10° Parcialmente nublado
Coronavírus Covid-19 | alojamento de sapadores | Casa do Largo

A Câmara Municipal de Setúbal, face às notícias divulgadas sobre supostas falhas na operacionalidade da Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal causadas pela infeção de vários dos seus bombeiros com Covid-19, informa que todas as funções da CBSS em matéria de socorro, assim como outras que desenvolve estão integralmente asseguradas.


É, assim, falso que exista algum problema de operacionalidade na Companhia de Bombeiros Sapadores de Setúbal.

Todos os elementos do corpo de bombeiros foram testados para Covid-19, tendo sido detetados nove infetados, seis deles assintomáticos, estando um dos infetados já totalmente recuperado.

Este esclarecimento impõe-se face a informações difundidas por uma organização que, em matérias relacionadas com a nossa companhia de bombeiros profissionais, demonstra total falta de rigor e responsabilidade. No atual contexto de pandemia, a divulgação de tais informações falsas é especialmente inaceitável, pois visa criar instabilidade e angústia nas populações.

A Câmara Municipal de Setúbal, em estreita articulação com as autoridades de saúde, adotou todas as medidas necessárias para proteger os bombeiros, no quadro do plano de contingência específico em vigor para a CBSS, que, aliás, foi apresentado e debatido, em devido tempo, com todos os elementos da companhia.

Por essa razão, é inaceitável que um sindicato de bombeiros criado há poucos meses e também dirigido por um elemento da companhia setubalense acuse a Câmara Municipal de não prestar, internamente, informação sobre esta matéria. Igualmente inaceitável é a acusação de estar em causa a prestação de socorro, o que nunca aconteceu nem acontecerá.

Tais acusações infundadas só podem ser compreendidas à luz do desconhecimento de que enferma o referido dirigente sobre o que se passa na companhia, uma vez que, apesar de ser bombeiro sapador em Setúbal, pouco tempo passa na CBSS, já que, nos últimos anos, esteve ausente mais de mil dias, sendo um dos recordistas do absentismo laboral no quadro de pessoal da autarquia.

Ilustrativo deste comportamento é o episódio ocorrido em agosto, quando, depois de rejeitado um pedido de troca de serviços de escala, por incumprimento das regras em vigor, o referido bombeiro e dirigente ter imediatamente apresentado uma baixa médica por cinco dias cuja legalidade poderá configurar-se como duvidosa.

A Câmara Municipal de Setúbal continuará, como sempre, a garantir o socorro no concelho através da Companhia de Bombeiros Sapadores e do dispositivo municipal de socorro, que integra vários agentes de proteção civil, rejeitando falsidades e irresponsabilidades praticadas por quem é incapaz de ver para além do próprio interesse pessoal e político.