18° Muito nublado
As Obras Financiadas dizem respeito a um conjunto de intervenções municipais executadas ao abrigo de candidaturas a programas de financiamento.
A Câmara Municipal de Setúbal, através do Departamento de Obras Municipais, no seu conjunto de valências e no exercer das suas funções, procura nestes programas de acesso a Fundos Comunitários financiamento com vista à execução de obras públicas e aquisição de bens ou serviços necessários ao funcionamento, bem-estar e segurança da autarquia e dos seus munícipes.

No separador seguinte é apresentado o conjunto de obras com financiamento comunitário ou extraconcelhio atualmente em curso. A página é atualizada periodicamente, estando previsto, para breve, separadores sobre projetos concluídos.

No mapa interativo é possível visualizar as intervenções com informação disponível nesta plataforma online.

Em Curso

  • Início
    Dezembro de 2019
  • Conclusão (previsão)
    2021
  • Investimento
    4.213.667,89 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Na sequência das intervenções que a Câmara Municipal de Setúbal pretende implementar nas acessibilidades da envolvente da Estação de Comboios inclui-se o Terminal Interface de Transportes. O projeto representa a criação de um novo terminal rodoviário/interface de transportes junto da Estação de Comboios de Setúbal, na Praça do Brasil, e é constituída, além do terminal, por um parque de estacionamento subterrâneo, pelas respetivas áreas de apoio e as infraestruturas e equipamentos associados ao seu funcionamento.
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da mobilidade e acessibilidades na cidade, bem como, a promoção do transporte público.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Alexandre Barbosa Borges, S.A.
Terminal Interface de Setúbal | Planta do piso térreo
Terminal Interface de Setúbal | Planta do piso térreo | Clique para ampliar
Terminal Interface de Setúbal
Terminal Interface de Setúbal | Imagem virtual | Clique para ampliar
  • Início
    Abril de 2019
  • Conclusão (previsão)
    2.º semestre de 2020
  • Investimento
    389.718,17 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Criação de ciclovia integrada na rede ciclável da cidade, desenvolvendo-se ao longo da Avenida dos Ciprestes, desde o limite norte do concelho até à Avenida da Europa, estabelecendo a ligação com a ciclovia existente na Avenida Antero de Quental, e continuando para sul, pela Avenida Manuel Maria Portela até à Praça do Quebedo. Neste último troço, foi compatibilizado o traçado com o projeto do Terminal Interface de Setúbal, na Praça do Brasil. Em simultâneo, é feita a melhoria da circulação pedonal em geral, complementada com um novo passeio do lado nascente da Avenida dos Ciprestes, desde a Rua das Galroas até ao limite do concelho.
  • Vantagens da intervenção
    Potenciar a mobilidade para toda a população, através da restruturação da rede pedonal e ciclável, criando melhores condições de fruição do espaço público.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Constradas, S.A.
Ciclop7 | Planta de apresentação
Ciclop7 | Planta de apresentação | Clique para ampliar
Projeto Ciclop7 - obras na Avenida dos Ciprestes
Projeto Ciclop7 | Avenida dos Ciprestes | Clique para ampliar
  • Início
    Janeiro de 2018
  • Conclusão (previsão)
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    1.898.867,88 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Obras de prevenção de cheias, concretamente a regularização do troço final da Ribeira do Livramento (afluências da Gamita e do Barranco do Forte Velho). A avaliação hidráulica das condições de escoamento do troço final da Ribeira do Livramento foi detalhadamente desenvolvida na fase de estudo prévio. Nesse estudo foi também apresentada uma solução para a regularização do troço final da Ribeira do Livramento (troço 2), foram dimensionadas as duas bacias de amortecimento (BA esquerda e BA direita), o órgão de descarga da BA e verificadas as quatro passagens hidráulicas (PH) localizadas no troço 2 da Ribeira do Livramento (PH S. Joaquim, PH 1.ª Galroas, PH 2.ª Galroas e PH Ministério da Agricultura) e ainda dimensionada a PH Av. Moçambique. Refere-se que o parecer da APA – Agência Portuguesa do Ambiente foi no sentido de se incluir no projeto de execução: a bacia de amortecimento da Gamita, as intervenções necessárias abrangendo as passagens hidráulicas localizadas a jusante da Bacia de Amortecimento da Gamita, até à entrada do troço canalizado da Ribeira do Livramento e a construção de um sistema para encaminhamento para a Bacia do Livramento, das águas pluviais atualmente drenadas para a área envolvente da Escola Secundária de Bocage. Deste modo, o referido estudo prévio alargou a análise efetuada ao primeiro troço da Ribeira do Livramento, à linha de água da Gamita e à linha de água do Barranco do Forte Velho. A planta de implantação geral da obra em anexo ilustra a zona abrangida, incluindo os diversos órgãos hidráulicos a avaliar e, eventualmente, a redimensionar, de forma a garantir um escoamento controlado em situação de cheia.
  • Vantagens da intervenção
    A  operação, financiada no âmbito do PO SEUR – Programa Operacional Sustentabilidade e Eficiência no Uso dos Recursos, visa a desobstrução, regularização fluvial e controlo de cheias em zonas de inundações frequentes e danos elevados.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Aquino Construções, S.A.
Obras de prevenção de cheias | Regularização do troço final da Ribeira do Livramento
Obras de prevenção de cheias | Regularização do troço final da Ribeira do Livramento | Planta de implantação | Clique para ampliar
Obras de Prevenção de Cheias
Planta da área de intervenção (esquema) | Clique para ampliar
  • Início
    Fevereiro de 2018
  • Conclusão (previsão)
    2020 (1.ª fase)
  • Investimento
    1.156.063,65 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A intervenção tem como objetivo implementar uma solução que evite o risco de derrocadas, de modo a garantir a sua estabilidade e a salvaguardar a segurança de pessoas e bens. A encosta exibe comportamentos anómalos desde 1830, que têm tido repercussões na estabilidade da estrutura do forte. Atendendo à natureza das ações a implementar para estabilização da encosta, ao cenário de elevado valor paisagístico e ecológico em que se enquadra, ao qual se associa uma elevada exposição visual, o projeto de integração paisagística tem como principal preocupação minimizar perturbações que possam ocorrer no cenário da encosta, de modo a recuperar/manter o padrão visual e paisagístico de referência. Além das soluções de enquadramento apresentadas, este projeto estabelece, ainda, um conjunto de medidas de caráter cautelar, relacionadas com a ocupação ou potencial interferência com certas áreas marginais e destinadas à instalação de estaleiros, zonas de manobra, depósito de terras e exploração de pedreiras.
  • Vantagens da intervenção
    Valorização de todo o conjunto edificado do imóvel denominado Forte de São Filipe, classificado como Monumento Nacional.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Ancorpor, Lda.
Forte de São Filipe | Intervenção para evitar derrocadas | Planta de apresentação
Forte de São Filipe | Intervenção para evitar derrocadas | Planta de apresentação | Clique para ampliar
Forte de S. Filipe | Obras consolidação da encosta
Forte de S. Filipe | Obras consolidação da encosta | Clique para ampliar

