bento Gonçalves e Túnel do Quebedo e no Túnel do Quebedo com a Av. Manuel Maria Portela, as caleiras não foram substituídas. No entanto, devido ao ruído que provocam (grelhas metálicas), aquando da passagem dos veículos sobre elas, e ao estado de degradação que algumas apresentavam, foi necessário substituir.

Descrição dos trabalhos realizados
Instalação de caleiras ao longo da Av. Jaime Cortesão, nos locais onde se encontravam anteriormente, e substituição das caleiras existentes no cruzamento da Av. Jaime Cortesão com a Av. Bento Gonçalves e o Túnel do Quebedo e do Túnel do Quebedo com a Av. Manuel Maria Portela. Instalação de caleiras em canal compacto, para classe D400 (em betão polímero de alta resistência). É um sistema em que a grelha de betão e o corpo do canal/caleira são uma peça única. Por ser um conjunto único e solidário, elimina totalmente os ruídos pela passagem dos veículos. Pelas suas características, é também um sistema antivandalismo e resistente à corrosão. A obra prevê a instalação de caleiras com 200 mm de largura interior, 500 mm de altura e com comprimentos conforme os indicados nas peças desenhadas (138m de caleiras, no total). Instalação de módulos de manutenção para limpeza das caleiras. Retirada das caleiras existentes; instalação das caleiras previstas, com todos os trabalhos inerentes, e ligações à rede de drenagem pluvial existente. Gama tipo completa de acessórios do sistema tipo que se pretende aplicar.

Localização dos trabalhos realizados

    • Av. Jaime Cortesão. Cruzamento com a Rua João Vaz: A intervenção prevê a instalação de duas caleiras transversais ao arruamento. Os quatro sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Jaime Cortesão. Cruzamento com a Rua Augusto da Costa: Instalação de duas caleiras transversais ao arruamento. Os quatro sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Jaime Cortesão. Cruzamento com a Rua Moinho do Frade: Instalação de duas caleiras transversais ao arruamento. Os quatro sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Jaime Cortesão. Cruzamento com a Rua dos Comediantes. Instalação de uma caleira transversal ao arruamento. Os quatro sumidouros foram mantidos.
    • Av. Jaime Cortesão. Cruzamento com a Av. Bento Gonçalves/Túnel do Quebedo: Substituição das duas caleiras transversais. Os dois sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Bento Gonçalves: Substituição da caleira transversal ao arruamento. Os dois sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Bento Gonçalves: Substituição das duas caleiras transversais ao arruamento. Os dois sumidouros “Selecta” foram mantidos.
    • Av. Bento Gonçalves / Túnel do Quebedo: Substituição das duas caleiras transversais.
    • Túnel do Quebedo: Substituição da caleira transversal e a instalação de uma outra. O sumidouro foi mantido.
    • Túnel do Quebedo / Av. Manuel Maria Portela: A intervenção prevê a substituição das duas caleiras transversais.
  • Vantagens da intervenção
    Verificando-se a necessidade de se proceder ao aumento da capacidade de recolha de águas pluviais em vários pontos da Av. Jaime Cortesão, a instalação e substituição de órgãos de drenagem de águas pluviais para aumentar a capacidade de drenagem das águas pluviais no local.
  • Informações complementares
Drenagem pluvial na Avenida Jaime Cortesão e túnel do Quebedo | Planta de Localização
Drenagem pluvial na Avenida Jaime Cortesão e túnel do Quebedo | Planta de Localização
  • Início
    Setembro de 2021
  • Conclusão
    Fevereiro de 2022
  • Investimento
    122.167,80 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    1.   INTRODUÇÃO
    Requalificação viária em várias ruas nas freguesias de São Sebastião e União de Freguesias de Setúbal.

2.   IDENTIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO DA ÁREA SUJEITA A INTERVENÇÃO
As áreas intervencionadas na freguesia de S. Sebastião (Rua José Maria da Rosa Albino, Rua Dr. Evaristo de Sousa Gago e Rua 31 de Outubro) são um conjunto de arruamentos que se localizam numa zona habitacional constituída por moradias. Na envolvente existem vias secundárias, onde passam veículos constantemente (na sua maioria de moradores). As vias intervencionadas na União de Freguesias de Setúbal (Rua de Badajoz, Rua Fontes Pereira de Melo, Praceta das Amoreiras e Rua de Vanicelos) localizam-se no centro da cidade, numa zona constituída por edifícios habitacionais/comércio. O tráfego viário é bastante acentuado.

3.   ÂMBITO DOS TRABALHOS A REALIZAR
Objetivos:
·        Requalificar os arruamentos com a execução de repavimentação, melhorando as condições de segurança na circulação dos pedestres e dos veículos
·        Executar pavimento com pendente, para que exista um correto encaminhamento das águas superficiais.

4.   SOLUÇÃO PROPOSTA
4.1 TRABALHOS PREPARATÓRIOS
·        Limpeza e remoção de todos os materiais, detritos e raízes, incluindo transporte para depósito autorizado e todos os trabalhos necessários
·        Remoção de pavimentos betuminosos existentes incluindo carga, transporte e colocação em depósito autorizado
·        Execução de fresagem com espessura media de 5cm, incluindo transporte de produtos sobrantes a depósito autorizado
4.2. MOVIMENTO DE TERRAS
·        Escavação em terra semi-rija na abertura de caixa para a implantação de pavimentos com 30 cm de espessura, incluindo 25% de empolamento, carga e transporte de materiais sobrantes a depósito autorizado
4.3. PAVIMENTO
·        Execução de tapete betuminoso com 5 cm de espessura, incluindo rega de impregnação e todos os trabalhos necessários para o seu perfeito acabamento.
·        Fornecimento, espalhamento, compactação e rega de camada de massame hidráulico com brita de 0,04-0,06E com 15cm de espessura, incluindo regularização e compactação de caixa.
·        Fornecimento, espalhamento, compactação e rega de camada de “tout-venant” com 15cm de espessura, incluindo regularização e compactação da caixa
4.4. DIVERSOS
Nivelamento de tampas existentes.

