12° Parcialmente nublado
Arrábida sem Carros

A cidade de Setúbal foi recomendada como destino turístico alternativo a Lisboa pelo Washington Post, jornal diário de referência internacional, graças ao património histórico e natural e à genuinidade.


“A pensar ir para Portugal? Considere ficar em Setúbal em vez de Lisboa.” É logo no título que o norte-americano Washington Post eleva a cidade sadina a destino turístico que os seus leitores têm de conhecer pela facilidade de acessos, autenticidade e proximidade à natureza.

Entre elogios à zona ribeirinha setubalense, onde “os turistas podem encontrar história, golfinhos e aventuras ao ar livre”, a jornalista Vicky Hallet, que assina o texto, salienta que a cidade deve ser uma opção a considerar na hora de escolher um destino em Portugal, já que fica a menos de uma hora de Lisboa, de carro ou de comboio.

Com mais de 65 milhões de leitores mensais, o jornal norte-americano aconselha ainda Setúbal como destino turístico alternativo pela história local, pela vitalidade do setor da restauração local, pela qualidade dos produtos de rio, pela paisagem do Parque Natural da Arrábida, pelas águas cristalinas das praias e pela tradição piscatória.

Na capital portuguesa, escreve o Washington Post, na secção Turismo, “as ruas estão transformadas numa pista de obstáculos de scooters elétricas e tuk-tuks”. Neste contexto, o jornal justifica a escolha da cidade sadina para “uma experiência mais genuína”.

No artigo publicado a 22 de agosto, o Washington Post sugere ainda uma visita às ruínas do complexo romano de salga de peixe de Troia e uma passagem pelos restaurantes localizados ao longo da Avenida Luísa Todi, “avenida arborizada, com o nome de uma grande estrela” da ópera portuguesa do século XVIII.

“Se espreitar para dentro das águas da praia, vai parecer que pode simplesmente ver a sua mão no fundo do mar e pescar o almoço”, refere o jornal, acrescentando a opção de visitar o Mercado do Livramento, com “grandes pisos de pedra de mosaico” e “várias espécies marinhas empilhadas nas bancas sobre gelo”.

O jornal norte-americano sugere ainda um passeio de barco para observação de golfinhos no rio Sado, provas de vinho da região e caminhadas pelos trilhos da Serra da Arrábida.

 

Documentos Relacionados