Concluídas

  • Início
    Fim, de 2017
  • Conclusão
    Fim de 2019
  • Investimento
    1 783 458,69 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Na reabilitação urbana dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo assegurou-se uma boa integração da intervenção proposta na paisagem envolvente, atendendo, simultaneamente, à garantia das boas condições funcionais e de compatibilização com as infraestruturas existentes (nomeadamente, circulação pedonal e automóvel, redes de águas e esgotos). Foram ainda considerados como objetivos fundamentais:
    • A criação de zonas de lazer, pontos de estada formais e informais, circulações e áreas de enquadramento que contribuam a uma maior versatilidade de usos e com condições favoráveis ao conforto humano
    • A implantação de uma estrutura verde adequada às características edafoclimáticas do local e com baixas exigências de manutenção
    • A otimização dos sistemas de gestão e manutenção
    • A estabilização de taludes no loteamento municipal do Bairro Grito do Povo, que consiste na remodelação e definição estrutural de um espaço público devoluto, localizado nas traseiras da banda poente do bairro, e que visa conferir não só as condignas condições de usufruto deste espaço, mas também dotar das mínimas condições de segurança, em particular para os residentes.
  • Vantagens da intervenção
    Dinamização dos bairros dos Pescadores e Grito do Povo, enaltecendo as potencialidades do local, criando espaços agradáveis aos utilizadores.
  • Informações complementares
  • Início
  • Conclusão
    2019
  • Investimento
    621 176.79 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A obra executada consistiu na construção de um emissário maioritariamente em PPC (polipropileno corrugado) SN16, DN400 e 500, numa extensão aproximada de 1,6 kms, e na construção de um conjunto de ligações ao mesmo, numa extensão total de 375 metros. Tratou-se de uma obra complexa pelas características inerentes à importância dos arruamentos, onde se desenvolve no contexto da malha urbana da cidade, com grande densidade de infraestruturas. Implicou intervenções relativas ao restabelecimento de serviços afetados, designadamente na rede de distribuição de água, resultando na instalação de cerca de 370 metros de condutas de água em PEAD PE 100 PN 10, com DN compreendidos entre 110 e 160 mm. Complementarmente, tendo em conta a área de intervenção do emissário e a necessidade de otimizar e racionalizar intervenções no subsolo, esta obra incluiu a renovação de redes de água e saneamento existentes, localizadas nas zonas onde a análise de diagnóstico efetuada evidenciou a necessidade da sua execução, o que englobou a renovação de cerca de 1110 metros de condutas de água em PEAD PE 100 PN 10, com DN compreendidos entre 75 e 200 mm, e a execução de 170 metros de coletor em PPc SN8 DN 250. A obra dividiu-se em três troços principais:
    • Troço na Estrada dos Ciprestes, que efetuou a ligação ao troço do emissário já
      executado
    • Troço junto da Quinta do Quadrado, que se desenvolveu entre a Rua Mário Cães Esteves e a Rua Dr. António Manuel Gamito
    • Troço nas avenidas Dr. António Rodrigues Manito e 22 de Dezembro, com ligação a jusante no emissário afluente à EEAR do Bonfim, integrada no sistema em “alta”
  • Vantagens da intervenção
    A obra do Emissário Ciprestes-Bonfim, em continuidade ao troço já existente, permitiu o encaminhamento de mais uma fração significativa das águas residuais domésticas produzidas na cidade de Setúbal para a Estação Elevatória de Águas Residuais (EEAR) do Bonfim, integrada no Sistema de Interceção e Tratamento de Setúbal (Sistema em Alta). Tratou-se de uma obra de extrema importância, uma vez que veio possibilitar a ligação do Sistema em Baixa ao Sistema em Alta, promovendo a otimização da capacidade instalada neste último sistema, contribuindo, assim, para a melhoria das infraestruturas de saneamento básico.
  • Informações complementares
Emissário Ciprestes-Bonfim | Planta Geral
Emissário Ciprestes-Bonfim | Planta Geral
  • Início
  • Conclusão
    2018
  • Investimento
    377 966.66 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Os municípios de Palmela, Setúbal e Sesimbra decidiram criar um grupo de trabalho para coordenar e diligenciar a elaboração de um projeto de requalificação do eixo de comunicação intermunicipal na conurbação urbana entre a EN379 e a EN10, articulando diferentes meios de transporte (pedonal, ciclável e rodoviário) devidamente interligados com interfaces de transporte público (autocarro e estações ferroviárias), visando a melhoria das deslocações pendulares. Esta intervenção, designada por “HUB10 – Plataforma Humanizada de Conexão Territorial: Estrada dos Quatro Castelos – Troço Poente – Concelho de Setúbal”, requalificou o troço poente da Estrada dos Quatro Castelos, na área urbana da freguesia de Azeitão, no concelho de Setúbal, na zona de Vila Amélia, e compreende o espaço entre o nó de acesso à A2 (Rua dos Fazendeiros), no limite do concelho (Setúbal/Palmela), e o pontão da Ribeira de Coina, no limite do concelho (Setúbal/Sesimbra), numa extensão de pouco mais do que 900 metros. O troço requalificado liga os municípios de Sesimbra e de Palmela, sendo que a linha divisória entre os concelhos de Setúbal e de Sesimbra é demarcada pelo leito da Ribeira de Coina. O troço de via imediatamente após o pontão da Ribeira de Coina, do lado de Sesimbra (Quinta do Conde), será objeto de um estudo próprio, a desenvolver pelo Burguer King, mas no qual terá de ser seguida a solução de plataforma viária e os mesmos princípios de intervenção urbana aprovados pelos três municípios. A intervenção realizada compreendeu rodovia, passeios, ciclovia e faixa verde e a instalação de redes públicas de drenagem de águas pluviais e de iluminação, além do atendimento dos serviços dos operadores de energia, de telecomunicações e gás.
  • Vantagens da intervenção
    Esta iniciativa dos três concelhos assume uma oportunidade e importância fundamentais para a requalificação urbana deste território a partir da criação de boas condições de segurança na acessibilidade e circulação de peões, bicicletas e viaturas, numa perspetiva de integração da respetiva utilização com os transportes públicos, de mitigação de conflitos num espaço cuidado e harmonioso, em que se pugna por promover a mobilidade ecológica e com baixa emissão de carbono.
  • Informações complementares
  • Início
  • Conclusão
    2018
  • Investimento
    288 489.98 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    O Jardim Multissensorial das Energias, que resulta da requalificação do antigo Jardim das Escarpas de Santos Nicolau, constitui-se como um projeto cientifico-pedagógico ao dispor da população em geral, com características direcionadas para a comunidade escolar e pessoas com deficiência. Visualmente atrativo e energicamente eficiente, estimula os sentidos dos visitantes ao proporcionar contrastes de cor e diferentes aromas, texturas e sons. Em simultâneo, procura ser um espaço de aprendizagem sobre as energias ambientalmente sustentáveis. Além das estações dinâmicas relacionadas com as energias renováveis disponíveis, (Estação Geotérmica; Estação Biomassa; Estação das Energias do Mar; Estação Solar, Estação Hídrica e Estação Eólica), este espaço de lazer e de ensino conta com percursos pedonais renovados, mais mobiliário urbano e um conjunto de equipamentos de apoio para o jardim, como instalações sanitárias e áreas de descanso.
  • Vantagens da intervenção
    Criação de uma área interpretativa subordinada à temática das energias renováveis, um recurso pedagógico e didático, sobretudo para os mais novos e para a comunidade escolar.
  • Informações complementares
  • Início
  • Conclusão
    2019
  • Investimento
    1 869 931.52 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada

Resumo da intervenção
Dando cumprimento às atribuições e competências legais das câmaras municipais na área da Educação, o município de Setúbal, por considerar que esta é uma área prioritária de investimento para o desenvolvimento local, desenvolveu um enorme esforço no sentido de recuperar e apetrechar o parque escolar do 1.º ciclo do ensino básico e do pré-escolar público concelhio, quer através da construção e ampliação de novos equipamentos, quer através de obras de manutenção, adaptação de espaços e apetrechamento dos já existentes. Considerando que as escolas básicas do 1.º ciclo têm uma média de idade de 30 anos e que, maioritariamente, foram construídas num tempo em que se exigia apenas salas de aula e instalações sanitárias, foi necessário executar intervenções ao nível da construção de bibliotecas escolares, cozinhas ou copas, refeitórios e salas de professores, de apoio e polivalentes, assim como o respetivo apetrechamento com mobiliário, equipamentos de cozinha e material didático, lúdico e informático. No âmbito de candidaturas a cofinanciamento comunitário, a Câmara Municipal de Setúbal procedeu à Requalificação do Parque Escolar por fases:

1.ª Fase (concluída em 2017)

  • EB 1 dos Arcos – Substituição da cobertura em fibrocimento com amianto
  • EB 1 do Monte Belo – Substituição da cobertura em fibrocimento com amianto
  • EB 1 da Fonte do Lavra – Remodelação da cozinha
  • EB 1 JI de S. Gabriel – Pinturas interiores

EB 1 dos Pinheirinhos – Remodelação da cozinha

2.ª Fase (concluída em 2019)