  • Vantagens da intervenção
    Requalificação viária executada pela Câmara Municipal de Setúbal em várias ruas das freguesias de S. Sebastião e União de Freguesias de Setúbal.
  • Informações complementares
Intervenção em várias vias das freguesias de S. Sebastião e U.F. de Setúbal | Planta de localização
Intervenção em várias vias das freguesias de S. Sebastião e U.F. de Setúbal | Planta de localização
  • Início
    Fevereiro de 2022
  • Conclusão
    Fevereiro de 2022
  • Investimento
    64 962,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Demolição do pavimento existente e reposição do mesmo com abertura de caixa, regularização e compactação da caixa remanescente e execução de pavimento pedonal com betão desativado branco e seixo, será ainda feita superfície para acabamento antiderrapante. Trata-se de uma obra também sinalizada no âmbito da iniciativa “Ouvir a População”, na União das Freguesias de Setúbal.
  • Vantagens da intervenção
    A intervenção insere-se no conjunto de requalificações que a Câmara Municipal de Setúbal tem vindo a implementar com o objetivo de potenciar a mobilidade para todos, através da restruturação da rede pedonal e ciclável, criando melhores condições de fruição do espaço público.
  • Informações complementares
    Adjudicada à empresa Unikonstroi, Lda.
Requalificação do passeio e ciclovia da Praia da Saúde | Localização
Requalificação do passeio e ciclovia da Praia da Saúde | Localização
  • Início
    Janeiro de 2022
  • Conclusão
    Março de 2022
  • Investimento
    69.975,09 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

    INTRODUÇÃO
    A rede de distribuição de água na zona da Rua Nova da Jardia, construída em PEAD de primeira geração, instalado na década de 80, apresenta o seu tempo de vida útil ultrapassado, como se pode comprovar pelas muitas roturas que vêm ocorrendo nos últimos anos. A presente intervenção reabilitou as redes de água na Rua Nova da Jardia, no troço compreendido entre o n.º 131 e a Rua Cruz Tudo, e na Rua de Paris, no troço compreendido entre a Rua do Areal e a Rua Nova da Jardia. Contemplou-se ainda um pequeno troço na Rua dos Aventurosos, com 88.00 metros. Para tal, previu-se a construção de vários troços da rede de água, perfazendo o total de 550 metros, utilizando tubagem de PEAD com os DN90, 110 e 125, bem como a construção dos respetivos ramais domésticos. Incluiu todas as ligações bem como todos os órgãos de manobra de rede. A solução implmentada teve por base legislação nacional em vigor e as normas nacionais e internacionais correntemente aceites, designadamente o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais (DR 23/95) e as Especificações Técnicas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, bem como outras normas e critérios em bibliografia afim.

DESCRIÇÃO GERAL DA OBRA
A obra consistiu na reabilitação de condutas de rede de água contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:

| Implantação de troço de conduta em PEAD PE100 PN10 DN90 numa extensão aproximada de 88 m, com a execução órgãos de manobra, incluindo levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, com ligação à rede existente, em local definido em projeto.

| Implantação de troço de conduta em PEAD PE100 PN10 DN110 numa extensão aproximada de 204 m, com a execução órgãos de manobra, incluindo levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, com ligação à rede existente, em local definido em projeto.

| Implantação de troço de conduta em PEAD PE100 PN10 DN125 numa extensão aproximada de 258 m, com a execução órgãos de manobra, incluindo levantamento e reposição de pavimentos, movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem, com ligação à rede existente, em local definido em projeto.

| Execução de 29 ramais domiciliários em tubagem PEAD PE100 PN16 nas construções existentes, pertencentes á área a intervencionar, sendo as suas localizações e caraterísticas a definir em obra.

| Instalação de 1 Descarga, DN50.

| Reforço de meios de combate ao incêndio com a instalação de 3 marcos de incêndio.

  • Vantagens da intervenção
    A reabilitação da rede de água contribui para um melhor serviço à população e maior segurança no sistema de abastecimento de água.
  • Informações complementares
  • Início
    Novembro de 2020
  • Conclusão
    Abril de 2022
  • Investimento
    523.221,19 € (acresce IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Requalificação do troço central da Rua Camilo Castelo Branco e Rua Groot Pombo que incluiu: reforço e reabilitação funcional do pavimento; tratamento dos passeios e melhoria na circulação pedonal; melhoria das condições de sinalização e segurança de peões; e reformulação das infraestruturas de água e drenagem.
    As intervenções executadas e a seguir descritas,dividiram-se em duas partes:
      1. Requalificação do troço central da Rua Camilo Castelo Branco e Rua Groot Pombo – reforço e reabilitação funcional do pavimento; tratamento dos passeios e melhoria na circulação pedonal; melhoria das condições de sinalização e segurança de peões.
      2. Requalificação do troço central da Rua Camilo Castelo Branco e Rua Groot Pombo – reformulação das infraestruturas de água e drenagem.

1. “Requalificação das Ruas Groot Pombo e Camilo Castelo Branco (Troço Central)” – reforço e reabilitação funcional do pavimento; tratamento dos passeios e melhoria na circulação pedonal; melhoria das condições de sinalização e segurança de peões

