13° Nublado
Simulacro de sismo na escolas

A população e as instituições do concelho de Setúbal são convidadas a participar num exercício público de sensibilização, com medidas de autoproteção em caso de ocorrência de um sismo, no dia 5 de novembro, às 11h05.


A iniciativa A Terra Treme, que este ano assinala a oitava edição, pretende capacitar a população para o modo correto de agir e proceder antes, durante e depois da ocorrência de um sismo.

De igual modo, dá a conhecer as medidas e os comportamentos de autoproteção a adotar para a proteção de cada pessoa e, assim, contribuir para o incremento de uma sociedade mais segura e resiliente às catástrofes.

Este ano, o exercício, promovido pela ANEPC – Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil, coincide com a celebração do Dia Mundial de Sensibilização para o Risco de Tsunami, assinalado a 5 de novembro, e compreende três gestos simples de proteção, considerados fundamentais perante a ocorrência de um sismo.

A ação desenrola-se durante um minuto, no qual os participantes, a título individual ou coletivo, executam os três gestos de autoproteção, baixar, proteger e aguardar.

Além da população escolar, presença habitual no desenrolar deste exercício, a ANEPC pretende alargar a reflexão e o debate em torno da temática do risco sísmico, com a participação de outros setores da sociedade civil.

São convidadas a participar na ação famílias, empresas e instituições públicas, privadas ou associativas, procurando, deste modo, unir esforços e extrair sinergias do conjunto de toda a sociedade, para que sejam alcançados graus de resiliência, individual e coletiva cada vez maiores.

A participação na iniciativa A Terra Treme é feita por inscrição na página www.aterratreme.pt/inscrição ou na resposta a um inquérito de avaliação do grau de perceção ao risco sísmico, em www.aterratreme/inquerito.

A Terra Treme contempla ainda a realização de sessões de esclarecimento dedicadas à explicação das medidas preventivas e dos comportamentos de autoproteção a serem adotados em casa e nos locais de trabalho em caso de sismo.

A realização destas iniciativas deve ter em conta as orientações da Direção-Geral da Saúde face aos condicionalismos impostos perante a situação pandémica associada à pandemia de Covid-19.