  • EB de Brejos do Clérigo – Requalificação do edifício e novo pré-fabricado
  • EB n.º 9 de Casal das Figueiras – Requalificação do edifício
  • EB n.º 3 do Montalvão – Requalificação do edifício, novo pré-fabricado e arranjos exteriores
  • EB n.º 12 das Amoreiras – Requalificação do edifício e arranjos exteriores
  • EB do Viso – Reabilitação e remodelação do edifício
  • EB 1 JI de Montalvão (Laranjeiras) – Requalificação dos edifícios e arranjos exteriores
  • 3.ª Fase (concluída em 2019)
  • EB 1 JI da Azeda – Nova entrada, remodelação da cozinha, substituição da cobertura em fibrocimento com amianto, pinturas interiores e exteriores
  • EB 1 n.º 5 do Peixe Frito – Pinturas interiores e exteriores, colocação de estores exteriores, substituição da cobertura em fibrocimento com amianto e arranjos exteriores
  • EB da Bela Vista – Pinturas interiores e exteriores, colocação de estores exteriores, colocação de painéis fotovoltaicos e termossifão, e arranjos exteriores.
  • EB 1 n.º 2 do Faralhão – Requalificação do edifício
  • Vantagens da intervenção
    Oferecer e proporcionar condições de trabalho e sucesso educativo para todos, contribuindo para o desenvolvimento integral e harmonioso das crianças e da qualidade do ensino no concelho de Setúbal.
  • Informações complementares
  • Início
  • Conclusão
    2017
  • Investimento
    671 784,35 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    As Aldeias da Portela, Piedade e São Pedro, localizadas em Azeitão, tinham como sistema de tratamento de águas residuais domésticas duas fossas séticas públicas (Portela e Piedade) que não cumpriam as exigências regulamentares e cuidados ambientais. Com esta intervenção, cumpriu-se a legislação em vigor. A obra foi executada de acordo com o projeto designado por “Reformulação do sistema de tratamento de águas residuais domésticas das Aldeias da Piedade, Portela e S. Pedro”, adjudicado em tempo pela concessionária Águas do Sado, S.A., que compreendeu o seguinte:
    • Execução de coletores gravíticos
    • Execução de um descarregador de tempestade na Aldeia da Piedade
    • Execução de dois sistemas elevatórios (Portela e Aldeia de Irmãos)
    • Ligação ao Emissário “Coletor B” existente

A solução executada consistiu em construir um sistema de drenagem que encaminhasse as águas residuais domésticas das Aldeias da Portela, Piedade e S. Pedro, para o troço do emissário do “Coletor B”, de ligação à estação elevatória da Quinta do Chão Duro e, consequentemente, para a ETAR da Quinta do Conde.