Desenvolveu-se numa extensão total aproximada de 600,00 m. A obra reforçou e reabilitou o pavimento nas Ruas Groot Pombo e Camilo Castelo Branco atendendo ao mau estado em que o mesmo se encontra. Procedeu-se à alteração dos sentidos de trânsito na Rua Camilo Castelo Branco, a qual passa a ter sentido único sul-norte, e a Rua Groot Pombo, que passa a ter sentido norte-sul. Com esta alteração reduziu-se a largura das faixas de rodagem e conseguiu-se a colocação de estacionamento longitudinal ao longo dos dois arruamentos. A Rua Camilo Castelo Branco, apresenta um pavimento em betão betuminoso e em calçada grossa de granito, o qual já se encontrava bastante degradado em determinadas zonas. O pavimento existente continha irregularidades, o que originava a acumulação de água em determinados locais na época das chuvas, com inconvenientes para os transeuntes e para a própria capacidade de suporte do pavimento. Esta situação foi corrigida mediante a retirada do pavimento atual e remoção dos cubos de granito, com a aplicação de uma camada de desgaste em betão betuminoso assente sobre uma camada de argamassa betuminosa de regularização (binder) assentes sobre duas camadas de base e sub-base em material granular. Os cubos de granito removidos da faixa de rodagem serão reaproveitados na pavimentação dos lugares de estacionamento agora propostos neste projeto. Também na Rua Groot Pombo se verificava que o pavimento se encontrava em péssimo estado, procedendo-se à remoção e execução de novo pavimento (camada de desgaste), incluindo as camadas de fundação. Executaram-se passeios ao longo das ruas em causa e os recortes de estacionamentos ao longo das mesmas. Salienta-se o facto de na Rua Groot Pombo não existir passeio, obrigando os peões a circular em plena faixa de rodagem em total insegurança. Tratam-se de vias urbanas que dispõem de zonas com ocupação marginal habitação e comércio, pelo que, considerando as características do tráfego atual, se pretendeu que a obra de beneficiação a projetar tivesse por objetivo:

    1. Reforço e reabilitação funcional do pavimento;
    2. Tratamento dos passeios e melhoria na circulação pedonal;
    3. Melhoria das condições de sinalização e segurança de peões.

Assim, nesta intervenção executou-se um novo pavimento, dotando-o de uma estrutura que lhe permite responder às solicitações a que está sujeito no seu período de vida útil. No âmbito da melhoria das condições de circulação e segurança, é também proposta a construção/beneficiação de passeios, lancis e estacionamentos que se encontravam mais danificados e se efetuavam em cima dos passeios, a criação de medidas tendentes a limitar a velocidade de circulação nestas ruas (nomeadamente a execução de uma mini rotunda com um raio de 11.00m no cruzamento entre as duas ruas). O perfil transversal tipo projetado adotou faixas de rodagem de sentido único com larguras de 4,50m (Groot Pombo) e de 3,80m (Camilo Castelo Branco). Realizaram-se novos recortes de estacionamento longitudinal, com 2,20m de largura, e também estacionamento oblíquo nas duas ruas, os quais serão pavimentados em cubos de granito. A execução da mini-rotunda no cruzamento permite a moderação das velocidades praticadas nessa secção da rua e também permite que as viragens à esquerda se façam com mais segurança em relação ao que existia (inexistência de marcações horizontais). No âmbito desta intervenção procura-se melhorar a acessibilidade do peão através da supressão de diversas barreiras arquitetónicas que existem atualmente. Procurou-se adotar uma homogeneidade nos materiais dos passeios e dos lancis os quais também já se encontravam bastante degradados. Os passeios foram executados em calçada miúda de cubos de calcário assente sobre almofada de areia ou pó de pedra com traço de cimento 1:7, com 0.10m de espessura. As zonas de acesso aos lotes e os estacionamentos foram pavimentadas em calçada grossa de granito (reaproveitado) de aresta 0.11m assente sobre uma camada de areia ou pó de pedra com traço de cimento 1:7, com 0.10m de espessura e assentes sobre uma camada de fundação em Tout-Venant de 1.ª categoria com 0.20m de espessura. Os lancis (retos e curvos) adotados na ligação faixa de rodagem/passeio são em calcário com 0,15m de largura enquanto que na ligação faixa de rodagem / estacionamento se adotou um lancil em calcário com 0,12m. Em algumas zonas de passeios propõe-se a colocação de pilaretes (tipo “larus”) de modo a evitar o estacionamento abusivo de veículos automóveis em cima de passeios. Os pilaretes são espaçados de 2,00m. A execução da sinalização vertical e horizontal foi realizada de acordo com as Normas do E.P. e conforme indicado nas peças desenhadas. A largura dos traços a utilizar no eixo será de 0.12 m em tinta termoplástica branca aplicada a quente. Nos estacionamentos em granito deverão ser contemplados os traços separadores com 0,11m de largura em cubos de calcário. As passadeiras de nível foram executadas nos locais indicados na planta de sinalização em termoplástico de 2 componentes com incorporação de esferas de vidro garantindo uma espessura média de 2,5 mm. Os lancis deverão ser rebaixados na zona das passadeiras para um espelho de 0.02m e o rebaixamento no passeio será pavimentado em lajetas pitonadas de cor vermelha. Será utilizada em cruzamentos ou entroncamentos a Marca M9 associada ao sinal de cedência de prioridade pintado no pavimento. Esta marca tem 0,30m de largura e relação traço/espaço 0,40m/0,30m. Toda a sinalização vertical a implantar obedece ao Código da Estrada em vigor, sendo utilizados sinais de dimensão normal (70cm de lado ou diâmetro + orla exterior). Os sinais são em chapa de alumínio de 2mm/2,5mm de espessura reflectorizados com tela 3M. Estes foram fixados em postes de tubo galvanizado de diâmetro 2” com uma altura livre de 2,20 entre o solo e a parte inferior do sinal, permitindo a circulação de peões com toda a segurança. Os postes são encastrados num maciço de betão B20 com 0,50m de aresta a uma profundidade que permite um recobrimento, na base do prumo, de 0,10m. A colocação dos sinais na via pública foi feita de acordo com planta de sinalização.