  • Vantagens da intervenção
    A intervenção resultou da necessidade de fazer cumprir a legislação em vigor seguindo as exigências regulamentares e cuidados ambientais, contribuindo para a melhoria das infraestruturas de saneamento básico.
  • Informações complementares
Reformulação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais | Aldeias da Piedade, Portela e São Pedro | Plantas de implantação
Reformulação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais | Aldeias da Piedade, Portela e São Pedro | Plantas de implantação
  • Início
  • Conclusão
    2018
  • Investimento
    369 840.63 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A obra resultou da necessidade de intervenções no Sistemas de Drenagem e Tratamento de Faralhão e Pontes, a serem explorados sob a responsabilidade da concessionária Águas do Sado, S.A., tendo em vista viabilizar o cumprimento da legislação em vigor. Neste contexto e de forma resumida a solução global implementada constituiu-se por três estações elevatórias, 750m de coletores gravíticos e 3600m de condutas elevatórias, que transportam os afluentes atualmente tratados na ETAR de Pontes e ETAR de Faralhão até ao Sistema Intercetor de Setúbal, especificamente até à Estação Elevatória Praias do Sado.
    Este sistema intercetor é executado nas seguintes fases:
    1.ª Fase – Sistema de Faralhão
    2.ª Fase – Sistema de Pontes
    3.ª Fase – Desativação da ETAR de Faralhão e da ETAR de PontesA presente intervenção correspondeu à 2.ª Fase, executando-se as seguintes infraestruturas:
    | Execução de uma estação elevatória no recinto da ETAR de Pontes
    | Conduta Elevatória de Pontes com o diâmetro 110 mm, terá um comprimento aproximado de 500m
    | Emissário de Pontes com diâmetros compreendidos entre 200 a 250mm, com cerca de 445m
    | Coletor da Rua 28 de Março com o comprimento de 390m e o diâmetro de 200mm
    | Execução da Estação Elevatória do Capador
    | Conduta Elevatória do Capador com o diâmetro 110mm, terá um comprimento aproximado de 1370m
    | Desativação das estações elevatórias existentes no Bairro do Capador e na Rua da Junta
  • Vantagens da intervenção
    A intervenção resultou da necessidade de fazer cumprir a legislação em vigor seguindo as exigências regulamentares e cuidados ambientais, contribuindo para a melhoria das infraestruturas de saneamento básico.
  • Informações complementares
Reformulação do Sistema de Tratamento de Águas Residuais | Pontes | Planta de implantação
  • Início
  • Conclusão
    2017
  • Investimento
    98 925.89 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução de infraestruturas – Rede Viária e Rede Pública de Drenagem de Águas Pluviais – da Rua I e acessos, do Bairro Santos Nicolau, localizada na freguesia de S. Sebastião. Desenvolveu-se numa extensão aproximada de 220m de rede viária e cerca de 260m de coletor pluvial. A intervenção visou fundamentalmente dotar esta área de uma rede viária e de uma rede de drenagem pluvial.
  • Vantagens da intervenção
    Melhorias da acessibilidade e circulação viária.
  • Informações complementares
Infraestruturas na Rua I, do Bairro Santos Nicolau | Planta geral
Infraestruturas na Rua I, do Bairro Santos Nicolau | Planta geral
  • Início
  • Conclusão
    2019
  • Investimento
    253 607,26 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Requalificação urbana e paisagística de diversas áreas na proximidade do troço poente da Av. Belo Horizonte. A proposta enalteceu as potencialidades de cada um dos locais intervencionados, garantindo uma boa integração do proposto com o existente. Desta forma, a intervenção incluiu:
    • Subdivisão da área de intervenção em várias zonas, de acordo com o carácter e tipo de intervenções a levar a cabo em cada uma delas (consolidação do talude; construção de passeios em falta e escada; requalificação do passeio e estacionamento existente; requalificação da zona verde existente; requalificação do jardim e ruas adjacentes; e enquadramento do moinho)
    • Criação de uma série de componentes de rega adequados para cada uma das situações, com vista a garantir as condições de sustentabilidade do material vegetal proposto
    • Requalificação da rede de drenagem pluvial
    • Requalificação da iluminação pública exterior, com especial destaque para as zonas onde se prevê uma utilização pública dos espaços
    • Melhoria das condições de acessibilidade
  • Vantagens da intervenção
    Melhoria da acessibilidade e circulação viária e dinamização da área adjacente à Av. Belo Horizonte, enaltecendo as potencialidades do local, criando espaços agradáveis aos utilizadores.
  • Informações complementares
Requalificação do troço poente da Avenida Belo Horizonte | Planta geral
Requalificação do troço poente da Avenida Belo Horizonte | Planta geral
  • Início
    Outubro de 2018
  • Conclusão