2. Requalificação do Troço Central da Rua Camilo Castelo Branco e Rua Groot Pombo – infraestruturas de água e drenagem

Profunda reformulação na rede viária do troço central da Rua Camilo Castelo Branco, mais precisamente entre o Largo Manuel Bombarda e a Avenida Jaime Cortesão. A zona intervencionada é um arruamento importante em termos de implantação de condutas da rede de abastecimento de água, com a existência de tubagens de grande diâmetro e fulcrais ao abastecimento de água à baixa de Setúbal. Carateriza-se, no entanto a rede como muito antiga, com o tempo de vida útil ultrapassado, um elevado número de intervenções para reparação de roturas nas tubagens que a constituem, por colapsos estruturais graves. Na rede de drenagem de águas residuais a zona caracteriza-se pela sua antiguidade, com um sistema do tipo unitário, sem adequado tratamento dos efluentes, que urge separar e renovar, existindo também colapsos das tubagens que constituem a rede de coletores. A solução apresentada para o projeto teve por base a legislação nacional em vigor, as normas nacionais e internacionais correntemente aceites, designadamente o Regulamento Geral dos Sistemas Públicos e Prediais de Distribuição de Água e de Drenagem de Águas Residuais (DR 23/95 de 23 de agosto) e as Especificações Técnicas do Laboratório Nacional de Engenharia Civil, bem como outras normas e critérios em bibliografia sobre a matéria. A obra a executar consiste na reabilitação das redes de água, de drenagem doméstica e pluvial, contemplando fundamentalmente os seguintes trabalhos:

Rede de Distribuição de Água

    • Execução de rede de água em PEAD PE100 PN10 DN315, 160 e 110, com uma extensão aproximada de 1 366 metros, incluindo ligações.
    • Execução dos ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes á área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra.

Coletor Doméstico

    • Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado SN8, com cabeça integral, DN315 e 200, numa extensão aproximada de 559 metros com a execução de câmaras de visita, incluindo movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem.
    • Execução dos ramais domiciliários nas construções existentes, pertencentes á área a intervencionar, sendo as suas localizações a definir em obra.

Coletor Pluvial

    • Implantação de coletores gravíticos em PP Corrugado SN8, com cabeça integral, DN500, 400 e 315 numa extensão de 299 metros com a execução de câmaras de visita, incluindo movimento de terras e fornecimento e assentamento de tubagem.
    • Execução de sumidouros tipo Selecta C250, na área a intervencionar, sendo as suas localizações precisa a definir em obra.
  • Vantagens da intervenção
    Reforço e reabilitação funcional do pavimento; tratamento dos passeios e melhoria na circulação pedonal; melhoria das condições de sinalização e segurança de peões; e reformulação das infraestruturas de água e drenagem.
  • Informações complementares
  • Início
    Setembro de 2021
  • Conclusão
    Abril de 2022
  • Investimento
    102 235,35 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

1. INTRODUÇÃO
Execução de construção de três talhões de sepulturas perpétuas e um bloco de ossários no Cemitério de Nossa Senhora da Piedade, na Freguesia de S. Sebastião. A área de intervenção localiza-se na zona sul do cemitério, na plataforma mais elevada, junto da muralha seiscentista. A proposta tem o objetivo de dar resposta às necessidades de inumações, à procura para aquisição de campas ossárias e ossários por famílias de Setúbal e à ocupação e requalificação deste espaço “abandonado”.

2. CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA DE INTERVENÇÃO
A zona de intervenção tem uma superfície de 3265,43 m2, sendo há muitos anos utilizada, em parte, como área de inumação em sepulturas perpétuas (no talhão 22 e talhão de consumpção aeróbia) e ossários. O acesso à zona de intervenção faz-se através de uma escada e elevador, estando garantida a acessibilidade pedonal. A área a intervir encontra-se maioritariamente em terra batida, sendo quase plana.

3. DESCRIÇÃO DO PROJETO
A proposta de ocupação resulta da necessidade de novos espaços de sepulturas perpétuas e ossários, uma vez que está esgotada a capacidade atual. A obra consiste na criação de três talhões e um elemento de ossários numa área prevista para o efeito, desde a construção do cemitério, já infraestruturada. A proposta tem como ponto organizador a praça de cerimonial, onde decorre a última homenagem ao defunto, ladeada por ciprestes, para dar alguma privacidade à cerimónia. As sepulturas perpétuas estão organizadas em três talhões, com um total de 276 sepulturas (dois a poente da praça de cerimonial e um a nascente), organizadas de forma ortogonal, com caminhos laterais. As sepulturas serão idênticas às existentes, revestidas com materiais nobres, não se permitindo o revestimento com argamassa de cal ou azulejos, devendo as respetivas obras ser convenientemente executadas e estarem de acordo com o “Regulamento dos Cemitérios do Município de Setúbal”. O acesso é feito através da escadaria e do elevador existentes, que asseguram a ligação entre a parte inferior do cemitério e a parte alta onde se fará a intervenção e onde já existe um talhão de sepulturas perpétuas e blocos de ossários. Entre os ossários existentes e a muralha prevê-se a construção de um corpo de ossários, uma zona de circulação e o tratamento paisagístico junto à muralha seiscentista. Prevêem-se, também, zonas de meditação e descanso arborizadas junto dos talhões propostos. Futuramente, a muralha deverá ser alvo de restauro e valorização.4. DRENAGEM
Atendendo às características topográficas e face à inexistência de sistema público de drenagem de águas residuais pluviais na área de intervenção, optou-se por pavimentos maioritariamente permeáveis, nomeadamente caminhos em betão poroso e espaços entre sepulturas em saibro, com vista a retardar o escoamento e a promover a infiltração das águas pluviais. A área impermeável prevista é apenas a correspondente às sepulturas, ossários e praça cerimonial. No âmbito do projeto de drenagem pluvial a elaborar deverá promover-se também a infiltração no terreno das águas pluviais através de trincheiras de infiltração.