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    869.990,80 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    A obra consistiu numa intervenção na Passagem Hidráulica (PH) do muro, que foi remodelada, na recuperação do muro da margem esquerda da ribeira, em mau estado de conservação, assim como das duas passagens hidráulicas em arco de tijoleira cerâmica ao cutelo, bastante antigas, e, ainda, de um pequeno aqueduto que liga as duas margens, imediatamente a montante da PH DO Muro, terminando próximo da Quinta de Santana, junto da EN 10.
  • Vantagens da intervenção
    A solução integradora de diversos aspetos de defesa contra as cheias, permitindo regularizar o escoamento dos caudais de cheia da Ribeira da Figueira, evitando as situações de alagamento relativamente frequentes. Permite garantir que, numa situação de cheia extrema, os volumes elevados provenientes da bacia hidrográfica a montante sejam armazenados de forma controlada em áreas (bacias de amortecimento) previstas para esse efeito, podendo ser esvaziados gradualmente, garantindo que o nível de água armazenado minimize os efeitos de inundação a jusante.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Ilhaugusto – Construções, Lda.
Obras de prevenção de cheias | Regularização do troço final da Ribeira da Figueira | Planta geral
Obras de prevenção de cheias | Regularização do troço final da Ribeira da Figueira | Planta geral | Clique para ampliar
  • Início
    Julho de 2018
  • Conclusão
    2.º semestre de 2020
  • Investimento
    1.469.655,96 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Requalificação do Largo de Jesus e da Zona Norte/Poente do Convento de Jesus. Nesta intervenção é de realçar a conservação e restauro do Cruzeiro no Largo de Jesus (relocalizado) e do Hornaveque no limite NO da área de intervenção. Plantação de árvores no terreiro. A iluminação diferencia-se entre iluminação pública e iluminação monumental. Esta intervenção da Zona Norte/Poente do Convento de Jesus tem como objetivos principais:
    • Restaurar e dignificar o hornaveque, pelo seu interesse histórico tonando-o mais visível e visitável
    • Assegurar e melhorar o acesso ao museu e edifício técnico
    • Reorganizar o estacionamento. Prevêem-se 159 lugares de estacionamento para viaturas ligeiras, dos quais quatro para pessoas com mobilidade condicionada e ainda três lugares de estacionamento para autocarros
    • Reforçar a legibilidade do hornaveque e da Cerca Pequena com alinhamentos de árvores
    • Arborizar as zonas de estacionamento com árvores de fruto em quadrícula, presentes nos antigos pomares existentes e espaços de cultivo
    • Plantar sebes arbustivas de plantas aromáticas, comuns nas zonas conventuais
    • Criar uma zona verde de enquadramento de prado regado junto ao hornaveque
    • Dotar os espaços de mobiliário urbano
    • Dotar a área com iluminação pública e rede de drenagem pluvial
  • Vantagens da intervenção
    Adoção de medidas destinadas a melhorar o ambiente urbano e a revitalizar o espaço público envolvente do Convento de Jesus.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Arquijardim, S.A.
Convento de Jesus | Requalificação da zona envolvente | Planta Geral
Convento de Jesus | Requalificação da zona envolvente | Planta Geral | Clique para ampliar
  • Início
    Setembro de 2017
  • Conclusão
    2.º semestre de 2020
  • Investimento
    1.418.649,72 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Segunda fase da reabilitação do Convento de Jesus – Ala Este e Ala Norte, Claustros, Igreja e Coro Alto. Visa a conclusão de toda a envolvente exterior do Convento, nomeadamente o tratamento, impermeabilização e acabamento das paredes, execução dos vãos, assim como concluir o deambulatório nos pisos térreo e superior, a cafetaria e instalações sanitárias. Esta intervenção contempla a execução:
    • Arranjos exteriores da zona envolvente ao edifício (base dos alçados) garantindo as impermeabilizações de parte das fundações existentes
    • Reforço da estrutura, nomeadamente a execução de lajes de pavimento das galerias do claustro (piso 0) e reforço em bases de pilares, a execução das lajes de pavimento das instalações sanitárias e o reforço de paredes exteriores
    • Instalações mecânicas (AVAC)
    • Rede de drenagem de águas pluviais e residuais e rede de abastecimento de água
    • Instalações elétricas e de Telecomunicações
    • Instalações de sistema de segurança contra incêndios, de alarme contra intrusão, da rede de vigilância por CCTV e da rede de gestão técnica centralizada
    • Trabalhos de Conservação e Restauro