  • Vantagens da intervenção
    Requalificação da rede de equipamentos municipais, beneficiando a organização e a gestão dos cemitérios do Município de Setúbal como espaços representativos de uma cultura que enaltece a importância da vida através do adornamento das sepulturas e jazigos, reunindo condições que permitam o culto dos mortos de forma digna e equalitária.
  • Informações complementares
  • Início
    Setembro de 2021
  • Conclusão
    Fevereiro de 2022
  • Investimento
    63.909,56 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção1. INTRODUÇÃO
    A presente intervenção diz respeito à terceira fase da infraestruturação da Rua das Mimosas, na Jardia, localizada em Brejos de Azeitão, e visa:
    – Dotar de condições dignas de circulação pedonal e viária
    – Executar infraestruturas de drenagem pluvial
    – Promover a instalação de sinalização viária (horizontal e vertical)

2. IDENTIFICAÇÃO E DESCRIÇÃO DA ÁREA SUJEITA A INTERVENÇÃO
A intervenção teve início com a implementação dos troços do sistema público de drenagem de águas pluviais, seguindo-se a colocação dos lancis, visando a definição dos traçados dos passeios, arruamentos e estacionamentos.

3. ÂMBITO DOS TRABALHOS A REALIZAR
3.1 TRAÇADO VIÁRIO
Trata-se de uma área com características habitacionais, essencialmente de moradias unifamiliares, onde as vias de circulação automóvel servem basicamente para a circulação automóvel dos moradores, ou seja, a circulação automóvel será reduzida, dispondo, no entanto, de zonas com ocupação marginal de veículos. Considerando estas características do tráfego automóvel, a presente intervenção tem como principais objetivos:
– Implementação de um sistema funcional de circulação viária e de pavimentação adequada da rede viária
– Implementação de passeios para melhoria da segurança da circulação pedonal
– Implementação de um sistema eficaz de drenagem de águas residuais pluviais
– Implementação de um sistema de sinalização viária, horizontal e vertical, visando a segurança da circulação automóvel e de usufruto dos peões

3.1.1 PERFIL TRANSVERSAL TIPO
De forma a garantir a circulação automóvel com as mínimas condições de segurança, o perfil transversal tipo tem uma faixa de rodagem constante de 2×2,75m = 5,50m na via com dois sentidos, ficando a largura do passeio dependente do restante espaço disponível, razão pela qual a largura dos mesmos é variável, existindo casos em que nalgumas zonas é praticamente inexistente. São propostos novos recortes nos lancis de passeio nas zonas de estacionamento longitudinal, nas zonas de acesso ao interior dos lotes e nas transições para as passadeiras.

3.1.2 ARRUAMENTOS
A execução dos arruamentos obedece ao cumprimento de uma sequência de fases que permitem a execução dos diferentes tipos de pavimentos – viário, pedonal e de lazer – , de acordo com o especificado nas peças desenhadas do projeto. Foram executados com duas camadas de base e sub-base em tout-venant, com 0,15m cada, e duas camadas de tapete betuminoso com a espessura de 0,05m de camada de desgaste e com cerca de 0,05m de espessura da camada base.
a) PASSEIOS: executados em blocos de betão retangulares de encaixe.
b) BORDADURA DAS FAIXAS DE RODAGEM E PASSEIOS: o lancil de betão está assente em fundação de betão simples de 250Kg de cimento/m3 de betão com 0,12m de espessura. Na bordadura da faixa de rodagem/passeios, o espelho é de 0,12m, tendo a transição da faixa de rodagem/ estacionamento no interior dos lotes um espelho de 0,02m.

3.1.3 SINALIZAÇÃO VERTICAL
Implementação de sinalização vertical de acordo com as normas do I.E.P. e conforme o indicado nas peças desenhadas do projeto. Toda a sinalização vertical obedece ao Código da Estrada em vigor.

3.1.4 DRENAGEM DE ÁGUAS PLUVIAIS
Na definição e traçado sistema público de drenagem de águas residuais pluviais foram considerados os seguintes aspetos:
– Projeto de desenho urbano, características do terreno e características das construções
– Indicação dos pontos de drenagem, declives propostos e constantes no mesmo
– Cumprimento da legislação em vigor para o tipo de sistema a dimensionar
A rede de drenagem pública pluvial, bem como os sistemas auxiliares de drenagem, foram concebidos de forma a garantir o escoamento de forma gravitacional e nas melhores condições de higiene. Todas as águas pluviais, antes de serem colocadas no sistema de recolha e drenagem, foram “filtradas” através das grelhas dos sumidouros de pavimento colocados em pontos específicos do traçado, que se encontram devidamente identificados nas peças desenhadas do projeto. Os coletores de recolha e transporte de águas residuais pluviais são em tubos corrugados de polipropileno, com bocarda integral para aplicações em saneamento, enterrado, sem pressão. São tubos estruturados de dupla parede, flexíveis e fabricados de acordo com a Norma Europeia UNE-EN 13476 e Regulamento Particular da AENOR RP 01.45. O interior dos tubos é liso o que origina menor resistência ao assoreamento e à abrasão, sendo de cor branca para facilitar o visionamento com as câmaras de TV durante a inspeção.

  • Vantagens da intervenção
    Esta intervenção permite a melhoria das condições de segurança rodoviária, de acessibilidade e de circulação viária e drenagem de águas pluviais.
  • Informações complementares
  • Início
    Novembro de 2021
  • Conclusão
    Abril de 2022
  • Investimento
    23.978,80 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

INTRODUÇÃO
Dada a idade das Piscinas Municipais da Manteigadas foram necessárias obras de reabilitação exteriores e da piscina olímpica. Esta intervenção melhorou as condições de utilização destas infraestruturas.

ZONAS A INTERVIR
De acordo com as diferentes situações identificadas, consideraram-se as seguintes zonas de intervenção:
– Pavimentos exteriores
– Lava-pés
– Piscina olímpica

TRABALHOS A EXECUTAR
– Lava-pés
Recondicionamento dos lava-pés, com betumagem generalizada utilizando massa para juntas de cor branca e substituição de mosaicos partidos iguais aos existentes, incluindo todos os trabalhos necessários
– Pavimentos Exteriores
Reparação de pavimentos com abatimento, incluindo o levantamento das lajetas, reposição e nivelamento da camada de fundação com aplicação de 10cm de cascalho e 5cm de massame de betão, reposição das lajetas com reaproveitamento das existentes ou se necessária substituição por novas do mesmo tipo e dimensões, incluindo todos os trabalhos necessários, nas zonas identificadas nas peças desenhadas. Incluiu a reparação/substituição de duas lajetas do rebordo da piscina das crianças
– Piscina Olímpica
Substituição da junta de dilatação central da piscina olímpica, com aplicação de materiais do tipo Sikasil-Pool, incluindo remoção da junta existente e todos os trabalhos necessários.

  • Vantagens da intervenção
    Modernização das instalações desportivas municipais, reparando as anomalias identificadas e informadas pelo serviço gestor do equipamento e melhorando a qualidade para usufruto da população.
  • Informações complementares
Reparações nas Piscinas da Manteigadas | Planta geral
Reparações nas Piscinas da Manteigadas | Planta geral
Reparações nas Piscinas da Manteigadas | Planta localização
Reparações nas Piscinas da Manteigadas | Planta localização
  • Início
    Janeiro de 2022
  • Conclusão
    Maio de 2022
  • Investimento
    149.915,12 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção

INTRODUÇÃO
Alargamento e requalificação da pavimentação, sinalização horizontal e vertical, drenagem de águas residuais pluviais e arranjos exteriores.
A extensão da Rua dos Arcos, objeto da intervenção em apreço de aproximadamente 100 metros lineares, é uma via de apenas um sentido da rotunda da EN 10 para sul na Rua dos Arcos, em direção à Av. 22 de Dezembro. A nível rodoviário, esta via serve vários lotes de moradias e principalmente um edifício plurifamiliar e de serviços com R/C+9 pisos acima da cota de soleira. Como tal e, sendo esta via também destinada ao trânsito local, esta infraestrutura apresentava uma grave deficiência de servidão, sendo essencial garantir a melhor e mais segura circulação.
O alargamento desta via pretende, além de dotar a via de condições para que o tráfego de entrada e saída do Centro da Cidade tenha mais uma alternativa, permite melhorar a acessibilidade ao parque urbano/bacia da Ribeira da Figueira, no que diz respeito às acessibilidades das várias valências do espaço, e dotar de um acesso para manutenção/intervenção de emergência mais desafogado e permitir um acesso franco das viaturas de emergências ao parque, mas também ao prédio contíguo de grande densidade populacional.
Considerando a localização próxima do Aqueduto dos Arcos, classificado como Imóvel de Interesse Público, o projeto foi alvo de consulta à DGPC – Direção-Geral do Património Cultural.

OBJETIVOS
| Garantir a ligação à rotunda da Av. ª da Europa e no acesso à EN10 pela Rua dos Arcos, tornando este troço de dois sentidos;
| Repavimentar a camada de desgaste do alinhamento que irá ser mantido, garantido a continuidade do novo alinhamento de dois sentidos;
| Garantir condições dignas de circulação pedonal e rodoviária;
| Assegurar a drenagem pluvial da zona.

ÂMBITO DOS TRABALHOS A REALIZAR

Solução adotada
Na solução adotada, o troço de arruamento da Rua dos Arcos que liga à rotunda da EN10 foi alterado ao nível do alinhamento horizontal de modo a acomodar uma largura de via que permite a circulação em ambos os sentidos, bem como garantir as vias pedonais essenciais a esse tipo de tráfego. No troço coincidente com o existente efetuou-se a requalificação do pavimento e dos passeios, bem como da sinalização horizontal e vertical.  Parte deste troço será em via sobrelevada como medida de acalmia de tráfego dada a complexidade do alinhamento horizontal da via.

Pavimentos
O pavimento das áreas rodoviária é em betão betuminoso, tanto na zona do novo troço (com a construção completa da via, através de sub-base e base e camadas superiores flexíveis), como na zona onde foi feita a requalificação através da fresagem e recarga da camada de desgaste. As zonas de estacionamento também são igualmente em betão betuminoso. Nos acessos e serventias foi preconizado o pavimento em calçada de vidraço grosso, assente sobre almofada de pó de pedra. O passeio de circulação pedonal é em calçada de vidraço miúdo, assente em almofada de pó de pedra e nas zonas de passadeiras foi utilizado pavê tipo direcional e pitonado.

Lancis
Os lancis de separação entre a faixa de rodagem e passeio são em calcário, com 15 cm de largura, sobre fundação em betão.  Na separação entre o estacionamento e a faixa de rodagem aplicou-se lancil de calcário com 12 cm de largura, sobre fundação em betão. Os lancis entre a zona de passeio e o aterro serão de calcário com 8 cm de largura, sobre fundação em betão. No ilhéu, colocou-se lancil galgável em calcário com 0.30m de largura, assente sobre fundação de betão.

Drenagem
Atendendo à solução de pavimentos adotada, em tudo muito semelhantes aos existentes, previu-se as mesmas condições do escorrimento superficial. Assim, o sistema de drenagem integra órgãos de recolha (sumidouros), que descarregam as águas pluviais na rede de águas residuais pluviais existentes na Rua dos Arcos. Teve-se em atenção a implementação da plataforma sobrelevada e as condicionantes que isso traz no escorrimento superficial, sendo assim, colocados os órgãos de recolha em sítios estratégicos.

Equipamento e mobiliário urbano
Colocação de pilaretes metálicos de forma a evitar o estacionamento desordenado.

Iluminação Pública
No que diz respeito à iluminação pública, constatou-se no local que existe uma rede de iluminação pública do lado nascente deste troço a qual terá de ser removida e dará lugar à construção de uma nova rede. Estas atividades, incluindo o seu projeto específico, não foram abrangidas no âmbito desta empreitada, apenas serão deixados os negativos. Os trabalhos de melhoria de IP foram da responsabilidade da CMS e EDP.