      A reabilitação da Igreja e Coro Alto compreende a reconstrução da cobertura da cabeceira da igreja, reconstrução da cobertura do corpo principal da igreja e da Sala do Coro Alto, reconstrução da Sala do Coro Alto, a conservação e restauro de todo o património integrado e arquitetónico da Sala do Coro Alto, assim como a reconstrução integral da torre sineira. Relativamente à Igreja de Jesus, com a intervenção de luminotecnia proposta, serão realçados todos os elementos arquitetónicos e decorativos que definem as três naves da igreja e a Capela-Mor, em pedra de lioz e brecha da arrábida, assim como os revestimentos azulejares existentes, na Igreja e na Capela-mor.
  • Vantagens da intervenção
    Valorização de todo o conjunto edificado do imóvel denominado Convento de Jesus, classificado como Monumento Nacional.
  • Informações complementares
    Obra adjudicada à empresa Teixeira Pinto & Soares, S.A.
Convento de Jesus | 2.ª Fase | Planta de implantação
Convento de Jesus | 2.ª Fase | Planta de implantação | Clique para ampliar
  • Início
    2020
  • Conclusão
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    198 550,00 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Execução de obras de requalificação da acessibilidade à Praia da Figueirinha, Serra da Arrábida, Setúbal. Esta praia tem sido procurada por um número crescente de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida e outros grupos. A realização desta obra integra-se na Linha de Apoio ao Turismo Acessível. A Praia da Figueirinha tem o Galardão de Praia Acessível, no entanto, entendeu-se ser possível alargar a abrangência das intervenções, reforçando a sua acessibilidade. A importância da requalificação da Praia da Figueirinha é crucial para que haja uma fruição balnear de qualidade, acessível e com condições para um retorno do desenvolvimento turístico de Setúbal. O objetivo da intervenção centra-se em facilitar o acesso à praia a todos os cidadãos, incluindo elementos de apoio à estadia e permanência na praia, tal como a criação de espaço de ensombramento. Contempla:
    • Construção de edifício de apoio | Instalações sanitárias | Arrumos | Posto de primeiros socorros
    • Colocação de chuveiros, lava-pés, bebedouro e bancos
    • Pérgula
    • Percursos/passadeiras
  • Vantagens da intervenção
    Valorização da Praia da Figueirinha, praia oceânica localizada a Oeste da cidade de Setúbal, inserida no Parque Natural da Arrábida. Pretende-se dotar a praia de variados elementos de apoio a pessoas de mobilidade reduzida/condicionada, tal como melhorar as condições de utilização da mesma por todos os veraneantes em geral. Pretende-se a adequação de todos os elementos propostos à utilização pretendida de inserção nos critérios mínimos de acessibilidade para todos. Criar condições para que qualquer pessoa, independentemente da sua idade, capacidades físicas, sensoriais ou intelectuais possam fruir da praia, com conforto, segurança, autonomia e dignidade. Associar a imagem turística destes espaços às novas valências da acessibilidade e valorização turística de Setúbal, colocando a Praia da Figueirinha nos roteiros e guias turísticos de recursos acessíveis. Pretende-se promover o Turismo Acessível e Inclusivo, qualificando a oferta turística portuguesa e dando cumprimento ao disposto na Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2006), ratificada por Portugal em 2009, nomeadamente no n.º 1 do seu art.º 30º – Participação na vida cultural, lazer e desporto.
  • Informações complementares
  • Início
    2020
  • Conclusão
    1.º semestre de 2020
  • Investimento
    196 459.87 € (acresce o IVA à taxa legal em vigor)
  • Género
    Empreitada
  • Resumo da intervenção
    Obras de edificação e requalificação da Praia de Albarquel e do Miradouro de Albarquel/Pau da Consolação, em plena Serra da Arrábida. Esta praia tem sido procurada por um número crescente de pessoas com deficiência e/ou mobilidade reduzida e outros grupos. A realização desta obra integra-se na Linha de Apoio ao Turismo Acessível. A Praia de Albarquel é a praia mais próxima do centro urbano de Setúbal e o miradouro está situado a norte da praia, numa cota mais elevada, na estrada nacional.
    A importância da requalificação da Praia de Albarquel é crucial para que haja uma fruição balnear de qualidade, acessível e com condições para um retorno do desenvolvimento turístico de Setúbal. A intervenção contempla, também, a recuperação da área de miradouro existente, incluindo elementos de apoio à estada e permanência, tal como a criação de espaço de descanso e usufruto de vistas privilegiadas sobre o rio.
    O objetivo da intervenção centra-se em facilitar o acesso à praia a todos os cidadãos, incluindo elementos de apoio à estada e permanência na praia, tal como a criação de espaço de ensombramento. Contempla:
    • Construção de edifício de apoio | instalações sanitárias | arrumos | posto de primeiros socorros
    • Colocação de chuveiros, lava-pés, bebedouro, papeleira e bancos
    • Pérgula
    • Percursos/passadeiras
    • Requalificação do Miradouro de Albarquel/Pau da Consolação
  • Vantagens da intervenção
    Praia de Albarquel

    Dotar a praia de variados elementos de apoio a pessoas de mobilidade reduzida/condicionada, tal como melhorar as condições de utilização da mesma por todos os veraneantes em geral. Pretende-se a adequação de todos os elementos propostos à utilização pretendida de inserção nos critérios mínimos de acessibilidade para todos. Criar condições para que qualquer pessoa, independentemente da sua idade, capacidades físicas, sensoriais ou intelectuais possam fruir da praia, com conforto, segurança, autonomia e dignidade. Associar a imagem turística destes espaços às novas valências da acessibilidade e valorização turística de Setúbal, colocando a Praia de Albarquel nos roteiros e guias turísticos de recursos acessíveis. Pretende-se promover o Turismo Acessível e Inclusivo, qualificando a oferta turística portuguesa e dando cumprimento ao disposto na Convenção da ONU sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência (2006), ratificada por Portugal em 2009, nomeadamente no n.º 1 do seu art.º 30.º – Participação na vida cultural, lazer e desporto.
    Miradouro de Albarquel
    Requalificação deste espaço utilizado ao longo dos anos por inúmeras gerações como ponto de estada e admiração da paisagem envolvente. A degradação é notória ao nível dos materiais do piso, banco existente, rail de proteção. Pretende-se manter uma coerência na proposta geral de intervenção, ao nível de materialidades e linguagem, propondo-se que o banco que envolve a árvore existente seja revestido a ripas de madeira tratada, assim como uma parte do piso, criando uma ligação material entre os dois elementos principais deste local, o banco e o rail de proteção. Este último, tem também a função de guarda para manter os utilizadores em segurança.
  • Informações complementares