  • Vantagens da intervenção
    Melhoria das condições de segurança rodoviária, acessibilidade, circulação viária e pedonal. O alargamento desta via pretende, além de dotar a via de condições para que o tráfego de entrada e saída do centro da cidade tenha mais uma alternativa, permite, também, melhorar a acessibilidade ao parque urbano/bacia da Ribeira da Figueira.
  • Informações complementares
    Adjudicada à empresa Enovias, Lda.
Alargamento da via entre a Ribeira da Figueira e a Quinta da Pontinha | Planta de Localização
Alargamento da via entre a Ribeira da Figueira e a Quinta da Pontinha | Planta de Localização
Alargamento da via entre a Ribeira da Figueira e a Quinta da Pontinha | Planta de Intevenção
Alargamento da via entre a Ribeira da Figueira e a Quinta da Pontinha | Planta de Intevenção
  • Dados genéricos
    Obras executadas nos anos de 2017, 2018 e 2019
  • Valor total das empreitadas
    6 173 752,28 (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A Câmara Municipal de Setúbal, através do Departamento de Obras Municipais, desenvolveu um conjunto alargado de obras e intervenções destinadas a garantir a conservação, construção e reabilitação das edificações e infraestruturas municipais, assim como das vias de comunicação e dos espaços exteriores.

Nesta sequência, durante o período em referência, foram concluídas as seguintes obras:

    • Prolongamento da Rede de Distribuição de Água na Rua da Estação – Monte dos Patos, Freguesia da Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra
    • Conservação dos edifícios do Bairro da Bela Vista – Lotes 3 e 13, Freguesia de S. Sebastião
    • Implantação de cinco elementos escultóricos Totem (nas entradas da cidade de Setúbal)
    • Requalificação da Rede Viária – Travessa dos Camponeses – Rua da Sociedade Musical Brejos de Azeitão, Freguesia de Azeitão
    • Infraestruturação de Arruamentos na Jardia – Brejos de Azeitão – (Rua do Bem Estar), Freguesia de Azeitão
    • Reparação Urbana no Loteamento Casal de Bolinhos – Brejos de Azeitão, Freguesia de Azeitão
    • Reperfilamento, repavimentação e arranjo interior da rotunda da Praça Olga Morais Sarmento, Freguesia de S. Sebastião
    • Reperfilamento da Av. Mariano de Carvalho e Rua Joaquim Brandão, União das Freguesias de Setúbal
    • Trabalhos de conservação no Pavilhão Municipal João Santos – Bairro do Viso, União das Freguesias de Setúbal
    • Requalificação dos Balneários masculinos da DAAE – Divisão de Higiene Urbana (DIHU), Freguesia de S. Sebastião
    • Reperfilamento da Estrada dos Ciprestes – 1ª Fase (passeio poente), União das Freguesias de Setúbal
    • Recuperação da caixa de escadas do edifício E2A – Av. Da Bela Vista nº 14 – Bairro da Bela Vista), Freguesia de S. Sebastião
    • Requalificação das Rua Moinho do Frade e Rua Campos Rodrigues, Freguesia de S. Sebastião
    • Remodelação da Rede de Água e Reperfilamento da rotunda do Hospital (rotunda do Largo Miguel Bombarda), Freguesia de S. Sebastião
    • Pavimentação pedonal do troço – Rua Família Bronze desde a Rotunda da EN10 até à Rua Vale de Choupos e Rua Rainha Dona Amélia, Freguesia de Azeitão
    • Reparação e pintura dos muros no Outeiro da Saúde, União das Freguesias de Setúbal
    • Implementação de sinalização vertical no loteamento da Quinta da Amizade, Freguesia da Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra
    • Execução do Passeio da Várzea, União das Freguesias de Setúbal
    • Arranjo paisagístico da Rotunda Manuel Gamito e Execução de Parque de Estacionamento junto à Escola Santa Maria da Graça, União das Freguesias de Setúbal
    • Requalificação e reparação de anomalias nos espaços exteriores da Praceta São Julião, União das Freguesias de Setúbal
    • Obras de recuperação de fogos na Av. da Bela Vista, Rua do Cercal, Rua João Augusto Rosa, Rua dos Sobreiros e Alameda das Palmeiras, Freguesia de S. Sebastião
    • Remodelação viária e dos espaços exteriores da Rua de Brancanes, União das Freguesias de Setúbal
    • Sinalização Horizontal e Manutenção de Diversos Arruamentos em Setúbal e Azeitão
    • Reconstrução de um muro na Rua Roberto Ivens – Monte Belo, Freguesia de S. Sebastião
    • Colocação de nova cobertura com desempenho Térmico – Bairro Afonso Costa – Lotes 119 e 120, Freguesia de S. Sebastião
    • Execução de lancil e plantação de árvores na zona de Vale do Cobro, Freguesia de S. Sebastião
    • Colocação de nova cobertura com desempenho térmico – Av. Francisco Fernandes n.ºs 5 e 7, e Rua do Antigo Olival n.º 7, Freguesia de S. Sebastião
    • Repavimentação em diversos arruamentos da Freguesia de Azeitão (Rua Juventude Azeitonense, Rua Casal de Bolinhos, Rua do Bairro, Rua da Sociedade Filarmónica Perpétua Azeitonense)
    • Execução de Infraestruturas da Rede de Abastecimento e Drenagem de Águas Residuais, E Requalificação de espaço exterior – Rua I – Bairro Santos Nicolau e acessos, Freguesia de S. Sebastião
    • Repavimentação em Setúbal – Rua Estrada das Machadas, União das Freguesias de Setúbal
    • Repavimentação da Rua da Escola Técnica, União das Freguesias de Setúbal
    • Obras de pintura geral das fachadas dos edifícios A2, A3, A4, A5, A6, A7, A8, A9, B1, B2, B3 e B4 – Bairro da Alameda das Palmeiras, Freguesia de S. Sebastião
    • Remodelação da rotunda do Alegro – Estrutura de suporte de uma escultura, Freguesia de S. Sebastião
    • Pavimentação do loteamento da Quinta da Amizade – 1.ª Fase, Freguesia da Gâmbia, Pontes e Alto da Guerra
    • Pinturas interiores no Museu Michel Giacometti, e ampliação do edifício em estrutura metálica/ mazanino, sito no Largo Defensores da República, Freguesia de S. Sebastião de um terreno expectante entre as Rua Mário Sacramento e Rua Padre José Maria Nunes da Silva – 2ª Fase, Freguesia de S. Sebastião
    • Remodelação do bosquete entre a Rua Eng.º Henri Perron, Rua Francisco Sá Carneiro e a Praceta Dr. Joaquim Ferreira de Sousa, União das Freguesias de Setúbal
    • Nova Rede de Abastecimento de Água ao n.º 1 da Rua Ema Grill, Freguesia de S. Sebastião
    • Museu Sebastião da Gama/ Polo Biblioteca Municipal, Freguesia de Azeitão
    • Construção do reforço do muro de suporte de terras da Escola Básica EB n.º 12 das Amoreiras, União das Freguesias de Setúbal
    • Pavimentação da Rua Projetada à Rua da Escola Técnica, União das Freguesias de Setúbal
    • Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais Domésticas à Quinta do Picão e envolventes – 2 ª fase (Azeitão), Freguesia de Azeitão
    • Correção da Drenagem no Bairro dos Pinheirinhos e Estrada da Graça, Freguesia de S. Sebastião
    • Reabilitação da Rede de Abastecimento do Sistema Carrascal/Creiro – 3.ª fase, União de Freguesias de Setúbal e Freguesia de Azeitão
    • Requalificação do Traçado Viário/Pedonal e Definição do Estacionamento da Rua de S. Gonçalo – Brejos de Azeitão, Freguesia de Azeitão
    • Requalificação dos Espaços Exteriores da Urbanização da Brejoeira (zona poente 3.ª fase), Freguesia de Azeitão
    • Reparação/ Recuperação de rebocos e betão armado das fachadas, e de caixas de escadas do edifício E2A – Rua Moinho n.º 9 – Bairro da Bela Vista, Freguesia de S. Sebastião
    • Bairro Santos Nicolau – Execução de Pavimentação, Redes Pluviais, Redes de Águas, e Redes de Esgotos Domésticos da interseção das Ruas Francisco Biscaia e Rua Gomes Cardim/Monarquina, Freguesia de S. Sebastião
    • Conservação de Pavimentos/ arruamentos no Concelho
    • Requalificação do Traçado Viário/ Pedonal e Requalificação dos Sistemas de Abastecimento de Água e Drenagem de Águas Residuais Domésticas e Pluviais – Proc. Loteamento n.º 4,9,884/96 Quinta da Cerca – acionamento de garantia, Freguesia de Azeitão
    • Conservação das fachadas dos edifícios 6 e 8 da Rua das Amendoeiras, 8, 10 e 12 da Rua das Piteiras e impermeabilização das coberturas dos edifícios 6 e 8 da Rua das Amendoeiras – Bairro Quinta de Santo António, Freguesia de S. Sebastião
    • Definição do Traçado da Rede Viária e Infraestruturas de Drenagem Pluvial na Rua Cabo das Tormentas – Jardia, Freguesia de Azeitão
    • Obra de Conservação e Limpeza de Linha de Água na Rua da Matosa – Freguesia de Azeitão
    • Requalificação da envolvente da zona do Moinho do Frade – 2.ª fase – Rua Dona Gertrudes Ligeiro, Freguesia de S. Sebastião
    • Requalificação Pedonal na Rua Florex, Freguesia de Azeitão
    • Reabilitação e valorização do Portinho da Arrábida/Creiro – Execução da Ponte Cais, Freguesia de Azeitão e valorização da Praia da Figueirinha – 1.ª fase; União das Freguesias de Setúbal urbana na Rua Dom Bernardo Holstein Beck – Vila Nogueira de Azeitão, Freguesia de Azeitão
    • Reparação de Fogos no Bairro da Bela Vista, Freguesia de S. Sebastião
    • Beneficiação da Av. Álvaro Cunhal (1ª fase), Freguesia de S. Sebastião
    • Ligação do Faralhão à Estefanilha e Trabalhos de Adaptação da Estação Elevatória (EE), Freguesia do Sado
    • Trabalhos de Impermeabilização no Pavilhão do Viso, União das Freguesias de Setúbal
    • Requalificação da envolvente ao parque infantil da Praceta Ilha da Madeira, União das Freguesias de Setúbal
    • Requalificação da Rede Viária e Infraestruturas inerentes – Estrada de Santas, Freguesia de S. Sebastião
    • Requalificação da Rede Viária e Infraestruturas inerentes – Vale de Mulatas, Freguesia de S. Sebastião
    • Passeio Pedonal entre o restaurante “A Restinguinha” e o acesso à Praia de Albarquel, União das Freguesias de Setúbal
    • Requalificação do Eco Parque do Outão, incluindo o acesso/ entrada, o edifício de apoio, o restaurante e espaços verdes adjacentes, o balneário 2, e a vedação de madeira, União das Freguesias de Setúbal
    • Manutenção e conservação de sinalização horizontal em diversos arruamentos do Concelho de Setúbal
    • Execução de Infraestruturas Técnicas na Praia da Figueirinha, União das Freguesias de Setúbal
    • Trabalhos de manutenção da cobertura do edifício Almirante Reis, sito Av. Combatentes da Grande Guerra n.º 52 – União das Freguesias de Setúbal
    • Reabilitação de cobertura de edifício na Estrada dos Ciprestes (EDP), União das Freguesias de Setúbal
    • Beneficiação da Praceta Manuel Nunes de Almeida – 1.ª Fase, União das Freguesias de Setúbal
    • Execução de arranjo paisagístico do miolo interior da rotunda e do separador central da Av. 22 de Dezembro, União das Freguesias de Setúbal
    • Prolongamento da Rede de Drenagem Doméstica na Rua do Moinho – Aldeia da Piedade, Freguesia de Azeitão